Couro de boi

Dias desses resolvi, na aleatoriedade, ouvir alguma rádio (não pergunte o porquê. Apenas aceite o fato e siga em frente). A estação sorteada foi a Terra FM, especializada em música sertaneja. Percebi que o programador daquela hora (tarde da noite) se esforçava para mesclar o chamado Sertanejo Universitário com as antigas modas de viola (o que é muito justo, diga-se de passagem). Numa dessas, eu ouvi uma das musicas mais tristes que já passaram pelos meus fones de ouvido.

Em itálico, a letra da música. Entre parênteses, alguns comentários meus.

Couro de boi (Sérgio Reis)

Sentindo o peso dos anos sem poder mais trabalhar
O velho, peão estradeiro, com seu filho foi morar

(Justo… os aposentados do país merecem um descanso após contribuir tantos anos para o progresso do Brasil. O filho, provavelmente com mais posses, deve ter cedido um quartinho ao pai, provavelmente viúvo).

O rapaz era casado e a mulher deu de implicar
“Você manda o velho embora, se não quiser que eu vá”

(Depois reclamam da sogra! Olha que megera essa nora! Mandou na lata um “ou ele ou eu”. Mas o que é que o velho (não) fazia? Flatulência brava? Não lavava louça? O que ela queria, afinal. Bom… espero que o filho dê um jeito nessa situação estranha).

E o rapaz, de coração duro, com seu velho foi falar

(Alá… agora… ele vai falar pro velho ficar e dar um pé na bunda da esposa)

Para o senhor se mudar, meu pai eu vim lhe pedir
Hoje aqui da minha casa, o senhor tem que sair

(O QUÊ?? Ah não… mas será o Benedito? O rapaz escolheu ficar com a esposa. Espera aí… ele disse HOJE? Assim, sem mais nem menos? Mandou ralar peito, picar a mula, passar sebo nas canelas, se pirulitar e outras expressões estranhas para um simples “ir embora”? Ele deve, pelo menos, colocar as roupas do velho em uma mala e levá-lo até a rodoviária, né? Decência e dignidade JÁ!).

Leve este couro de boi que eu acabei de curtir
Pra lhe servir de coberta aonde o senhor dormir

(Que filho da p***!!!! Não bastasse enxotar o velho, ainda o faz sem recurso algum! Esse couro de boi curtido é só de sacanagem, só pela galhofa. Que baita sacanagem! Estou indignado).

O pobre velho, calado, pegou o couro e saiu
Seu neto de oito anos que aquela cena assistiu
Correu atrás do avô, seu paletó sacudiu

(Coitado do velho… mandou, ele foi. Sozinho, pé na estrada de terra. Ainda bem que o neto correu atrás, para dar algumas palavras de incentivo, um abraço ou mesmo pedir para o velho ser forte e lutar! É o mínimo para se fazer numa situação horrível dessas).

Metade daquele couro, chorando ele pediu.

(Vai tomar Nokum! Só tem sacana nessa família? O coitado de velho saiu com uma mão na frente e outra atrás, com uma porcaria de um couro curtido, aí o moleque vai e pede METADE? Ele espera que o velho cubra só o peito ou só o pé? Vai encher o saco da vizinha e deixa o teu avô em paz, rapaz).

O velhinho, comovido, pra não ver o neto chorando
Partiu o couro no meio e pro netinho foi dando

(É né… o velho tem coração de manteiga. Não teria coragem de negar esse último presente. Além de trabalhador, paciente, resignado, o vovô tem bom coração. Esse vai pro céu).

O menino chegou em casa, seu pai foi lhe perguntando
Pra que você quer este couro que seu avô ia levando

(Só me falta o pai mandar o moleque buscar a outra metade. Como só tem traíra, eu não duvido de nada).

Disse o menino ao pai: Um dia vou me casar
O senhor vai ficar velho e comigo vai morar
Pode ser que aconteça de nós não se combinar
Essa metade do couro vou dar pro senhor levar

(Maaaaa oeeeeeeee! Olha o plot twist aí! Toma na cabeça! Chupa, que essa manga é doce!)

Black Friday

[Noite. Festa chique. Dois amigos se encontram na beira da piscina. O mais alto segura um drink com guarda-chuvinha decorativo. O mais baixo inicia a conversa]

Grande Januário, meu capitão do time de 79!

Ô, Alberto! Melhor beque central que eu já vi jogar! Que bom que você veio, rapaz!

E como é que eu poderia faltar nessa tua festa!? Não é todo dia que se fica entre as 48 personalidades destaque pela Revista Business & Business. Você merece!

Obrigado, obrigado. Mas esse prêmio, na verdade, eu tenho que compartilhar com todos vocês. O que eu faria da minha vida sem todos aqueles que estão aqui? O prêmio é de vocês também!

Imagina… você é que é o maioral. Tá até mais magro!

Pff… falando em mais magro, você vai estar ocupado na terça-feira da semana que vem? Aqui em casa mesmo eu vou receber o prêmio das “11 melhores combinações de terno e gravata da cidade”, promovida pela Camisaria Cabral. Essa mistura de verde limão e roxo escarlate, tradicional, sempre agrada.

Outro prêmio? Tá muito chique esse meu amigo! É claro que eu venho! O que eu teria para fazer de bom em uma terça-feira a noite? A patroa que fique com a novela.

Então marca na agenda: mês que vem tem o “Prêmio Lambreta Destaque”, o “Melhor Carta Postada no Correio”, “Prêmio Salada Mista de melhor Churrasco do Bairro” e… qual mais, mesmo? Tinha mais um… [estala os dedos] ah sim, ia quase me esquecendo… Venci o prêmio de “Melhor Dedão do Pé Esquerdo” do país…

Dedão do pé esquerdo? Ué… é aquele lá que vivia cheio de frieira? Impossível.

Sim… e eu tenho que admitir que ele ainda tem frieira. Das bravas, rapaz…

Então Januário, cacete. Como diabos é que você ganhou o prêmio?

Comprei tudo naquela tal de Black Friday…  Nunca vi tanto desconto junto. O do churrasco estava pela metade do preço. O da Lambreta uma pechincha. E eu não resisti quando eu vi esse esse do dedão do pé esquerdo… também sou humano, né? Me dei um presente.

Eu não acredito. VOCÊ TEVE CORAGEM DE COMPRAR ESSES PRÊMIOS?

Claro que tive. Paguei no cartão, parcelado e sem juros!

Mas me fala uma coisa, então: chegaram todos direitinho?

Dentro do prazo! Essa tal de Black Friday é uma maravilha!

Ah, então eu não posso perder a do ano que vem…. minha esposa vai adorar o Prêmio de Lavador de Louça Honorário, Malabarista Destaque e aquele lá que lista os melhores…

aperto-de-maos_21097209

F1 2013: GP do Brasil

Em uma prova tensa, Vettel vence com sobras mais uma vez. Webber, Perez e Massa se despedem de suas equipes com boas corridas: o primeiro com pódio, o segundo com uma escalada fenomenal e o terceiro com uma boa prova, atrapalhada por uma punição besta, mas justa.

Climão de fim de festa. Assim Interlagos recebeu a última prova da temporada 2013. A chuva torrencial da classificação não foi convidada para o início, mas ameaçava aparecer de surpresa durante do Grande Prêmio. Não veio com força, para a tristeza de todo mundo.

Começo eletrizante! Surpresa na largada! Rosberg acelerou mais que Vettel e ultrapassou o alemão. Segurou uma volta inteira, mas sua Mercedes não foi párea para a Red Bull.  Alonso perdeu posição para Hamilton na primeira curva, recuperando na segunda volta. Massa passou alguns carros também, posicionando-se bem.

Grosjean não durou as duas voltas. O motor fumou e o Ministério do Automobilismo adverte: fumar pode causar abandono de corrida. Au revoir, monsieur!

Mais para a metade da prova, uma briga interessante: Hamilton tentava passar Massa e andou por um bom tempo atrás do brasileiro. Chegaram a travar rodas no fim da reta dos boxes, complicando a tangência para o S do Senna. Show de pilotagem.

No auge da briga, os comissários viram a Ferrari  do brasileiro cruzando uma faixa branca na entrada dos boxes, algo proibido. Ao ser avisado pelo engenheiro, Massa ficou um tanto quanto revoltado. “Incrível! Inacreditável!” bradou pelo rádio. Sim, a regra é estúpida, mas que ele passou, passou. Drive-through

punição

Não pode cruzar a faixa branca com as 4 rodas após aquele “gap” na faixa contínua. Tá bem claro, não?

Bottas tentou ultrapassar Hamilton por fora e as rodas se acertaram. Os dois pneus furaram. Pior para a Williams que parou na área de escape, com a suspensão torta. Hamilton ainda conseguiu levar a Mercedes de volta, mas a corrida ficou comprometida. Se já estava ruim, o drive through para o inglês tornou tudo ainda pior. E o cara de pau ainda pergunta o que foi que ele fez… É um brincalhão, mesmo.

Congestionamento no box da Red Bull (!). Os mecânicos engasgaram na troca de Vettel e Webber ficou esperando. E na vez dele, ficou parado mesmo. Leve indecisão sobre qual pneu usar, já que o tempo fechava cada vez mais. Em São Paulo, ficar parado é obrigação. Fontes asseguram que ele recebeu panfleto de algum empreendimento imobiliário nesse meio tempo.

E por falar nele, SEBASTIAN VETTEL! 9 vitórias consecutivas, 13 vitórias na temporada! Um mito construído nas manhãs de domingo, diante dos nossos olhos, pelos últimos 5 anos. E por quantos anos mais?

MARK WEBBER! Pódio esperto e merecido na sua despedida da F1. Andou sem luvas e capacete por uma volta, cara ao vento, após a corrida. Cena fantástica!

webber

O adeus do Canguru. Mas deixe os anéis de cebola, por favor…

FERNANDO ALONSO, o melhor entre os mortais! Sempre tirando mais do que sua Ferrari oferecia. Ano frustrantes mais pelo que poderia te sido do que pelo que foi de fato.

Destaque para a ressurreição da McLaren. Button largou em 14º e chegou na 4ª posição. Perez terminou em 6º, ganhando 13 posições. Essa é a equipe que eu conheço!

Massa dá adeus a Ferrari com um 7º lugar. Que a Williams seja uma casa confortável e faça um carro minimamente decente.

O campeonato de pilotos terminou assim: VET (397 pts), ALO (242 pts), WEB (199 pts), HAM (189 pts), RAI (183 pts), ROS (171 pts), GRO (132 pts), MAS (112 pts), BUT (73 pts), HUL (51 pts), PER (49 pts), RES (48 pts), SUT (29 pts), RIC (20 pts), VER (13 pts), GUT (6 pts), BOT (4 pts), MAL (1 pt), BIA, PIC, KOV, GAR e CHI não pontuaram.

A briga entre construtores acabou assim: Red Bull (596 pts), Mercedes (360 pts), Ferrari (354 pts), Lotus-Renault (315 pts), McLaren-Mercedes (122 pts), Force India (77 pts), STR (33 pts), Williams (5 pts), Marussia e Caterham não pontuaram.

Agora, só em março de 2014 os motores voltarão a roncar. Bastante tempo pra as escuderias colocarem  as casas em ordem.

Obrigado Fórmula 1.

vettelO casal perfeito: Vettel e seu Touro Vermelho querem mais recordes!

Eu votei Sarney! E você deveria ter votado também..

Quando a vida te dá um limão, você faz uma limonada (ou qualquer outra receita da maravilhosa Cozinha da Ofélia). Mas e quando a vida te dá uma arroba no Twitter, uma alcunha na rede social de mensagens curtas, com um nome famoso em outro país?

Ontem, 18 de novembro, o personagem Félix, da novela Amor à Vida, confessou ter jogado a filha de sua irmã em uma caçamba de lixo, minutos após o nascimento do bebê. A atuação do ator Mateus Solano foi bastante elogiada nas redes sociais (e isso significa algo, uma vez que o padrão é, normalmente, a crítica. A qualquer coisa).

Quem não entendeu absolutamente nada foi o @felix. Morador de New York, é co-fundador de um site de “Hack Food”, que, se bem entendi, se propõe a criar um aplicativo (ou algo do gênero) para facilitar uma prática muito bizarra: deliberadamente, pedir a troca de ingredientes em fast foods para que eles se transformem em “outro prato”, custando bem menos. Literalmente hackear a comida. Esse texto Financial Post explica um pouco melhor o que diacho é isso.

No fim das contas, sabe o que isso significa? Isso, absolutamente nada. Ele não tem o podrão da esquina que tanto você gosta e que dia após dia entope suas artérias.

Ontem, após a cena com a carga dramática elevada, ATÉ ELE parece ter ficado curioso:

felix

Até o final da novela é bem possível que ele sofra um pouco mais. Ou comece a acompanhar a novela do Walcyr Carrasco, vai saber.

Mas e quando a arroba sorteada não é exatamente… popular? A @sarney que o diga!

not sarney

Moradora do Colorado, sua breve descrição no Twitter é: “Product management at Kapost ….and loose cannon! Eu não sou José Sarney! (I am not José Sarney, a lawyer, or a Brazilian lawyer). I know it’s confusing“. E sim, ele é realmente advogado, segundo o site do Planalto!

Sempre que alguma acusação contra Sarney (o nosso, não a deles) volta para os holofotes da mídia (o que provavelmente acontece de tempos em tempos), a linha temporal da moça é invadida por comentários, nem todos simpáticos. Imagina ser xingado, em outra língua, por causa de alguém que você não conhece, nem faz ideia de quem é?

Entretanto, aqueles limões no começo do texto viraram uma limonada. Sarah aproveitou sua influência (?) entre os amigos brasileiros para pedir votos. O mundo é ou não uma caixinha de surpresas?

vote sarney

O pedido, em português, foi para um projeto online do marido da moça, sobre uma plataforma de compra de aplicativos para celular. Os votos eram computados por uma espécie de “incubadoras de idéias”. Para ter a chance de ser escolhido por um painel de juízes (e ganhar uma boa grana para seu desenvolvimento), o projeto precisava ter, ao menos, 250 votos.

Pedido feito, pedido aceito, afinal, somos brasileiros e não medimos esforços para ajudar aqueles que precisam! O projeto obteve 290 votos (!) e está na briga para, em 2014, ser o agraciado pela bufunfa.

Apesar dos contratempos, a moça parece que tomou afeição pelas terras tupiniquins. Ainda no Twitter, postou uma foto do próprio filho segurando uma bola verde e amarela, na qual estava escrito Brasil. E com “S”, o que é mais surpreendente…

Sendo assim, não sinta vergonha! O Brasil ajudou Sarney em mais uma eleição. 

E você deve se orgulhar disso…

F1 2013: GP dos Estados Unidos

Em prova burocrática, Vettel laçou mais um recorde (8 vitórias seguidas), Grosjean mostrou um gatilho mais rápido que Webber e o cartaz de “Procura-se, vivo ou morto” continua estampando a McLaren.

Nem um Pacaembu com apenas 20 mil pessoas é capaz de separar a F1 do seu público fiel. Enquanto o jogo se arrastava em terras paulistanas, com este que vos escreve entre as (coitadas) testemunhas, Austin via Sebastian Vettel cumprir o protocolo e cravar mais uma vitória. Com sobras. De novo. Esse saloom tem dono e a pianola toca do jeito que ele quer.

Ao contrário dos 22 jogadores que eu assistia, Vettel não errava o passo e caminhava para mais um recorde, você escolhe qual: vitórias, poles positions, campeonatos, número de amendoins atirados ao alto e coletados com a boca aberta… Seu companheiro de equipe, por outro lado, mantém a tradição e a regularidade: o canguru Webber larga mal demais! Logo de cara perdeu posição para Grosjean.

O pódio ficou do jeito que a corrida começou. A Lotus tem muito o que agradecer ao francês nessa temporada. O menino estabanado ainda comete das suas, entretanto, é inegável seu crescimento. Palmas para Grosjen.

Kovalainen, pegando emprestado o carro de Raikkonen (oportunamente operado nas costas), não foi tão feliz. Foi obrigado a trocar o bico do carro apenas 14 voltas depois de ter feito seu pit stop. Fica para Interlagos, amigão.

As Ferraris? Só vi uma. Foi um carro vermelho pilotado por um espanhol. Esse aí terminou em 5º, mas fez uma corridinha bem chinfrim. Suficiente para assegurar um vice-campeonato. Me falaram que outro carro vermelho, pilotado por um brasileiro, terminou em 12º seria 13º se Vergne não tivesse sido punido com 20″, após a prova). Esse não era uma Ferrari. Não PODE ser uma Ferrari.

Por fim, palmas para Bottas. Um belo final de semana, culminando com a zona de pontuação. QUINTUPLICOU a pontuação da Williams. 4 pontos inteiros só para ele! A primeira vez não se esquece.

A próxima corrida encerra o campeonato. O cai o pano acontece em Interlagos, aos 24 dias do mês de novembro. Previsão de chuva nos 3 dias.

Dança das cadeiras, digo, dos cockpits:

Vale a pena destacar a movimentação dos pilotos, com vistas para 2014. Ninguém é de ninguém!

Raikkonen sai da Lotus e vai para a Ferrari. Massa dá adeus a Maranello e desembarca na Williams. Na McLaren, sai o mexicano Checo Perez (pê da vida) e chega o famoso dinamarquês Kevin Magnussen, com apenas 21 anos. Na Red Bull, não custa lembrar, Webber aposenta o macacão na F1, cedendo o lugar para Ricciardo. Essas já estão 100% confirmadas.

Na Williams, Pastor Maldonado sai e pode pintar na Lotus. Tudo certo, mas a nova investidora, a tal da Quantum, parece preferir Hulkemberg. Com razão, diga-se de passagem. Cenas dos próximos capítulos.

Quem será que sobra fora da roda? Já pode cravar o Alonso na McLaren em 2015 ou está muito cedo?

20131118-011542.jpg

Torcida típica do Texas. Não, pera…

UFC Fight Night 32: Belfort x Henderson

Um explosivo Vitor Belfort nocauteia Dan Henderson de forma avassaladora e se credencia para disputa de cinturão. O Fenômeno está de volta?

43 anos e nenhum nocaute dentro do UFC. Dan Henderson não é exatamente o tipo de cidadão que você queira enfrentar de peito aberto. A mão pesada do americano já foi sentida pelo brasileiro em outra ocasião, ainda no PRIDE, em 2006. Vitória por decisão unânime.

O novo embate aconteceu na quente Goiânia. Uma vitória de Belfort significaria a chance de disputar o título dos médios contra Anderson Silva ou Chris Weidman (lutam dia 28 de dezembro). Para Henderson, uma derrota poderia significar pendurar as luvas e calçar o chinelinho de aposentado. Veteranos lutando pelo futuro.

Soa o gongo! O round começa com 1 minuto inteiro de estudos e nenhuma tentativa de golpe. Apenas a troca de olhares e na procura da distância perfeita.

E então a avalanche. Hendo partiu para cima, cabeça baixa e braço direito tentando acertar Vitor. Jeito estranho de atacar. Não esperava, contudo, uma esquerda em uppercut de Belfort, que pegou em cheio. Deu para ver os dois (!) pés do americano fora da lona e o corpanzil indo para o chão. Fantástico! Que choque! E dá-lhe ground and pound violento. Cidadão acertou toda e qualquer brecha que um atordoado Henderson deixava sem proteção.

Dan até conseguiu levantar, cambaleante, para tentar ensaiar uma reação. Se conseguisse respirar já estava de bom tamanho. Belfort foi MUITO mais rápido para encaixar um chutaço com a esquerda, bem na têmpora. Game over. Alguém anotou a placa do rinoceronte?

Claramente Henderson perdeu a luta na tentativa desastrada de acertar Belfort a qualquer custo. A primeira investida passou no vazio, mas ele não recuou. Tentou, no embalo, o mesmo golpe, ainda de cabeça baixa. A mão de Vítor, de baixo para cima, desestabilizou completamente o americano. O impacto teria feito muita gente dormir.

Por sua vez, Belfort foi muito ágil quando percebeu a oportunidade. Não deu espaço para Hendo reagir, respirar ou pensar. Zeinho não deveria lembrar nem onde estava, com a saraivada de punhos partindo de todos os lugares. E acertando todos os lugares. Uma avalanche de golpes e, por fim, um chute certeiro, quando o americano ameaçava escapar pela direita. A clássica saída estratégica não deu certo.

1:17 depois do gongo, o inferno de Hendo terminou. Pode botar sua primeira derrota por nocaute na conta, rapá! O esposo da Feiticeira vem fazendo magia no octógono. Mas agora o buraco é mais embaixo.

Vem cinturão por aí ou o brasileiro vai ficar mais uma vez pelo caminho? Com a disposição (e a cabeleira pra lá de esquisita) mostrada nesta noite, alguém duvida do Fenômeno?

headshotUh… headshot!

Libertem as biografias!

Sou um fã incondicional de biografias. Grande parte da minha refeição literária se dá através desse gênero, ainda que os artistas retratados não necessariamente sejam meus ídolos. Aprendi muito sobre música lendo sobre Tim Maia e Elis Regina. Sobre televisão e humor com Bussunda. Sobre cinema (e transtornos psicológicos) com Hithcock.

Hoje as biografias estão no centro de uma ampla discussão. Mais do que elas, está em debate a liberdade de biógrafo e biografado, um de publicar seu estudo histórico e o outro de proteger sua privacidade.

nelson motta

Nelson Motta, autor de “Vale Tudo (Tim Maia)

O Procure Saber é uma associação de artistas que levantou, a princípio, uma válida e importante questão sobre direitos autorais e a fiscalização do ECAD. Na pauta há, também, as biografias não autorizadas, que, em tese, fariam biógrafo e editora lucrarem utilizando a fama do artista (inclusive com direitos para o cinema), invadindo sua privacidade e a de seus familiares e amigos.

Pena que a segunda parte seja uma enorme e completa BOBAGEM.

Os biógrafos brasileiros, ao menos os mais importantes, como Paulo César de Araújo (censurado por Roberto Carlos), Regina Echeverria (autora das biografia de Gonzagão/Gonzaguinha e Elis Regina), Nelson Motta (Tim Maia) e Ruy Castro (Carmem Miranda, Garrincha e Nelson Gonçalves) realizam um incansável trabalho de RECONSTRUÇÃO HISTÓRICA.

Jornais e revistas da época são vasculhados, bem como centenas de pessoas entrevistadas. Incontáveis também são as entrevistas já realizadas que são vistas e revistas. Locais importantes são visitados. Não é um trabalho de uma semana, um mês. É um trabalho que leva anos. A vida de uma pessoa pública já está, em grande parte, escrita. Decodificá-la e traduzi-la para o grande público é o segundo desafio. E talvez o grande medo dos biografados.

regina echeverria

Regina Echeverria, autora de “Furacão Elis”, “Gonzaguinha e Gonzagão” e Cazuza

Montar esse quebra-cabeças, com peças espalhadas ao longo de décadas, é imensamente diferente do que “noticiar” que Beltrano atravessou a rua com o cadarço desamarrado ou deixou molho de tomate cair em restaurante no Leblon. Privacidade por privacidade, o dia a dia é bem mais cruel.

As inverdades e calúnias tão temidas acontecem todos os dias em portais e colunas em jornais. Dificilmente várias pessoas confirmarão a passagem “mentirosa”. O próprio autor tem senso crítico suficiente para avisar, durante o trecho, que tal afirmação não tem a mesma base sólida que as demais. Ou mesmo nem é inserida.

Na questão da grana, os artistas tem se mostrado mesquinhos. Ou, pelo menos, sem visão de futuro. Uma boa biografia revive bons momentos e coloca sob a luz dos holofotes antigos sucessos que podem estar adormecidos. É inevitável ouvir mais musicas de determinado artista após ler sobre sua vida.

Os autores, por sua vez, tem que ser remunerados pelo seu trabalho, assim como as editoras que empregam conhecimento técnico e know-how literário nas obras. Simples assim.

Já os biografados tem que seguir sua vida, sem esperar nada em troca. Podem (e deveriam) participar do processo de elaboração do livro, rebatendo, NA OBRA, trechos que por ventura não concordem ou tenham uma visão diferente. Fulano falou que faltei a um show no Circo Voador porque bebi demais? Bem, não é bem assim… e pimba! Tenho absoluta certeza que os autores citados adorariam ter esse respaldo.

Cabe ressaltar, aqui, que as auto-biografias são tão importantes quanto as escritas por terceiros. Há passagens e memórias que só o próprio astro pode descrever o que viu, pensou, sentiu. Os livros escritos por André Agassi e Erasmo Carlos são dois bons exemplos disso.

A verdade é que cada biografia escrita ajuda a construir um pedaço da cultura e da história do Brasil. Quem dera mais corajosos ousem escrever sobre políticos, cantores, atores, esportistas. Grandes histórias seriam reveladas e períodos obscuros seriam melhor entendidos.

Wilson Simonal que o diga. Ninguém sabe o duro que ele deu. Além, claro, do biógrafo e seus leitores.

rui-castro

Ruy Castro, autor de O Anjo Pornográfico (Nelson Rodrigues), Estrela Solitária (Garricha) e Carmen (Carmen Miranda).

Aproveite e leia os textos desse blog sobre as biografias de Roberto Carlos, Gonzaguinha e Gonzagão, Marighella, André Agassi e Boni

ENEM 2013: você está ELIMINADO!

atraso

O que falar sobre essa anta?

Os dias de prova do ENEM são uma excelente oportunidade de analisar a quantas anda o futuro do Brasil. A massa de candidatos é formada por jovens (ainda no Ensino Médio ou já fora dele) que sonham com uma vaga confortável nas melhores (ou nem tanto assim) universidades do país.

A análise é menos teórica do que prática. O número de questões certas ou erradas é praticamente irrelevante quando a análise se dá no simples ato de cumprir as regras. E eu nem falo da minoria que postou fotos em redes sociais. Essa, mesmo sem querer passar ou receber informações de fora, garoteou de forma imperdoável, querendo aparecer ou sei lá o que… Sabe que não pode, mas vai lá e faz.

Pior mesmo é o número de candidatos que certamente apareceu sem o mínimo exigido para fazer a prova: RG e caneta preta. Parece algo banal, mas faz muita diferença.

Ah, mas eu só trouxe azul, não pode?“. Não, cara. A regra é caneta preta. “Mas por que não pode azul, é a mesma coisa!“. Não interessa porque não não pode azul. A regra fala em caneta PRETA, logo, caneta preta é o que você deveria trazer. “Ah, mas eu não trouxe caneta preta, o que eu faço agora?” Se vira e pede emprestado para alguém, oras!

Tenho absoluta certeza que vários e vários candidatos passaram pelo diálogo acima. Seja por um detalhe técnico (a tinta preta é melhor lida pelo equipamento que fará a correção eletrônica) ou burocrático mesmo, não é difícil ler em DEZ MIL, QUINHENTOS E OITENTA E NOVE lugares que a prova deveria ser feita com tinta preta (e fabricada em material transparente).

A questão do RG (ou documento oficial com foto) é ainda pior. Como é que as pessoas saem de casa sem um documento de identificação? E outra… ninguém faz a prova do ENEM (ou qualquer outro concurso público) de surpresa. Indivíduo, em tese, sai de casa SÓ para isso. E vai sem documento!

E o que falar do cidadão eliminado porque saiu antes do tempo mínimo previsto? “Estava muito fácil“, disse ao repórter, enquanto posava, sorridente, com o relógio indicando 14h15. Eu realmente gostaria de saber quantas esse cara acertou.

Por fim, a clássica sequência de fotos e vídeos de pessoas chorando porque atrasaram 1 minutinho. Olha… dado que os portões abrem as 12 horas (de Brasília) e fecham as 13h, o atraso, na verdade, foi de 61 minutos, não?

Imprevistos certamente acontecem, mas como explicar por que cerca de 30% (em torno de 2 milhões de candidatos) não apareceram? Quantos ficaram doentes? Quantos realmente não puderam ir? Quantos saíram cedo de suas casas e culparam o trânsito? O índice de abstenção pode estar caindo ano a ano, mas o número bruto ainda é bastante grande, considerando que é uma prova que pode te levar ao seleto grupo dos matriculados em um curso superior.

Será que eu perco muito se apostar que a maioria não compareceu porque a) esqueceu b) ficou com preguiça c) foi mal no primeiro dia e desistiu do segundo?

F1 2013: GP do Japão

9 dedos (e uma unha) na taça. Assim está Vettel, que venceu mais uma. Webber e um bravo Grosjean completaram o pódio de um animado GP em Suzuka. Circuito de tradição é outra história!

Largada com o hashi nos dentes. Webber, na ponta, fechou a porta para Vettel (por que abriria, não é?). Hamilton tentou o meio, passou pelas Red Bulls e teria conseguido a ponta se não fosse um toque com o pneu traseiro na asa frontal do alemão. Abandonou 8 voltas depois.

Um enorme “merci” fez Grosjean, que, por fora, ganhou 3 posições e assumiu a dianteira da fila. Destaque para a largada suicida de Sutil. Em último, acelerou no meio da galera, furando a fila de carroças, e ganhou 5 posições logo de cara. Maluco. Saquê batizado, só pode ser.

E traz o sal grosso para a Mercedes! Liberado pelo “pirulito”, Rosberg acelerou e quase acertou um ágil mecânico da Lotus e um inocente “Checo” entrando para a troca de pneus. Punido, teve que passar pela agonia da lentidão do pitlane.

Na dança do box, Felipe manteve-se à frente de Alonso, mas perdeu posição para Hulkemberg (boa garoto!). Webber ficou na frente de Vettel e Grosjean na frente de todo mundo.

Excelente briga pela 4a posição: Ricciardo puxou a fila por um bom tempo. Foi pressionado no limite por Hulkenberg, até ser ultrapassado. Alonso ficou atrás de Felipe também por um bom tempo, até usar a asa e passar, tanto pelo brasileiro quanto pelo australiano (e futuro rubro-taurino).

Massa teve que segurar a bronca de um faminto Gutierrez. Dividiu curva roda a roda com o mexicano. Pneu fora da pista! Segurou no braço! Isso é Suzuka!

Mais uma rodada de pits e a configuração muda: Webber bem na frente, com Grosjean e Vettel depois. O futuro tetracampeão apertou o passo, volta a volta encostou no francês e, se pudesse, teria passado por cima. Abriu a asa e ultrapassou, com tranquilidade, na primeira oportunidade que teve.

Webber não tentou fechar só com duas paradas e agora, em terceiro, corria atrás do prejuízo. Com pneus macios (e novos), o Canguru veio com vontade pra cima do pobre Grosjean. Na primeira tentativa sucesso da defesa! Na segunda também! Vettel sorri por debaixo de seu capacete brilhante. Porra Webber! Perdeu a terceira chance de passar COM ASA ABERTA!

ARRE! PASSOU! CINCO tentativas (e uma chance de vitória no lixo) depois, Webber passa Grosjean. Vettel, com um pneu médio e em pior estado, passou na primeira. Ta aí a diferença…

E um campeão também tem sorte: SEBASTIAN VETTEL E SUA RED BULL VENCEM O GP DO JAPÃO!

Mark Webber, o triste, fechou a dobradinha. Grosjean, o quase, completa o pódio. Massa foi ultrapassado na última volta (oh Lord!) e terminou em péssimo, digo, décimo. Alonso valente e brigador cruza a linha em quarto, mantendo uma fresta de luz sobre o campeonato. Destaque para Hulkemberg (P6) e Gutierrez, que largou em 14º para terminar na P7.

As duas Williams só terminaram na frente de uma Marussia e uma Caterham (as outras duas bateram uma na outra logo na largada). Vergonha alheia total.

podioPódio com presença ilustre do tenor Plácido Domingos!

E o campeonato está assim: VET (297 ), ALO (207), RAI (177), HAM (161), WEB (148), ROS (126).

Em construtores, Red Bull (445), Ferrari (297), Mercedes (287), Lotus (264), McLaren (83), Force Índia (62), Sauber (45), STR (31) Williams (1, juro). Marussia e Caterham não pontuaram (ah vá!).

Próximo GP, provavelmente o que define o campeonato, vai ser na Índia, em 27 de outubro. Será que uma vaca vai entregar o troféu ao vencedor?

A lojinha do Obama fechou. Volte mais tarde.

closed-sign-tm

A oposição a um governo é uma coisa séria. Sem ela, ninguém contesta os atos do governo, nem o avalia de uma forma (mais) crítica. Será que decisão X é tão boa assim? Por que não pode ser feito de outra forma? E assim adiante. No entanto, a oposição nos Estados Unidos vai até o limite. Ou passa dele, depende de qual partido você faz parte.

Em novembro do ano passado, quando Obama foi reeleito para ocupar o trono a cadeira maior na Casa Branca, eu escrevi isso:

“A dobradinha Obama-Biden tem mais quatro anos. Com o mundo inteiro de olho e a vigilância em casa bastante pesada, não serão dias tranquilos. Principalmente porque agora não será possível gastar a carta na manga que foi a captura de Osama bin Laden. Vão ter que achar outro trunfo.”

Bem, odeio estar certo (mentira, essa é a melhor parte), mas o tal trunfo necessário não veio. O Obamacare (simplificando, um SUS, que em teoria funciona bem) ainda é alvo de disputa entre os Congressistas, uns pela aprovação e outros pela não inclusão. Mas não foi uma disputa comum, como vemos no Brasil. Afetou o orçamento federal, como não acontecia há 17 anos, na administração Clinton (mesmo partido de Obama, curiosamente).

Assim como cá, o orçamento do país tem que ser aprovado antes do ano fiscal terminar. Lá, termina em 30 de setembro e… oh wait. Dealine. Até a meia noite, nada havia sido decidido e, portanto, TODAS as repartições federais não essenciais não poderiam gerar novos gastos a partir de outubro, afinal… eles não estão previstos. Por volta de 800.000 funcionários públicos em férias não remuneradas até segunda ordem.

E o que isso significa, na prática? Sabe a Estátua Liberdade, com seu braço erguido, iluminando Nova York? Então… not today. Fechada. NASA? Fechada. Apenas o centro de controle funciona, já que temos algumas pessoas na Estação Espacial Internacional que não podem ficar desamparadas. Parques federais e museus também estão entre os locais que “baixaram as portas”.

O Governo Democrata se defende, dizendo que a proposta de orçamento está lá há meses. Os Republicanos dizem que o aprovam, DESDE QUE a implantação do Obamacare seja adiada em pelo menos um ano e que o imposto federal para financiar a cobertura de pessoas sem planos de saúde não seja criado.

No Twitter, a equipe Obama escreveu: “They actually did it. A group of Republicans in the House just forced a government shutdown over Obamacare instead of passing a real budget.“. E completou: “Despite the shutdown, the new health insurance marketplace opens for business as planned on October 1″.

O fechamento das repartições federais não tem data definida para acabar. Dura até que o Congresso entre em acordo e aprove o orçamento, com ou sem Obamacare e novo imposto. Sim, eu previ os tempos difíceis lá em cima (que podem se repetir anualmente). Pressão política, econômica, social. Não tá fácil pra ninguém.

Até lá, se você vai viajar para a terra do Tio Obama, fique atento: você pode esbarrar com Tio Sam perdido pelas ruas, sem emprego.

O extravagante adeus da MTV Brasil

Fim de noite do dia 26 de setembro de 2013. A MTV Brasil fez sua última transmissão ao vivo. Uma festa dentro da emissora, reunindo todas as gerações de VJ’s que passaram pelos mais de 20 anos do canal. A nova e a velha guarda reunida, no encerramento mais animado que a televisão brasileira já viu. Aprende aí RedeTV!

Consenso entre os espectadores, a festa foi o fechamento perfeito para o canal que marcou a vida de muita gente, menos a minha. No máximo o Piores Clipes e o Rockgol, sobre o qual eu falei nesse texto.

A MTV sempre foi uma bagunça organizada, mas ontem, na saideira, isso foi levado ao limite. Todo mundo falando ao mesmo tempo, gente tirando foto na frente da câmera, enquadramento todo torto, cortes para onde não estava acontecendo nada. Isso sim é tevê de verdade!

Uma ideia interessante foi utilizar “câmeras de monitoramento”, fictícias ou não, para mostrar o deslocamento das pessoas nos corredores e elevadores. Clássico também foi repassar as vinhetas antigas que, até hoje, ninguém entende. Nem quem criou, diga-se de passagem.

O Twitter da emissora ficou aberto para postagem dos convidados: “@MTVBrasil: To procurando pequenos ítens roubáveis pra vender no Mercado Livre depois. Fuck da Police“. A Sarah Oliveira levou a placa do 4º andar. E não é piada. Ou ainda: “@MTVBrasil: Tá todo mundo PELADO. Vocês não conseguem ver“.

Nos últimos minutos, um compilado gigante de imagens de arquivo sobre os bastidores, com MUITA GENTE que hoje é famosa, mas que na época queria alcançar voos mais altos. Até um Zeca Camargo fazendo cosplay de Caetano Veloso apareceu.

E não podia encerrar de outro jeito: uma contagem regressiva toda errada. Muda. Logo depois, a reprise de um programa chamado MTV ao Vivo. Hahaha.

E amanhã? A festa é de despedida, mas a MTV continua no ar, com programas gravados. E com o mesmo nome. E a mesma temática. Os donos serão outros (ou os originais, depende do ponto de vista), mas o defunto é o mesmo.

É ou não a CARA da MTV?

foto

É sexta, cruz credo, 3 vezes!

espelho

Caramba! Eu não consigo acreditar! Escute só como foi meu dia hoje:

Primeiro eu acordei atrasado, já que o despertador não cumpriu com a sua função básica, que era me acordar. Aí, me arrumei correndo, tomei café correndo e derrubei um pouco de leite na blusa. Eu estava atrasado, então nem me dei ao trabalho de trocar. Limparia no banheiro do escritório…

Chegando na marginal, um trânsito enorme. Vários caminhões (quebrados) e umas obras que nunca terminam. E os semáforos “Cascão”? Esses tem medo até de garoa. Nem preciso dizer que cheguei na empresa muito, mas muito depois do que eu deveria ter chegado, né?

Minha onda de azar não havia terminado. Meu chefe estava na minha sala e, em vez de me falar “bom dia” ele me disse: “Por que você chegou atrasado? Você entregou o relatório que eu te pedi pra fazer até as 9 horas? E, principalmente, porque você ainda está com calça do seu pijama?

Surpreso com a informação, eu tentei argumentar que era a nova moda entre os executivos de Boston, mas ele não acreditou. Por que será? Soou tão natural que eu quase acreditei em mim mesmo. Fui despedido sem chance de defesa. Acho que menos pelo relatório que eu deveria entregar e mais pelo pijama listrado. Estava feio mesmo. Mencionei que estava furado na virilha esquerda? Então… muito glamour.

Voltando para casa, o pneu furou em algum desses malditos buracos na rua. Descobri que estava sem estepe e sem crédito no celular (porque essas coisas nunca acontecem uma de cada vez e sim, eu ainda tenho pré-pago, qual o problema?), então resolvi deixar minha caranga velha de guerra estacionada no Mercadão, perto de outro calhambeque velho. Peguei um ônibus, lotado (e de pijama) e voltei pra casa.

Meu filho já estava de volta da escola. Disse que tinha faltado um professor, a terceira vez só naquela semana, e que por isso ele tinha saído mais cedo. Me perguntou se não era a melhor hora para irmos ao parque jogar bola, coisa que eu venho prometendo a ele desde o começo do ano.

Expliquei a história do pneu. Ele parou, olhou pra mim, e naquela voz e inocência de criança me perguntou: “Mas papai…. Não é lá no Mercadão que está tendo aquele negócio que os carros velhos são destruídos por uma máquina enorme?”.

Respirei fundo, percebendo que havia acabado de perder a Ofélia, meu carrinho amado. Antes que eu pudesse pensar em qualquer coisa minimamente simpática, meu filho completou: “não faz mal… a gente pode ir naquele carro conversível do amigo da mamãe

Que amigo da mamãe?” – retruquei curioso.

Aquele que sempre vem aqui quando você não está”. Respondeu e virou as costas, se concentrando em qualquer besteira no tablet.

Vamos fazer a contagem? Perdi meu carro, meu emprego, minha dignidade e, agora, pelo visto, a minha esposa também. O que mais falta acontecer?

*Toc toc*. Sim.. é uma onomatopeia para batida na porta. Ele pode ter tocado a campainha, mas a minha memória jura que foi uma batida na porta. Duas para ser mais exato.

As batidas na porta denunciavam uma visita e eu nem tinha tirado a calça pijama ainda. Perguntei quem era. Era o entregador de jornal. Cidadão estava atrasado, hein? Mais atrasado que eu. Mas usava uniforme, o que, bem…. deve contar alguns pontos a favor dele. E sim, eu ainda assino jornal. Mas que implicância comigo hoje, hein?

A manchete da primeira dobra? “Político corrupto e incompetente vai para cadeia”.

Cocei a cabeça. Poxa… era meu dia de sorte.

F1 2013: GP de Singapura

Nos embalos da noite sonolenta de Singapura, Vettel deu um passeio rumo ao tetra, as usual, enquanto Alonso e Räikkönen escalaram o grid para completar o pódio.

Assim que as luzes se apagaram, Rosberg largou bem e partiu pra cima de Vettel, chegando a ultrapassar o alemão em uma das curvas. Entretanto, não foi capaz de segurar a posição. E aí Bastião fez o que melhor faz: abrir pelo menos 1s por volta.

Alonso inventou o telestransporte e, fantasticamente, saiu de sétimo para terceiro em um piscar de olhos. Passou todo mundo por fora. Um monstro. Massa dividiu pista com Hamilton e acabou por ficar à frente do inglês da Mercedes. Boa largada dele. E no geral também.

Sobre a largada de Alonso, a Lotus faz as devidas considerações, no Twitter: “Replays do show Fernando making a stonking start, not only passing our man, but countless others too. Maybe millions“. Gênios. Melhor equipe.

Volta 21, rádio da equipe para Hulkenberg: “Err… dude, a direção de prova mandou você deixar o Perez passar“. E o piloto responde um sonoro e esganiçado: “WHAT?!?!!?!?“. A equipe tenta explicar: “Pois é, você passou por fora“. A indignação do Hulkenberg foi sensacional, até porque ele tem razão: foi o Perez quem jogou o coitado para fora da pista.

Ricciardo, com contrato assinado para 2014, travou as rodas na entrada do túnel e amassou bonito a frente dourada da sua STR, em uma posição perigosa. Safety Car. Todo mundo parou, exceto as RedBulls e as Mercedes.

Após uma soma de nada com coisa alguma acontecendo, Grosjean abandonou com problemas de motor. Acho que até ele, o motor, ficou entediado com a corrida.

Com que carro Vettel corre? Cidadão põe 3s de vantagem POR VOLTA sobre o Alonso. É o único do grid fazendo as voltas (bem) abaixo de 1:50:00. O conjunto é fantástico. O carro tem uma aerodinâmica perfeita e Vettel sabe como usá-la ao máximo. E pensar que tem duas Caterham e duas Marussia no mesmo autódromo.

E olha o Kimi dividindo curva com Button! Esse é o finlandês que eu conheço! Passou o inglês por fora, equilibrando espaço entre a McLaren e o muro. Coisa bonita.

Kimi

Kimi, o comedor de tatus mais rápido da F1.

E o Di Resta passou Di Reto. Desculpe. Mas que ele ficou na barreira de pneus, ficou.

E a galera acordou nas últimas voltas! Massa pressiona Hamilton. Rosberg passa Perez e, logo em seguida, todo mundo passa o Button. Drama inglês.

E A CORRIDA É DELE E DE MAIS NINGUÉM, SEBASTIAN VETTEL E SUA RED BULL VENCEM O GP DA SINGAPURA! Mas tá na hora de trocar esse capacete purpurinado, amigo.

Fernando Alonso fez mágica novamente e foi o segundo. Kimi Raikkonen, mesmo com infiltração para conter uma dor nas costas, largou em 13º e completou o pódio. Três pilotos incríveis.

Após a corrida, Webber pegou um taxi com Alonso de motorista! Pouca gente tem o privilégio de ganhar uma carona de Ferrari. Essa é a F1 moleque!

O campeonato ficou assim: VET (247 pts), ALO (187 pts), HAM (151 pts), RAI (149 pts), WEB (130 pts), ROS (136 pts).

Próxima corrida é na Coreia, no dia 6 de outubro. Lá o hot dog é diferente.

Bandeira quadriculada: Vale lembrar que este blog acertou as previsões de 2014 com Kimi na Ferrari e Ricciardo na vaga de Webber. Massa ameaçou ir até de Williams (vish), mas a Lotus é uma possibilidade boa. Pondere-se que a equipe deve investir em Grosjean, uma vez que há gerentes franceses por lá.

Pô… não tem uma vaguinha para o Kobayashi, não? Saudades do mito.

O Zé é o Zé

Anonimo

O Zé não tem nome. Pode ser João, Antônio, Pedro, Aderbal… Até mesmo José. O Zé é o Zé.

O Zé não tem nacionalidade. Pode ser daqui, acolá, de cima, de baixo, leste ou oeste. O Zé é do mundo. O Zé é o Zé.

O Zé não tem cor. Pode ser preto, branco, amarelo, vermelho púrpura, sépia, filtros do Instagram. O Zé é o arco íris. O Zé é o Zé.

O Zé não nasceu ontem. O Zé não nasceu hoje. O Zé não vai nascer amanhã. O Zé é o Zé e ponto.

O Zé não tem gosto. Gosta de tudo. Não gosta de nada. O Zé é o Zé.

O Zé não tem emprego fixo. Pode ser pedreiro, pode ser gerente, pode ser padeiro, pode ser aviador. O Zé tudo faz. O Zé é o Zé.

O Zé está atolado em dívidas, mas sempre sobra um pouco para emprestar para quem precisa. O Zé não é egoísta. O Zé é o Zé.

O Zé não tem time de futebol. Torce para todo mundo. E todo mundo torce pelo Zé. O Zé é o Zé.

Eu posso ser o Zé. O Zé pode ser você. Nós somos o Zé. Ninguém é o Zé.

Onde está o Zé?

F1 2013: GP da Bélgica (Spa-Francorchamps)

Em uma corrida mais animada atrás do que na frente, Vettel pilota sozinho e Alonso sai de 9º para 2º. O campeonato caminha para o mesmo final dos últimos 3 anos.

Se não dá na largada, que seja um pouco mais na frente. Vettel não deu o pulo do gato logo de início, mas não precisou nem de asa aberta para tomar a liderança de Hamilton. Mais fácil que tirar doce de uma criança dormindo.

Webber largou mal (de novo). Alonso achou bons espaços e ultrapassou meio mundo, ficando atrás de Rosberg e Button. Duas voltas, e já era para o inglês. Mais duas voltas e…. abraço ao filho do seu Keke.

E está osso para o Massa. Como se não bastasse a má classificação, a péssima largada e a forte possibilidade de ficar desempregado em 2014, ainda deu uma triscada na faixa de segurança na saída dos boxes. Podia ter rolado uma punição.

Enquanto isso, o outro piloto da Ferrari ia mostrando bolas de aço, freando no limite do desastre e controlando o carro no braço para defender a posição do ataque de Hamilton. Diferenças…

Com 21 voltas, VET, ALO, HAM e ROS, WEB, GRO.

Cena curiosa: Raikkonen, intenso durante a corrida, tentou ultrapassagem em Massa, mas passou reto. Aproveitou a ocasião e entrou nos boxes, mas não tinha ninguém lá preparado. Menos mal que a intenção era abandonar, com super aquecimento dos freios dianteiros.

E bateu! Finalmente voaram pedaços de carro. Sobrou para o azarado Di Resta. Em uma disputa que envolvia também Sutil e Gutierrez, Maldonado encheu a traseira do britânico. Só Paul abandonou. Quanto ao venezuelano da Williams, punido com stop and go. Coitado do meu xará. Seu Frank já está velhinho, não merece esses desgostos.

Enquanto isso, a McLaren pergunta a Button: “Mr. Button, o senhor prefere pneus duros ou pneus macios?“, como quem pergunta “por obséquio, para as 5 horas, o senhor prefere chá preto puro ou com leite?”. Lord é lord.

E NÃO TEVE PRA MAIS NINGUÉM! SEBASTIAN VETTEL E SUA RED BULL VENCEM O GP DA BÉLGICA, NA MÍTICA SPA-FRANCORCHAMPS!

Em segundo, Alonso “alonseou” novamente (e ainda brincou de fazer drifting na ultima curva hahahaha). Hamilton em terceiro completa o pódio.

Bandeira quadriculada:

> Falando em pódio, a cara do Alonso enquanto chegava para receber o troféu era de quem comeu limão achando que ia comer donut de chocolate com avelã. Feliz da vida, só que não.

> Williams fez 1 ponto no campeonato de construtores até aqui. Está a frente da Marussia e da Caterham. E só.

> Webber, só pela galhofa, deu com a língua nos dentes e “revelou”, “acidentalmente”, que já está tudo certo para Ricciardo ocupar seu cockpit em 2014. A Austrália agradece.

O campeonato segue assim: Vettel (197 pts), Alonso (151 pts), Hamilton (139 pts), Raikkönen (134 pts) e Webber (115 pts).

A próxima corrida acontece em Monza, em 8 de setembro. E lá que a cabeça do Massa vai rolar?