SuperBowl XLVI: Os Gigantes vencem os Patriotas

Quase 1 da manhã do dia 6 de fevereiro. Eu não estava com o menor sinal de sono. Tinha acabado de ver Tom Brady, Quarterback do New England Patriots, lançar um hail mary (também conhecido como “seja o que Deus quiser”) para a endzone. Lá dentro, um monte de rinocerontes com pernas estavam pulando para capturar a bola oval. Sem sucesso. Bola no chão. New York Giants campeão do SuperBowl. Um Manning volta a brilhar.

Isso pode não significar nada pra você. Para mim, foi um ponto final no parágrafo da temporada 2011/2012 do esporte que me propus a conhecer. Como é inevitável, acabei me apaixonando.

Esse SuperBowl foi um excelente resumo do que é o futebol americano. Logo no começo, o craque fez um gol contra. Tom Brady se livrou da bola intencionalmente dentro de sua endzone, sem ter ninguém na direção do lançamento e, por isso, o time adversário ganhou dois pontos. Jogada rara, ainda mais se tratando de Tom Brady.

Os Giants abriram 9 a 0, mas os Patriots terminaram o primeiro tempo com 10 a 9. Ah, como são belas as viradas impossíveis…

No ultimo quarto, um fantástico controle de tempo. Eli Manning, Quarterback dos Giants, foi brilhante ao gastar o máximo de tempo possível. Lançou uma bola mais do que perfeita para Mario Manninghan (não se perca pelas letras), considerada por muitos A jogada desse SuperBowl.

Reparem nos pés do maluco que recebeu a bola. Uma bailarina de capacete

Nessa mesma campanha, Ahmad Bradshaw, de bunda na endzone, marcou um Touchdown a 57 segundos do fim da partida. Pouco tempo? Não. O futebol americano SEMPRE tem tempo para mais algum lance.

Tom Brady tinha nas mãos a bola que poderia decidir a partida. Ele deveria vencer 16 jardas para manter o sonho vivo. Na ultima tentativa ele conseguiu. Sobraram 9 segundos. Pouco tempo? Mas eu não disse que na NFL SEMPRE tem tempo?

É aí que voltamos ao primeiro parágrafo desse texto.

Os Giants se classificaram para os playoffs no sufoco (ou seja, foram brilhantes na hora da onça beber água). Venceram o melhor time da temporada, na casa do adversário (e com um frio de congelar água de mangueira). Venceram também a sensação do campeonato, o San Francisco 49ers, também em terras hostis. Eli Manning acabou com a gracinha de ser apenas o irmão mais novo de Payton Manning (considerado um dos maiores QBs dos últimos tempos). Agora Manning tem 2 SuperBowls, contra 1 de Manning. Rá.

Pra fechar, venceram (de novo) Tom Brady, detentor de vários records da NFL. Se isso não é um título merecido, eu não sei o que é.

A Lu Naomi, do Batata Transgênica, também fez seu relato sobre as emoções desse jogo. Um agradecimento especial a ela por me apoiar na dura decisão de torcer para os 49ers… :P

2 thoughts on “SuperBowl XLVI: Os Gigantes vencem os Patriotas

  1. FTW o touchdown de bunda!

    esse ano não deu pro niners mas nem fico chateada porque o time melhorou enorme em relação às temp mais recentes, agora não preciso mais me envergonhar deles. perderam mas não largaram o osso.

    \o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s