Resenha: A harmonia do mundo

Resenha originalmente escrita para o blog Ciensacional ( http://ciensacional.com.br/) em outubro de 2011

Imagine você, um professor universitário, que se vê superado pelo seu pupilo. E o que sente? Raiva? Orgulho? Não, uma grande frustração. Esse é o caso do mestre Michael Maestlin. Ele foi o mentor de um dos maiores físicos da história: o alemão Johannes Kepler. E esse caso é contado no romance “A harmonia do mundo”, escrito por Marcelo Gleiser e lançado pela Companhia das Letras em 2006.

Kepler, assim como Copérnico, também acreditava que os planetas giravam em torno do sol. E isso em uma época em que a igreja católica e o seu próprio mestre diziam justamente o contrário, que o sol girava em torno dos planetas. Soma-se a toda essa celeuma cientifica o fato de estarmos em plena Contra Reforma do século XVII, ou seja, os nervos estavam à “flor da pele”.

E, como se já não bastasse, Kepler vinha de família humilde, tem a vida arrasada pela morte da mulher e pela constante falta de dinheiro. Isso até se tornar matemático oficial do reino da Dinamarca por influência de outro físico, Tycho.

Toda a história é narrada a partir do diário que Kepler escreve para Maestlin antes de morrer. Aí está um ponto positivo que podemos encontrar descrito na “orelha” do livro: “Baseado em ampla e cuidadosa pesquisa, narrado num estilo saboroso, “A harmonia do mundo” relata (…) numa conjunção, talvez única, a fé inabalável nos desígnios de Deus e o anseio místico por demonstrá-los na perfeição do universo”. Resumindo: essa cuidadosa pesquisa feita pelo autor ajuda muito no entendimento da obra.

Como se trata de um romance, as fórmulas e teorias desenvolvidas por Kepler acabam em segundo plano, diante de todo contexto histórico dado por Gleiser durante a narrativa.

Sobre o autor

Marcelo Gleiser nasceu no Rio de Janeiro em 1959. É físico, astrônomo, escritor, roteirista e leciona em diversas universidades dos EUA. Como escritor foi ganhador do prêmio Jabuti pelas obras “A dança do universo” (1997) e “O fim da terra e do céu” (2001). Seu último livro é “Criação imperfeita: Cosmo, vida e o código oculto da natureza”, lançando em 2010.

Um romance físico

2 pensamentos sobre “Resenha: A harmonia do mundo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s