Uma Grande Onda… de arte

2008 é recheado de datas marcantes: 50 anos da Bossa Nova, 50 ano da 1ª Copa do Mundo conquistada pelo Brasil e os 200 anos da chegada da Família Real Portuguesa.
Porém, a data que mais está mobilizando os meios de comunicação é a comemoração aos 100 anos da chegada do Kasato Maru ao porto de Santos. Junto com ele, nada mais, nada menos, que 781 imigrantes japoneses desembarcaram e iniciaram vida nova em terras brasileiras.

Entretanto, esse texto não falará sobre a imigração. Toda essa introdução, na verdade, não tem nada a ver com a série que inicia-se hoje, aqui no Idéia Fix.
GRANDES QUADROS mostrá exatamente o que promete: grandes quadros. Na verdade, não são quadros extensos ou famosos, mas sim aqueles que carregam alguma importância.
Agora eu retomo minha introdução para apresentar o 1° quadro:

A Grande de Kanagawa

Esse quadro faz parte da série 36 vistas do Monte Fuji – na verdade, a série tem 46 gravuras – e é a mais famosa de Katsushika Hokusai.
Essa obra é uma xilogravura. Segundo o blog Murro Diário: “A xilogravura é a arte de preço acessível: o artista entalha o desenho na madeira, passa as tintas e vai imprimindo as cópias, várias, seriadas ou não, limitadas ou não, enquanto a madeira resistir ao desgaste ou até a quantidade desejada pelo artista. Assim, Hokusai deve ter vendido dezenas, centenas ou milhares de reproduções da grande onda de Kanagawa.

Analisando a obra é possível perceber uma grande onda prestes a chocar-se contra o barco de pescadores. Ao longe, o Monte Fuji.
A onda, no caso, pode ser interpretada como as garras da Mãe Natureza (observe a espuma) agindo sobre a tecnologia e conhecimento humano. Quem vencerá essa batalha?

O quadro também foi usado para inspirar os jovens japoneses na II Grande Guerra. Naquela época, o quadro havia influenciado a arte Européia, servindo de inspiração para que artistas também pintassem suas ondas. O governo japonês utilizou-se disso para provar a superioridade da cultura japonesa em relação a do Ocidente.

Apesar de parecer, essa NÃO é a representação de um tsunami. São apenas ondas grandes (muito grandes!) em alto mar. Se toda onda grande for tsunami, então o Havaii está perdido!

Até hoje, a Grande Onda de Kanagawa é referência quando se fala em arte japonesa. Ela é, inclusive, a precursora dos mangás.
Se você tiver interesse, mas principalmente oportunidade e grana, visite o Metropolitan Museum of Art, em New York e tenha o prazer de ver pessoalmente uma cópia dessa obra de arte. Uma outra cópia está na cada de Claude Monet, na França

Em breve tem mais quadros. Garanto… NÃO FALAREI DE MONALISA!

5 thoughts on “Uma Grande Onda… de arte

  1. Grande Oogie Boogie: (isso dá vontade de dançar)

    Quer elogio mais sincero do que o seu “O post do Chavez ficou do caralho”? Valeu cara! hauahauahaua… engraçado como esse palavrão encaixa (eu não devia colocar as palavras caralho e encaixa na mesma frase) muito bem como advérbio de intensidade…

    Abraço e volte sempre! O prazer foi todo seu!

  2. Pingback: E com 5 retas é fácil fazer uma bandeira… « Ideia Fix

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s