A TV pode salvar o nosso futebol

Não vou falar, aqui, sobre os desmandos na segurança do jogo entre Atlético Paranaense X Vasco da Gama. Mais uma vez, mostramos o quanto somos despreparados nesse sentido.

Quero falar sobre a situação da Rede Globo:

Ela decide transmitir a partida em rede nacional, nas antenas parabólicas, e aí acontece a barbárie que aconteceu. Se eu fosse diretor da Globo, que é quem paga o futebol brasileiro, faria o seguinte: diante de todo prejuízo tomado pela emissora, ao deixar de passar o Faustão e perder alguns milhões em merchandising pelo atraso forçado na programação, ligaria para o seu Marin na CBF.

Por que a omissão dessas “autoridades”, além de toda surrada questão da violência em nossos estádios, mexeu com as finanças da parceria da Confederação. Agora, a Globo tem uma situação de ouro nas mãos: ela, com todo seu poder, pode  mostrar o balancete e pressionar por melhores condições de segurança para o torcedor de futebol no PAÍS DA COPA DO MUNDO!

E AGORA? Esse é o momento de exigir mudanças. O Bom Senso FC está ai para mostrar isso. Chegou-se ao limite da omissão e se continuarmos assim, cegos, mais vidas irão se perder nas mãos de babacas sem cérebro e o produto futebol perderá seu valor, ainda mais.  A bola está com a “Vênus Platinada”.

Madiba

Não importa o seu idioma, credo ou cor. Madiba significa falar em união, liberdade e respeito.

As palavras, quando bem empregadas, podem mudar vidas, dar coragem aos desamparados e segregados. Segregação? No dicionário dele, essa palavra nunca existiu.

Ele venceu as correntes da prisão com a força dos gestos, palavras e pensamentos. Para ele, o homem deveria ser sinônimo de razão e paixão. Paixão por todos os seus semelhantes, do gueto ao bairro de alto padrão, todos eram iguais, perante sua humildade.

Que todos os tambores do mundo, agora, rufem. Ele chegou ao céu.

Céu de estrelas, onde todas tem o mesmo brilho. Brilho forte e intenso como seu olhar. Olhar de Pai. Pai da África.

download

F1 2013: GP de Abu Dhabi

Vettel ‘brinca’, de novo, e vence a 7ª seguida. Só areia movediça é capaz de pará-lo?

Webber largou na frente, mas o canguru ficou ‘manco’ e terminou em 2º. Quem sabe ele consegue uma vitória antes de colocar o chinelo do aposentado?

Rosberg, em outra prova consistente, terminou em 3º. Grosejan, confirmando a boa fase, terminou em 4º.

Agora, os grandes destaques da corrida foram as Ferraris. Felipe Massa foi muito bem, até o 2º pit stop. Antes disso, o piloto brasileiro fez belas ultrapassagens e foi muito agressivo. Tão agressivo que os pneus, acabaram.  Já Alonso, poupou melhor o equipamento e escolheu uma estratégia de box melhor. Colocou pneus macios e deu uma pequena ‘escalada’. Chegou em 5º, pelo menos, até agora. Não é, Frank?

Lotus, paga o Räikkönen! Ele tá bravo porque não consegue comprar ‘Gold Label’ aos montes!

Próxima corrida: GP dos EUA, dia 17 de Novembro.

Pitaco do Frank: A bela paisagem de Abu Dhabi deixou os pilotos um tanto quanto agressivos:

Na saída dos boxes, Alonso, no embalo, dividiu reta, curva, sorte, noiva russa, bilhete de loteria e tudo o que teve direito com Vergne (STR). Chegou mesmo a sair da pista, bater na zebra e soltar faísca. Logo atrás, Massa freou tudo e mais um pouco para não provocar uma batida, indo dar um passeio na área de escape da curva, só para garantir. Por muito pouco não aconteceu um acidente bem feio. Devagar é que eles não estavam. Incidente a ser investigado após a corrida.

Hülkenberg também experimentou seu momento “tá todo mundo louco, oba”: passou NO MEIO de duas STR. A família do rapaz dispensa essa emoção.

Em outro trecho da corrida, Hamilton atacou Sutil, sem sucesso. É duro passar essa Force Índia. Na segunda tentativa, sucesso, mas não por muito tempo. O alemão deu o troço em cima do inglês. Nessa bagunça, abriram uma brecha por dentro, espaço perfeito para Massa, corajosamente, mergulhar e passar a Mercedes. Manobra ousada do brasileiro. Depois, passou Sutil, que acabou ultrapassado por Hamilton e, mais tarde, por Alonso.

Por fim, Kimi Räikkönen até tinha conseguido uma boa posição no grid, no entanto, os fiscais da FIA descobriram que a asa frontal flexionava mais que o permitido. A equipe alega a quebra de uma peça de sustentação. Lá atrás largou e, na primeira curva abandonou, com a suspensão quebrada. Sem pagamento, sem grid, sem suspensão, sem corrida. Tudo errado com nosso Iceman. Vai afogar as mágoas no picolé.

Não posso terminar o pitaco sem citar a parada do Massa: No  último pit stop, o mecânico engasgou para colocar a roda dianteira esquerda. De novo. Alguém consegue contar quantas vezes erraram nas paradas no brasileiro, sem patriotada? O lado bom é que, pelo menos, ESSE tormento vai acabar.

Massa

Massa, em suas últimas corrida com o cavalinho rampante

F1 2013: GP da Índia

Prefácio do tetra

Sebastian Vettel foi tretacampeão. Do alto dos seus 26 anos, ele alcança a glória máxima do automobilismo pela quarta vez consecutiva. Muito provavelmente, Alonso, com equipamentos iguais, seja do mesmo nível. Mas, não importa. O que esse muleque fez é para muito poucos. Ele é gênio? sim, mas, é humano também com falhas e defeitos. O que não apaga a consistência e a velocidade de “Seb”, que junto com Adrian Neway “deram asas” a uma máquina. Agora, Senna e Fangio, te aplaudem do céu. Isso, sem falar, em Schumacher, Hill, Villeneuve, Fittipaldi, Piquet, Prost, Mansell, Button, Lauda, Stewart e, muitos outros campeões, te reverenciam, menino! São por pilotos como você, que estamos aqui. Parabéns!

Imagem

Os outros

Rosberg: consistente na prova. Soube escolher a estratégia certa de corrida. Premiado com o 2º lugar.

Grosejan: para confirmar a sua permanência na Lotus e a sua evolução, foi muito bem! Largou em 17º e chegou em 3º.

Massa: bela prova do brasileiro! Dentro das atuais condições da Ferrari, e dele próprio, grande 4º lugar. Vejamos para onde vai.

Hamilton: corrida burocrática. 5º lugar.

Alonso: dois ‘totózões’ na largada. Uma prova trágica. Pelo menos, poderia ter brigado, lá na frente.

Webber: péssima largada e grande prova, até o alternador quebrar. Acontece… Mais com ele, é verdade!

Próxima prova: GP dos Emirados Árabes, dia 3 de novembro.

      

F1 2013: GP da Coreia do Sul

A corrida que pegou fogo. Literalmente.

Só não pegou fogo na ponta, pois, o Vettel apaga qualquer faísca, rapidinho. O danado venceu de ponta a ponta, de novo. Deem o título logo para o rapaz, poxa vida. Na largada, o Grosejan passou o Hamilton e assumiu a 2ª posição. Enquanto isso, Massa tentou escalar Alonso e Gutierrez, mas acabou rodando, por isso, teve que fazer uma prova de recuperação. Chegou em uma boa nona colocação.

Mas, a Ferrari não estava em uma boa jornada. Alonso foi burocrático, além de o carro não ter achado o acerto ideal para o fim de semana. Conseguiu algumas boas brigas com Hamilton e , principalmente, Hulkenberg. Aliás, o garoto merece uma atenção especial. O alemãozinho largou em sétimo e aproveitando toda a confusão na largada pulou para quinto.

Ai, foi ficar no cangote do Hamilton para, em um momento de distração do piloto inglês, assumir a 4ª posição. E olha que ele aguentou a pressão do Hamilton e do Alonso. Tem braço, o menino!

E o Raikkonen, hein? Daquele jeito.. na dele. Foi escalando, escalando, passou seu companheiro, e chegou em 2º com Grosejan em 3º.

Agora, o destaque, mesmo, foi o Webber. Ia largar em 3º foi punido e perdeu dez posições. Mas, não era só! Após um toque com Sutil, segundo o australiano, o KERS começou a pegar fogo. Tá vendo Rede Bull? fica comprando coisa vagabunda, olha no que dá.

O fogaréu gerou um safety car. O segundo, na verdade, já que o primeiro foi causado pelo Perez, após uma dechapada no pneu.

O campeonato

1º Vettel 272 pts; Alonso 195 pts; Raikkonen 167 pts; Alonso 161 pts; Webber 130 pts; Rosberg 122 pts; Massa 89 pts

Próxima prova: GP do Japão, 13 de Outubro.

F1 2013: GP da Itália

Apesar do bom traçado, a prova foi bem modorrenta.

Que começou com uma largada animada: Vettel disparou mas, Massa foi astuto para passar Hulkenberg, dar um ‘totó’ no Alonso e, por fora, assumir a 2ª posição.

Alonso se estabeleceu em 4º com Webber em 3º. Mas, não demorou muito para o espanhol passar Webber em uma bela manobra. Enquanto isso, Massa vinha com um bom ritmo de corrida, até que ,claro, veio o ‘sinal’ dos boxes da Ferrari: Alonso chegou e passou Massa. Até que, dessa vez, fizeram de uma maneira mais decente.

Lá na frente, Vettel vinha enfrentando problemas com o pneu dianteiro esquerdo. Alonso foi diminuindo a diferença, até o pit-stop do alemão. Ai, nessa parte a Ferrari fez uma tática kamikaze obrigando o espanhol a esperar uma chuva, que não veio. Resultado: Vettel voltou para a ponta para vencer a prova e Alonso voltou do pit com Webber fungando no gangote.

Se enssaiou uma disputa entre os dois, entretanto, nada aconteceu e cruzaram a linha de chegada desse jeito mesmo.

Massa fez uma boa prova. Ele pode respirar um pouco, mas bem pouco, aliviado.

O campeonato: Vettel 222 pts; Alonso 169 pts; Hamilton 141 pts; Raikkonen 134 pts; Webber 130 pts; Rosberg 104 pts; Massa 79 pts.

Próxima prova: dia 22 de Setembro, em Cingapura

Rolando Boldrin

Volto com a OPINIX musical para falar, não só, de um cantor, compositor, escritor e apresentador de TV. Mas, talvez um dos poucos ‘showman’ existentes no Brasil, hoje em dia: Rolando Boldrin.  

Lançou seu primeiro disco em 1974. O disco se chamava ‘O Cantadô’. São maiores sucessos são: Vide Vida Marvada  e Eu, a Viola e Deus.

Sempre tendo como temática a vida da roça, Boldrin é um dos grandes defensores do folclore brasileiro e das coisas do campo. Outra grande característica sua são os ‘causos’ contados por ele, e que muitas vezes, são escritos pelo próprio.

Idealizador do programa ‘Som Brasil’ exibido pela Globo, até os anos 90, Boldrin pode ser visto no ‘Sr. Brasil’ na Sesc TV e na Rede Pública de Televisão

E vamos tirar o Brasil da Gaveta, sô!

Discografia

  • (2006) Senhor Brasil-Rolando Boldrin e convidados – Ao Vivo • Intercd e Cultura Marcas • CD
  • (2000) Rolando e Boldrin-O disco da moda • Kuarup • CD
  • (1999) Esquentai vossos pandeiros • LP
  • (1994) Grandes sucessos de Rolando Boldrin • RGE • CD
  • (1994) Rolando Boldrin • Continental/Warner • CD
  • (1993) Disco da moda • RGE • CD
  • (1991) Perto de casa • LP
  • (1990) Empório Brasil • RGE • LP
  • (1989) Resposta do Jeca Tatu • RGE • LP
  • (1985) Clássicos do poema caipira • Ariola/Barclay • LP
  • (1984) Empório brasileiro • Ariola/Barclay • LP
  • (1982) Poemas do Som Brasil • Som Brasil • LP
  • (1982) Violeiro • Som Brasil/RGE • LP
  • (1981) Caipira • Som Brasil • LP
  • (1980) Giro-o-giro • Continental • LP
  • (1980) Inventando moda • Continental • LP
  • (1979) Rio abaixo • Continental • LP
  • (1979) O melhor de Rolando Boldrin • Chantecler • LP
  • (1978) Longe de casa • Continental • LP
  • (1976) Êta mundo • Chantecler • LP
  • (1974) O cantadô • Continental • LP