Conclavão 2013: O Vaticano tá de Chico!

No segundo dia do Conclavão 2013 a fumaça preta subiu três vezes antes dos cardeais realizarem a inspeção veicular na chaminé da Capela Sistina. A fumaça branca (que tinha cara de ser proveniente de uma chuleta na brasa) indicava que o a disputa papal tinha se encerrado. Parecia gol do Vaticano!

Nada de pontos corridos. Pela rapidez da decisão o regulamento previa o mata-mata. A final prometia ser entre Dom Xuxa, vestindo a batina verde e amarela e, do outro lado, Dom Scola, vestindo a batina tricolor, com a aquela pitada clássica de manjericão. Mas, apesar de toda a expectativa, deu Vaticanazzo!

O novo Papa não é brasileiro, nem italiano e muito menos húngaro, como o amigo Henderson Bariani tinha previsto em seu blog e eu ratifiquei no meu programa na Rádio da Paz FM. O cardeal é Jorge Mário (que Mário?) Bergoglio, da ARGENTINA (!!!!), e escolheu a alcunha de Francisco. Pode ter vindo de Assis, de Xavier, de Paula, de Borja. Só temos uma certeza: que não vai gerar outro filme falando sobre a vida de seus filhos. Ainda bem.

O Papa Chico tem um perfil humilde. Anda de transporte coletivo como todo mundo, faz a própria refeição como todo e ainda, quando dá tempo, entra em conflito com a Família Kirchner. Como todo mundo, diga-se de passagem.

Agora resta esperar as explicações dos derrotados. Como um Conclave na mão pôde ser perdido dessa forma? Faltou treino? O esquema tático estava furado? Será que essa seleção de cardeais ainda aguenta mais um Conclavão?

O próximo Conclavão já está marcado: vai acontecer quando Francisco virar pomba e bater asas para a eternidade ou quando jogar tudo pro alto e se reunir a Joseph Ratzinger para uma partida de tranca.

Tranca com chave.

Papa MárioO Papa é Argentino. Vaticanazzo!

Conclavão 2013: Vale muito a sua torcida!

Bem amigos da Rede Ideia Fix! Falamos ao vivo e em definitivo para mais uma transmissão de um dos maiores eventos da humanidade, atrás, claro, das Olimpíadas, da Copa do Mundo e da macarronada da nonna aos domingos. O Conclavão 2013 chegou e com ele muitas emoções, disputas e rivalidades. Quem vai levar o Império construído em mais de 2012 anos de existência?

Tem brasileiro na disputa! Dom Odilo Scherer, o famoso Dom Xuxa, está entre os favoritos para levar o segundo anel mais cobiçado do mundo. O grande concorrente é Dom Angelo Scola, arcebispo de Milão. Esse cidadão, aliás, na época que ainda era “aspira”, foi reprovado na scola escola de padres e quase não pôde ser ordenado. Mas não se enganem! Não tem mais bobo na Cúria Romana.

Se ganhar dos italianos é bom, ganhar dos italianos, na casa deles, é muito mais gostoso. É bem verdade que os padres mais conhecidos do país não foram convocados para a eleição. Padre Marcelo Rossi, Padre Antônio Maria (que anda sumido, não é?) e Padre Fábio de Melo ficaram no Brasil. Não minha opinião, os cinco cardeais que já estão trancafiados no Vaticano são bem mais técnicos e vão dar conta do recado, representando a pátria de batinas com muita competência.

No primeiro dia foram encaminhadas as formalidades. Os 115 participantes, de todas as partes do mundo, entenderam as regras e juraram solenemente, em conjunto e depois individualmente, que não vão burlar o regulamento da Conmebol contando o candidato escolhido e nem vão desenhar o jogo da velha na cédula de votação. O Brasil poderia ter cedido as urnas eletrônicas, mas queimar o equipamento depois de cada votação com menos dos dois terços e um rosário necessário daria um trabalho danado e, convenhamos, a maioria dos votantes já está bem velhinha para conseguir carregar tudo.

Fontes internas, em Arial 11 e Times 12, como manda as normas da ABNT e da PQP, vazaram a notícia que Scola acertou um carrinho em Scherer, mas o Camerlengo mandou seguir a partida. Sorte dele que a torcida foi expulsa da Capela Sistina depois de pronunciado o extra omnes, senão ele ia ouvir muitos elogios carinhosos. Esse foi o lance mais importante da partida de hoje. Se esse fosse um blog maior, o lance seria patrocinado por uma marca de tinta, mas como não é…

Quando já era noite em Roma, na chaminé mais vigiada do mundo, fumaça preta foi avistada. Não… não era o monstro de Lost. Era só a constatação que, mesmo com dispositivos móveis, internet 4G, aparelhos de televisão em alta resolução e toda a sorte de equipamentos eletrônicos, uma das decisões mais aguardadas da década seja comunicada através de sinal de fumaça.

Imagina quando descobrirem os atabaques!

Anel-PescadorQuem leva o precioso meu precioso Anel do Pescador? 

O império de R.R. Soares

Não estou nem um pouco interessado em saber se você acredita ou não no Missionário RR Soares. Também não quero saber se você é um dos colaboradores da obra de Deus e paga seu dízimo em dia. O que eu quero explorar nesse texto é o vasto conglomerado que o cunhado e ex-sócio do Bispo Edir Macedo conseguiu formar e sustentar ao longo de 40 anos evangelizando. É praticamente um Sílvio Santos neo-pentecostal. Só não tem o peão da casa própria…

O gosto e, por que não, a boa mão para fundar igrejas é antigo. Começou em 1975, com a “A Cruzada do Caminho Eterno”. RR Soares também é responsável pela fundação da Igreja Universal do Reino de Deus… isso… aquela mesma do coração e da pomba. Nessas duas instituições foi sócio do Bispo Edir Macedo e que, como eu já disse no parágrafo anterior, era seu cunhado (na verdade eles ainda tem parentesco).

(In)felizmente a relação profissional com Edir Macedo foi pras cucuias e Soares decidiu seguir…. carreira a solo. Em 1980, na cidade  de Duque de Caxias, Romildo Ribeiro Soares – seu nome completo – funda a Igreja Internacional da Graça de Deus. Isso… essa mesma que volta e meia aparece na programação da TV Bandeirantes, RedeTV! e outras emissoras. E o gosto pela televisão também vem de longe: de acordo com a Isto É Gente: “em 1977, Romildo estreou na TV Tupi no comando de um programa evangélico“.

A Igreja vai muito bem obrigado. Segundo a Wikipédia, são ao menos 900 templos espalhados pelo Brasil e aos menos 20 no exterior. E pelo jeitão da coisa, vivem lotados. Pelo menos é o que o culto transmitido pela televisão mostra, independendo canal ou dia. Não é por nada não, mas tem muita igreja por aí que não reúne aquela galera toda…

Você deve estar se perguntando de onde vem o sustento do Missionário. Se você não estava se perguntando, devia. Bem… oficialmente vem do segundo empreendimento listado nesse humilde texto: a Graça Artes Gráficas e Editora. Por ela são ao menos 22 livros publicados, com mais de 1 milhão de cópias vendidas. Detalhe: são dados de 2003 e com certeza já estão desatualizados. Nem o Paulo Coelho vende tanto. Quer dizer… o Paulo Coelho vende mais. Vai entender o gosto literário!

Well… se você tem uma Igreja e uma Editora, nada mais lógico que diversificar seu pequeno império com uma gravadora. Nesse seguimento está a Graça Music. A gravadora, pelo que eu pude contar no site oficial, tem 27 artistas e entre eles o próprio Missionário, além de nomes como Mauricea, Banda Jó42 e a gatinha Bruna Olly.

Próxima empresa? Rá… uma emissora de televisão, é claro. Para suprir essa lacuna, RR Soares criou a RIT ou, ignorando a miguelada de letras na sigla, Rede Internacional de Televisão. 24 horas de programação gospel na sua casa, começando com os cultos (os mesmos da tevê aberta). Mas é claro que a grade é mais diversificada. Na RIT você pode assistir o Telejornal Toda Hora ou mesmo o programa infantil Zig-Zag Show com a presença de Zig Zag e outros palhaços contando histórias bíblicas. Palhaços no sentido literal da palavra, que fiquei claro.

Não perca conta. Até agora falamos da Igreja Internacional da Graça de Deus, da Graça Artes Gráficas e Editora, da Graça Music e da Rede Internacional de Televisão. Você pensa que acabou? NÃO! AINDA NÃO ACABOU!

Uma coisa sempre puxa a outra e.. pimba! RR Soares também tem uma empresa de televisão por assinatura, a Nossa TV. A empresa, para surpresa dos mais céticos, conta com excelentes canais nacionais e internacionais. Conta também com canais de gosto duvidoso. Para ninguém me acusar de preconceito, vou listar alguns e vocês é que vão decidir o que é bom e o que é ruim, ok? São eles: Terra Viva, Discovery, Nuestra TV, ESPN, IIGD, TV Enlace, TNT, Animal Planet, NetGeo, Infinito…

Tomando um fôlego, não poderia deixar de mencionar que Romildo ainda contou com a Nossa Rádio FM e mantém a Graça Filmes. Som e imagem alimentando o mercado cada vez mais aquecido do mundo gospel. O missionário pensa longe. Muito mais longe do que vocês imaginam.

Mas, contudo, todavia, entretanto o que me motivou a  escrever esse texto foi a notícia que transcrevo, ipsis litteris, abaixo. Nem vou falar mais nada que é para não estragar a surpresa:

O bispo R.R. Soares anunciou início das atividades da “Faculdade do Povo”, que vai oferecer, a princípio, cursos Propaganda e Marketing, Jornalismo e Rádio e TV. O anúncio foi feito no programa “Show da Fé”, transmitido pela Rede Bandeirantes. De acordo com o Portal IMPRENSA, o MEC (Ministério da Educação) credenciou no dia 29 de janeiro uma faculdade de comunicação social com as habilitações de Jornalismo, Propaganda e Rádio e TV para a Igreja Internacional da Graça.

Ainda não se sabe, entretanto, a data oficial e a para a inauguração e onde será localizada a tal Faculdade do Povo. (FONTE)

Isso é simplesmente sensacional, independente da sua religião. Até mesmo se você for ateu. O cidadão monta um conglomerado de empresas parceiras (e que podem perfeitamente sustentar umas às outras) e por fim cria uma faculdade para alimentar intelectualmente cada uma delas. Definitivamente é um plano empresarial bastante inteligente e, de certo modo, autossustentável.

Não vou entrar no mérito de arrancar dinheiro dos fiéis através do dízimo ou ter pastores que fazem pregações que, dependendo do juiz , poderiam ser condenados por crime de extorsão ou mesmo coação. É um assunto que não me compete e, pra falar a verdade, o buraco é bem mais embaixo e muito mais complexo do que uma pessoa numa baquetinha falando e outras tantas dando o dinheiro do almoço.

O Missionário pode ou não ser um exemplo de homem religioso e idôneo. Mas ninguém pode negar que ele sabe como fazer negócio.

8 empreendimentos e 1 império. O Império de RR Soares.

Para saber mais:

Matéria da Revista Isto é Gente

Verbete da Wikipédia – RR Soares

Resenha: O Crime do Padre Amaro

Meu critério para classificar quão bom foi um livro  é lembrar quantas vezes eu soltei algum tipo de exclamação enquanto o lia. Se eu fiquei mudo, significa que esse é um livro tipicamente classificável como fast food. É ler pra nunca mais lembrar (mais sobre classificação de livros no blog da Simone Campos).
A situação oposta acontece quanto eu xingo, dou risada, volto páginas para rever alguma informação dizendo “mas não é possível“, fico indignado, enfim… demonstro emoções, sempre de forma involuntária e absolutamente espontânea.

Pensando nisso, resolvi abrir mais um espaço de prestação de serviços aqui no blog. Vou resenhar alguns livros que eu realmente tenha gostado de ler, aqueles que me fizeram falar. Comecemos, pois, por um clássico da literatura portuguesa: O Crime do Padre Amaro.

Em seu romance de estreia, Eça de Queirós explora um tema altamente polêmico, mesmo nos dias de hoje: Clero X Sociedade X Política. É importante salientar que o livro foi escrito em 1875, portanto, apesar de algumas mudanças comportamentais, ainda é possível fazer um paralelo entre o século XIX e o XXI – 21 e 19 respectivamente, se você não foi alfabetizado em Roma.

Amaro Vieira, o personagem principal, ordena-se padre para obedecer ao testamento deixado pela patroa de sua mãe – A Marquesa de Alegros – que fora desde sempre sua protetora. Ele, na verdade, não teve uma infância que permitisse outra escolha, já que, como órfão, esteve sempre ligado às questões eclesiásticas. Viva na igreja e entre beatas.
Após o período de clausura, é mandado para uma cidadezinha muito pobre, calma até demais. As condições meteorológicas eram péssimas. Neve…. muita neve. Amaro não aguenta e pede pra sair. Com a ajuda de sua tia rica, consegue transferência para Leiria, e lá as tramas desenrolam-se.

Padre Amaro é mentalmente fraco, não suporta pressões. Quando conhece Amélia, essa condição fica cada vez mais explícita e difícil de administrar. Sua posição de “homem da Igreja” não permite paixões mundanas, contudo, dá livre acesso à casa de São-Joaneira – que é o recanto das beatas – e com isso, a influência que beira a manipulação entre as senhoras. Esses dois lados (homem X padre) entram em conflito e Pe. Amaro demonstra não ter escrúpulos, culpa ou remorso. Deixa-se levar pela situação.

Alguns pontos positivos: A trama é muito bem amarrada, permitindo surpresas na hora exata, sem grandes cortes abruptos. A descrição do ambiente não é exagerada, a ponto de tornar-se monótona. A construção psicológica e da história de vida dos personagens é perfeita, a ponto de realmente envolver o leitor nos dramas de Amaro, Amélia, João Eduardo…
É possível perceber uma clara mudança de posição da Igreja quanto à figura de Deus. Enquanto no século XIX, a figura d’O Criador é pintada com as cores do medo, do castigo, da punição, hoje, em pleno século XXI, já é possível acompanhar missas pela televisão, acender velas virtuais, frequentar a RCC. Teve uma época em que o Padre Marcelo fazia quase que uma ShowMissa…

Pontos negativos: Eça é português e como tal utiliza-se de palavras e expressões da terra de Cabral. As notas de rodapé, nesse sentido, poderiam ser mais completas, permitindo um melhor entendimento da trama. A tradução de algumas palavras também poderia acontecer, sem que a identidade visual do romance fosse alterada. Um exemplo disso é o uso da palavra “dous” ao invés de “dois“. O espaço-tempo também poderia ser melhor explorado, possibilitando ao leitor localizar-se melhor ao decorrer da trama, já que ninguém é obrigado a decorar o mapa de político de Portugal.

Atente também à posição social da mulher. Mostrar os tornozelos já era motivo de discussão familiar. O simples roçar de joelhos já era um passo deveras avançado para o que se considerava namoro. Sair sozinha, então, provocava “burburinhos” (adoro essa palavra) entre os vizinhos.

Por fim, a discussão entre o Abade Ferrão e o Dr. Gouveia é emblemática no conflito Religião X Política. A defesa de ambas as posições não deixa explícita a opinião do autor, apesar da alta conotação anti-clerical durante o livro. De fato, a história é uma grande crítica à posição da Igreja na época e a grande pergunta que se faz é se pode-se transferir alguns questionamentos para os dias atuais. O ícone desses questionamentos é a manutenção de celibato clerical.

Mas afinal de contas: Qual é o crime? Para descobrir, não deixe de ler “O Crime do Padre Amaro”.

PS: Fique livre para usar essa resenha em seus trabalhos escolares. Só peço que comente a nota que você tirou aí na caixa abaixo. Sabe como é, né? Curiosidade é f….

Testemunhas de Jeová: Uma doutrina polêmica

Religião é que nem orelha: Cada um tem a sua (as vezes, mais de uma). Porém, eu acho que está na hora de falar um pouco sobre as Testemunhas de Jeová e a doutrina seguida por eles.

Tudo começou quando, numa tarde de terça feira, duas mulheres tocaram a campainha aqui de casa. Ao atendê-las, fui informado que se tratavam de Testemunhas de Jeová. Até aquele momento, eu nunca tinha ouvido falar deles. Após algumas leitura da Bíblia – que ouvi paciente – recebi um livreto e a promessa que elas voltariam.

O livreto parecia um trem fantasma. Cada virada de página era um susto que eu levava.

Nele, eu aprendi que uma TJ (sigla que será usada a partir de agora para designar as Testemunhas de Jeová), não acredita na Trindade. Segundo Marcão – uma TJ que participa dos comentários logo aí abaixo – a Trindade “é uma crença egípcia, babilônica, assíria, persa entre outras. Se infiltrou na religião “cristã” através de pseudo-teólogos (especialmente os católicos) ao longo dos séculos. Não existe essa palavra na
bíblia e nem a idéia de que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são 1.
Outra coisa que aprendi é que eles acreditam que Jesus voltou em 1914.

Quando eu disse que a cada virada de página eu levava um susto, eu não estava brincando. Mais pro meio do livro, as TJ’s afirmam que apenas 144 mil vão para o céu. Mas que o caro leitor e a querida leitora não se preocupem. Os que não forem escolhidos, ou seja, os que não forem “ungidos”, ficarão na Terra e após a Batalha de Armagedom (que não tem nada a ver com o filme ou com o jogo (ou tem?)), povoarão o paraíso dos salvos.

E as surpresas chegaram ao ápice quando eu li que “Transfusões violam a santidade do sangue” e que “…as pessoas que vivem segundo a vontade de Deus não aceitam transfusões de sangue, mesmo que outros insistam que isso lhe salvaria a vida”.

Parei de ler. Fui tomar uma água e voltei no mesmo trecho. Reli. Essa passagem é algo que até hoje eu não consigo entender e, pelo andar da carruagem de fogo continuarei sem entender.

Proibir a doação (e o recebimento) de sangue é algo que transgride qualquer coisa que eu possa aceitar. Graças à doação de sangue de pessoas que eu ainda não time o prazer de conhecer – e que chamo de nobres anônimos – estou vivo para escrever este blog para vocês.
Nasci com uma patologia congênita no coração. Algo difícil de explicar e que nem eu mesmo entendo. Sei que tem algo a ver com “Transposição dos Grandes Vasos”, o que significa que meu sangue não era oxigenado de forma suficiente. Se algum médio estiver lendo esse humilde blog e entender o que eu tive, favor comunicar nos comentários..

O Dr. Miguel Barbeiro (o mesmo que fez a cirurgia de coração nesse menino japonês) foi brilhante ao encontrar a solução para o meu problema. Segundo os relatos que ouvi posteriormente, o Dr. Barbeiro passou algumas horas pensando o que faria com aquele bebê, naquela mesa de cirurgia. Seja lá o que ele tenha feito, deu certo. Meu sangue deixou de ser roxo e passou a apresentar a cor vermelha tradicional.

Mas, entre os períodos de cirurgia, eu recebia sangue. DOADO. Se eu fosse uma TJ, com certeza estaria morto, tal qual essa jovem que sofria de leucemia e se recusou a receber sangue.
A explicação para tal absurdo (a proibição de doar e receber sangue de qualquer um) é que no sangue está a vida da alma e compartilha-la impediria a total devoção a Deus.
Para variar, a questão é polêmica e pode ser lida com mais detalhes, nesse artigo do Ministério CACP

Depois dessa informação eu fechei o livreto e nunca mais o abri. Para ser sincero, nem sei onde ele foi parar.

E quanto as mulheres lá do começo do texto… essas não voltaram.
Mas assim que voltarem (já que há um Salão das Testemunhas de Jeová bem próximo à minha casa), vamos ter uma tarde muito agradável debatendo essas questões polêmicas….

Quero deixar bem claro que respeito todas as religiões, apesar de não concordar, ou melhor, discordar veementemente de certos pontos. No caso das Testemunhas de Jeová, os pontos apresentados nesse texto.

Independente de crenças e doutrinas, acredito que a doação de sangue seja um ato humanitário. Partilhar algo tão pessoal para salvar vidas é um gesto que, com certeza, adiciona muitas pedrinhas no saco das boas ações. Brincadeiras a parte, os hemocentros só podem existir se houver pessoas – como os nobres anônimos – dispostas a “””gastar””” parte do precioso tempo para salvar vidas. Imagine quantas vidas foram salvas, graças à doação de sangue. Agora imagine quantas vidas NÃO foram salvas, porque estava faltando sangue, graças, também, a pensamentos como o das Testemunhas de Jeová.

Que as Testemunhas de Jeová ouçam esse blogueiro e reflitam se o que eles pregam representa realmente o que eles acreditam.
Pensem se o senso crítico delas não foi afetado e se elas não estão ludibriadas por uma doutrina apoiada em bases tão fortes quanto a dos prédio construídos pelo Sérgio Naya.

Eu duvido que uma mãe TJ recuse a doação de sangue para a própria filha ou para o próprio filho. Se isso acontecer, já posso considerar minha mudança de planeta.

Quer saber mais sobre as Testemunhas de Jeová? Segundo o leitor Marcão – “TJ desde sempre” – o site Watch Tower é o que você precisa para saber mais sobre eles. Altamente recomendado, porém em inglês… Ah… esse é o site oficial das Testemunhas de Jeová… informação direto da fonte.

Quer saber mais sobre a doação de sangue? A sociedade agradece:

Fundação Pró Sangue do Estado de São Paulo
INCA – Orientações Gerais
Informações gerais na Wikipédia