F1 2011: Melbourne, Austrália

Bem amigos do Ideia Fix. Agora são 2h59 da manhã do dia 27 de março 2011. Isso significa que, muito além do sono, estaremos juntos em mais uma temporada da Fórmula 1. Começa emoção sobre rodas que vem desde lá da antiguidade, quando os homens corriam sobre bigas e sacaneavam uns aos outros acertando as rodas primitivas – mas ainda circulares – com as pontas afiadas de suas lanças de estimação.

O belo circuito do Albert Park foi o primeiro a receber os bons pilotos e os pilotos endinheirados para daqui a alguns meses descobrirmos quem faz mais pontos. Nesse ano algumas coisas mudaram. A principal delas é a marca dos pneus e, consequentemente, sua qualidade. Ao que tudo indica, as Borrachas Mercur duram mais. Outra novidade (nem tão novidade) é o KERS, dispositivo que injeta potência. O famoso cogumelo do Mário Kart. As asas móveis prometem dar outra emoção nas retas, mas é bem relativo, viu.

As luzes vermelhas se apagam. Vettel dispara na frente acabando com a graça no começo da prova. Massa arrumou cantinhos estratégicos – atalhos –  e ganhou algumas posições, mas ficou com o bico de Jason Button fungando no retrovisor (?). Praticamente uma encoxada automobilística. Enquanto isso, lá atrás, a pista escapa de Barrichello, e não o contrário. Corrida de recuperação para ele. Alonso tentou um traçado aberto, sem sucesso. Fecharam a porta na cara dele sem nenhuma cerimônia. Ainda bem.

Até a oitava volta Petrov estava em quarto. Em determinada época, chegou a ficar em segundo. Essa vodka é da boa!

Na décima segunda volta a pressão do Lord Inglês deu resultado. Ficou roda a roda com Massa, fazendo o brasileiro espalhar um pouco. Há que diga que Button cortou caminho. Como saiu do traçado, o brasileiro perdeu potência e aerodinâmica, deixando tudo pronto e arrumadinho para El Fodon ultrapassar também. Algumas voltas depois, o “há quem diga” da linha acima personificou-se em punição. Uma passadinha pelo box.

Na parte de trás, uma disputa muito grande. 4 Lotus brigam para ver quem é a menos pior na pista e quem pode usar o nome de tanta história através dos tribunais. Ouso dizer que não importa o vencedor: em todas as opções a tradicional e verdadeira Lotus sai prejudicada.

Michael Schummacher começa a temporada muito bem. Abandonou antes da metade. Pode ter tocado em Alguersuari. Keke Rosberg – pai de Nico –  deve estar rolando de rir.

Barrichello News: Quem viu o brasileiro ultrapassar Koba Mito e Button na mesma curva, passando no meio dos dois (!!), levantou e aplaudiu. Só que algumas voltas depois acabou retardando demais a freada e delicadamente expulsou Nico Rosberg da corrida. Pode parar de rir Mr. Keke. E você que aplaudiu pode sentar no sofá porque Barrica também tomou um drive-thru sem fritas.

Mesmo fazendo suas paradas necessárias, Vettel é MUITO superior. Estava tão adiantado que arisco dizer que já tinha dado começado a correr o GP da Malásia, próximo da temporada.

Na volta 41, Sérgio Pérez, o mexicano estreante, fez a melhor volta da corrida. Estava em 8º com sua Sauber. Vai fazer dueto com Petrov: um com a vodka e o outro com a pimenta. Na volta 50, aproximou perigosamente de Massa. Coincidentemente, o brasileiro preferiu entrar nos boxes. Será que arregou?

Webber corria em casa e, portanto, tinha que fazer alguma coisa mais emocionante do que ficar dando voltas sem objetivo. Após se distrair com algum parente na platéia e sair do traçado, encostou em Alonso. O australiano tinha pneus mais aderentes após a parada do espanhol e mesmo abrindo a asa,  não conseguiu a ultrapassagem sobre El Fodon, que se defendia com o KERS. Patético.

E as 4h33 chegamos aos final da jornada. E tudo começa como havia terminado na temporada passada:

Webber, mesmo com um carro excelente, fez menos do que poderia;

Petrov foi herói e segurou Alonso. Cheers!

E Vettel provou minha teoria mais uma vez : é gênio quando corre sozinho – o que geralmente acontece. Portanto…

PODE ESTOURAR O MUMM E LEVANTAR O TROFÉU! SEBASTIAN VETTEL E SUA RED BULL VENCEM O GP DA AUSTRÁLIA!

Prêmio Bandeira Quadriculada: Sergio Perez, o apimentado. Se sua Sauber continuar firme, terá um bom ano.
Prêmio “Vai pro Box“: Michael Schummacher. Não começou a temporada. Nem sei se vai começar.

Os caras vem aí

 

Imagem: UOL Esporte

 

UPDATE: Os dois carros da Sauber foram desclassificados pela asa traseira estar fora de medida regulamentar. By Carlão

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s