Língua: Demasiadamente humana

UNESCO recensia 2.500 línguas em risco de extinção
Brasil é o 3° país com maior número de línguas em risco de extinção

VEJA O MAPA INTERATIVO

As línguas são vivas. Algumas morrem, outras nascem. A coisa se move” – Assim definiu Cécile Duvelle, chefe da seção de patrimônio e material da Unesco. E ela tem razão, por mais óbvio que pareça.

A língua, primeiro “farelo” de cultura que adquirimos, é também a primeira herança que ganhamos. Ela nos é transmitida através da fala e dos estímulos visuais. A grande questão volta-se para a frase da especialista: Elas são vivas. Tão vivas que morrem.

O estudo realizado em Paris “estima em 2.511 o número de línguas vivas cuja situação é vulnerável, em perigo, em sério perigo, em situação crítica ou extinta no mundo“. Será que podemos imaginar quantas história, fatos, descobertas, vidas, encontros, desencontros estão arraigados nessas línguas?

Infelizmente esse número tende a aumentar, não por causa da globalização,  mas porque a própria Duvulle declarou que nesse estudo foi feito “um melhor recenseamento”. Ora, se esses estudos sempre sofrem adaptações com o intuito de melhorá-los, é de se supor que em 2009 esse número sofra uma inflação.

No Brasil – como o título da BBC supõe – a situação é lamentável. “Segundo o levantamento, feito por 25 linguistas, 190 línguas indígenas correm risco de desaparecer, sendo que 45 delas foram classificadas na categoria de risco mais elevado.

Dois exemplos são o kaixána, falado por apenas 1 pessoa em Japurá, no Amazonas, e o mawayana, preservado por somente 10 indígenas, na fronteira com a Guiana.”

O Atlas também contabiliza 12 línguas mortas no Brasil, quase todas situadas na região da Amazônia.

A boa notícia é que essa tendência é reversível. Paraguai e México instituíram o esino bilingue (Guarani e indígena, respectivamente) e registraram aumento no número de falantes. No nosso visinho, inclusive, a língua é quase tão falada quanto o espanhol.
Já na Irlanda essa medida não teve muito efeito. O irlandês é ensinado, mas só 5% da população realmente o fala. Ou seja: o eficaz não é a imposição, mas sim a conscientização.Tanto é verdade que o responsável por comandar o estudo, Christopher Moseley, afirma que “campanhas para fazer reviver línguas perdidas ou quase são as mais importantes“.

Curioso notar que “a concentração de línguas ameaçadas é especialmente forte nas regiões do mundo que também apresentam a maior diversidade linguística: Melanésia, África subsaariana e América do Sul.”

Até agora só falamos das línguas que morrem ou tentam resurgir, tal qual Fênix. Mas e as que nascem?
Bom, na verdade elas não nascem, mas sim modificam-se, sofrem mutações. Veja o caso do “você”. Um pronome de tratamento absolutamente corriqueiro tem muita história. Começou como “Vossa Mercê“, modificou-se para “Vossmicê“, vossuncê, vassuncê, mecê, vancê, vacê e então para “você“, que foi encurtado para “ocê” e que finalmente foi reduzido para “cê”.

O Tiopês, por sua vez, é uma evolução (??) com raízes cibernéticas. Não é propriamente falada (apesar de ser possível notar resquícios), mas substancialmente escrita. Para os praticantes é um jeito “engraçado e incorreto” de escrever. Para outros, “é só mais uma forma mongol e trabalhosa de se comunicar”. O próximo parágrafo será escrito nessa linguagem, com a ajuda de um tradutor, claro.

Como voç puderam notr, é un shoqe ler algo tão diferente. Está certo qe ese tiop de linguagem sobreviav e se desenvolva, em detrimento de tants oltrs (mas de doeszerozerozero, lembram-se?) qe sunariamente são estirpads e estão caad  dia mas estão esvainod-se da Tearr? Talvez esteaj . Se o planeat está entranod em colapso com 6 biliões de nzerozerob, é bem capaz de -n consegur suportr tants dialets. Pode-se dizr qe Darwin também age na faal . Nees caso, serão ess as mas forts e melior preparads a sobrevivr?

Não se esqueça: A língua é humana. Demasiadamente humana.

Em tempo: “A Índia lidera o ranking, com 196 línguas ameaçadas, seguida pelos Estados Unidos, Brasil, Indonésia, México e China.”
Ainda em tempo: Será que eu consigo a versão em papel, a ser lançada mês que vem?

Aldo da Rosa é brasileiro e você não sabia disso!

img128-01

A foto acima pode te surpreender pela quantidade de títulos que Aldo da Rosa tem. Contudo, o que mais me surpreendeu foi o fato de alguém tão importante e com tantos feitos não ter o reconhecimento adequado em seu país de origem. Nem uma mísera biografia na Wikipédia em português fizeram.

De fato, o professor está na categoria das personalidades brasileiras que não são populares, nem objeto de estudo por parte dos jovens. Outros exemplos notórios são César Lattes, que não ganhou o Nobel de Química Física (como bem corrigiu o leitor Cássius Anderson) por uma mera questão hierárquica (já que o prêmio, por direito, deveria ser dele e não do chefe) e o professor Milton Santos – respeitado em todo o mundo por suas teorias sobre o efeito da globalização.

Mas, afinal de contas, quem é o Professor Aldo Weber Vieira da Costa Da Rosa? Para começar, ele é o detentor da patente americana sobre o processo de fabricação da Amônia (NH3) e mais outras 19 patentes.
Da Rosa também foi fundamental na história da Aeronáutica Brasileira. Se Santos Dummond foi pioneiro ao decolar com seu 14-Bis e o Tenente Coronel Marcos Pontes foi o 1° astronauta brasileiro, o Brigadeiro Da Rosa está situado entre essas duas gerações, FUNDANDO o Centro de Tecnologia Aeronáutica (CTA) e o Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento (IPD), atualmente denominado Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Como se não bastasse, Aldo da Rosa já lecionou no ITA e ainda hoje leciona – como professor emérito – na Universidade de Stanford, na qual é formado PhD. Lá, desenvolve um projeto sobre energia renovável, já que é o autor dos fundamentos do processo da energia renovável. Coisa pouca, não?

Reforçando o pioneirismo de Da Rosa, há a passagem em que ele é o responsável por pilotar o vôo inaugural do “Beija-Flor” – um helicóptero desenvolvido por Heinrich Focke (que por sua vez foi pioneiro no desenvolvimento de helicópteros perfeitamente controláveis)

Se você pensa que os feitos do Brigadeiro Engenheiro Professor Doutor PhD (ufa!) acabaram, está enganado. Com quase 91 anos, ele quebrou 99 recordes nacionais e 37 internacionais como nadador na categoria Masters. Em função disso, foi incluído, em 2004, no Hall da Fama dos Nadadores Masters.

Ei-lo aqui:

rosalg

Ah sim… ele é brasileiro! Espero, com esse post, poder contribuir para que a imagem e os feitos do Professor sejam conhecidos do grande público. A cidade de São José dos Campos, em São Paulo, tem avenida, auditório e provavelmente outras edificações com o nome dele. E o Brasil? Esse país continental, mais uma vez, esquece dos verdadeiros heróis e não aprende com a mente brilhante de alguns de seus expoentes.

Quantos “Aldos da Rosa” essa nação deve ter sem que nunca saibamos? Seja o quão difícil for, Idéia Fix irá atrás para mostrar quem são esses brasileiros.

Quer saber mais sobre Aldo da Rosa? Aqui vão alguns links que ajudarão você a descobrir mais sobre esse brilhante brasileiro:

Aldo da Rosa na Wikipédia (em inglês, para a vergonha dos brasileiros)
Perfil do Professor no Orkut na Stanford University
Entrevista para o SindCT (finalmente algum site tupiniquim)

O incrível caso do BEBÊbado

Bebê nasce bêbado

Uma mulher polaca entrou em trabalho de parto em um bar sendo levada com urgência para um hospital próximo. A mãe de 38 anos de idade, tinha um nível de 1,2 gramas por litro, no momento de dar à luz, que só pode ser atingido por um ser humano normal após beber o equivalente a uma garrafa de vinho ou dois litros de cerveja.

Como resultado, o recém-nascido teve um nível de alcoolemia de 2,9 gramas por litro. Na Polônia o nível máximo permitido para um motorista é de 0,2 gramas por litro. A mãe poderá enfrentar acusações criminosas e pegar até uns 5 anos de prisão depois de ter posto em perigo a vida de seu filho. Segundo os médicos isso pode acarretar graves problemas à criança ao longo de seu desenvolvimento.

Por mais absurdo que pareça, essa notícia é real… Mas eu gostaria de chamar atenção para uma parte em específico do caso. Segundo os médicos, a criança pode ter graves problemas ao logo do seu desenvolvimento. Estaria ele se referindo ao alcoolismo? Será uma cena um tanto quanto curiosa quando o jovem polaco for à uma reunião dos A.A. (qual é a sigla, em polaco para Alcoólicios Anônimos?) e for perguntado quantos anos tem e há quantos anos bebe. Pouca gente vai acreditar que a resposta será a mesma para ambas as perguntas…
Para vocês terem uma idéia do quão manguaçada estava a criança, o volume de álcool no sangue (ou seria sangue no álcool?) ultrapassava quase 15 vezes o máximo permitido para um motorista (ainda não foram testados níveis seguros para recém nascidos)

Agora vamos falar um pouco da mãe. O que leva um ser humano (?) a transformar a própria placenta em Open Bar poucas horas antes de dar a luz ao seu rebento? Tudo bem que “quem não aguenta álcool bebe leite”, entretanto, a relapsa se esqueceu que no caso da criança, é justamente o que se deve tomar. Se possível por mais de 2 anos…
Se a mãe fosse adolescente, até daria pra entender. Quando se é jovem, bebe-se para esquecer o que de ruim acontece (é melhor deixar explícito que esse NÃO é o meu caso).

Onde estaria Homer Simpson o pai nessas horas? Pois é amigos… Estrutura familiar é fundamental. E a estrutura dessa família está apoiada em fortes bases… de garrafas long neck.

Para variar, surgiram comentários engraçadinhos… escolha o seu:
a) Esse nasceu mamado!
b) Em homenagem à esse baixinho, Xuxa vai regravar “Garçom”, de Reginaldo Rossi;
c) Leite, álcool…. tudo mata os vermes mesmo…
d) Esse vai ser um bêbado chato… já nasceu chorando!

Visto, entendido e devidamente copiado (a notícia) do Arroba Zona

Contos Infantis: Neo-Adormecida; parte I

Era uma vez um magnata que não podia ter filhos. Ele e sua esposa tinham de tudo: carros, aviões, edifícios, condomínios, ilhas e todas essas coisas que gente que tem dinheiro sobrando compra, em vez de enfiar em uma instituição de caridade.
Entretanto, eles invejavam ter aquilo que os pobres têm sobrando: filhos.
A esposa (e madame) era estéril e ele ainda não falara com o médico (o Pelé falaria…). Como os dois já estavam pressentindo que a estadia nessa plano estava acabando, resolveram recorrer a fertilização in vitro.
A madame engravidou e a gestação foi normal. Até que, aos nove meses, durante um jantar – no qual estavam saboreando, pela primeira vez, uma iguaria chamada lingüiça – a madame sentiu que era a hora. De morrer? Não! De botar para fora a lingüiça? Não! Hora de ter a criança!

A cezariana foi tranqüila (também, com um hospital igual a aquele!) e o magnata foi incumbido da tarefa de nomear o rebento. Ou melhor, A rebenta. Percebendo que não conseguiria encontrar um bom nome, achou por bem dar o primeiro que lhe viesse à cabeça. Então o magnata lembrou-se do jantar e deu o nome para a herdeira: Aurora.

Aurora Hiltun cresceu linda e rica. Cercada de empregados e filhos de empregados. Cercada de seguranças e filhos de seguranças. Cercada de fãs e filhos de fãs. Mas sem nenhum amigo. Ou melhor, apenas um amigo: Serginho Mallandro.
Em sua festa de 15 anos, Aurora não pediu uma festa, como era o esperado, mas um jantar no qual fossem convidadas as pessoas mais estranhas da cidade. Pedido feito e pedido aceito, mas com uma resalva. Seriam apenas 4 convidadas excêntricas.

As 21 horas chegou a primeira convidada:
Logo depois chegou a segunda convidada: Narcisa Tamborindeguy (?). O presente? Uma caixa com 12 ovos. Aurora, curiosa, abriu a caixa: Restavam apenas 7. Narcisa explicou: “Não resisti e já usei seu brinquedo… mas foi só para testar!”
A terceira convidada chegou meia hora depois: era a menina pastora. Ela logo explicou o atraso: “Eu nome de Deus eu peço perdão! Não fui eu irmãos que atasei… foi o Satanás! Foi ele que me fez atrasar! Estava saindo do culto e uma pecadora anônima jogou um ovo na minha cabeça… Foi Satanás! Foi o capeta! Tive que trocar de roupas para poder dar a benção aqui nesse jantar… Aleluia irmãos!”

Mallandro cantou (?) seus maiores sucessos (???) e o jantar começou, contudo, nada da quarta convidada…. O prato principal foi servido (não foi a Narcisa) e depois a sobremesa (também não foi a Narcisa)… O clima ficava tenso e Aurora preocupada. Quando o cafezinho estava sendo servido e Mallandro se preparava para encerrar a festa cantando Bilu-Tetéia, a campainha tocou…
O mordomo abre a porta e em meio a uma nuvem de flashes da imprensa, adentra uma mulher. Ela usa preto e tem um ar misterioso… Mas… NÃO ERA A 4ª CONVIDADA!
” - Eu não fui convidada para essa festa! Eu não me importo não… mas não podia ter convidado a outra.. a concorrente.. tudo bem… mas fique avisada Aurora querida… aos 18 anos você será picada por uma roca e morrerá! Ouça o que eu digo… MÃE DINAH aqui não erra!”

O caos se instaurou na mansão e Mãe Dinah sumiu. Aurora subiu chorando e nem deu atenção aos grito de Narcisa, que histérica, recomendava o lançamento de alguns ovos para “desestressar”.
O jantar estava quase acabando de forma trágica. Mallandro, sozinho, cantou Canavial de Paixões. Agora sim o jantar tinha acabado de forma trágica.

A vida seguiu seu rumo… O rumo de uma garota rica e normal. Aurora continuou crescendo e ficando mais bonita. Envolveu-se em alguns escândalos. Foi fotografada sem calcinha e seu pai morreu de desgosto ao abrir o blog do Cardoso e se deparar com as vergonhas da filha expostas para o mundo todo. Aurora também foi flagrada bêbada, mas só algumas vezes.

Enfim tinha chegado aos 18 anos. Obviamente, os avisos de Mãe Dinah foram esquecidos, afinal, quem se lembraria do que falou uma senhora, possivelmente manguaçada e que jurava prever o futuro?
O dia passou sem grandes novidades. Já a noite….
Após bater mais um carro, parou numa casa noturna, como de costume. Sentou no balcão e pediu um Martini duplo, com dois guarda-chuvinhas.
Ao seu lado sentou-se um homem barbudo, usando um blazer preto. Aurora o achou atraente. Virou-se para puxar papo com o sujeito e falou com uma voz dengosa:
Oooooi tio! Como é seu nome?
O estranho, num ágil movimento de mãos segurou a cabeça da garota e aproximou a orelha de Aurora da própria boca, proferindo as fatídicas palavras:
Dorme, dorme, dorme”

O que ninguém esperava era que Mãe Dinah estava certa. Ou melhor, quase certa.

Do banheiro da boate a velha vidente saiu e, num assustador sorriso congratulou o sujeito:
Brilhante Fábio Puentes! Brilhante! HAHAHAHA (*onomatopéia de risada maligna)
Non es nada, mi señora… Fábio Puentes está ao su inteiro dispor”
“Graças a você, meu plano pode ser completado!” -
finalizou Dinah

Aurora fora picada naquela noite, mas não por uma roca – afinal, quem usa roca hoje me dia? – e sim por um mosquito. Um mosquito com nome e sobrenome: Aedes aegypti.
O terrível plano para Mãe Dinah acertar uma previsão tinha funcionado. Agora era só jogar a patricinha na porta de casa

Então, uma reação anormal aconteceu no corpo da jovem. Uma mistura de muito álcool, bacalhau, churros e um arbovírus tipo 2 resultou em um estado de coma que mostrou-se irreversível após alguns exames. Aurora estava condenada à dormir eternamente.

6 meses se passaram com a jovem inerte em seu quarto – que pela primeira vez em muito tempo estava arrumado. O estado vegetativo preocupava a imprensa, que em função do inesperado coma, não tinha mais tantos furos sobre a herdeira dos Hiltuns.

Mallandro, nesse tempo todo, andou desolado. Procurava incansavelmente a cura para a doença de Aurora. Queria a amiga de volta. Queria alguém para dar seus sábios conselhos, tais como: “Se você está triste, não fique triste… A vida é que nem o par ou ímpar: Ou você ganha, ou você perde… Rááááááááá!

Até que eu dia, não mais que de repente, Mallandro…

***Cenas do próximo capítulo***

Teria Mallandro encontrado a cura para o coma de Aurora?
Estaria Mãe Dinah trabalhando (nos dois sentidos) para outra pessoa?
Aurora escapará do estado vegetativo e terminará com Mallandro?

NÃO PERCA!
Em breve, aqui no Idéia Fix
* risada maligna *

A mancha de um campeão quase irretocável

O FC Zenit Petersburg, um time russo patrocinado pela Gazprom – maior empresa gasística da Rússia e que tem como conselheiro o presidente do país Dmitriy Medvedev (torcedor assumido do Zenit) – venceu hoje a Copa da UEFA, que é uma espécie de Copa Sul Americana com muito mais importância.

A campanha foi brilhante e começou lá no longínquo ano de 2007, nos dias 16 e 30 de agosto, quando, na oportunidade, venceu o Zlatè Moravc por 2 e 3 a 0, respectivamente.
Depois, a vítima foi o Standard. Vitória em casa e empate fora.

Classificado para o grupo A, disputou vaga com Larissa, AZ, Nürember e o inglês Everton. Classificou-se em 3°, atingindo 5 pontos em 4 jogos.

Tinha chegado a hora da onça beber água… Agora veríamos quem estava preparado para seguir em frente e conquistar o 2° título inter-clubes mais importante da Europa.

Logo de cara, o Zenit enfrentou o Villareal – que já chegou a uma semifinal de UCL – e fez o mínimo para passar: vitória (1X0) em casa e derrota fora (2X1). “Gols fora de casa” é critério de desempate.
A Europa pensou estar vendo uma zebra nascer. Só não esperava que ela fosse crescer…

Nas oitavas-de-final, enfrentou o Oympique de Marselhe, tradicional equipe francesa.
Novamente foi salvo pelo critério dos gols fora de casa. A derrota fora (3X1) e a vitória (2X0) em casa garantiram os russos na impressionante fase das quartas de final. A partir daí, poderemos chamar de fase “papa alemão” da competição.

A primeira vítima foi o Leverkusen. E dessa vez não precisou ser salvo pelo critério que tanto os ajudou. Um sonoro 4 a 1 fora de casa foi o suficiente para os críticos perceberam que a zebra que nascera na Espanha, crescera e fora se reproduzir na Alemanha.
Nem a derrota por 1 a 0, em casa, esfriou os ânimos do gelado time russo.

Nas semi-finais aconteceu o ápice de toda e qualquer surpresa que o futebol poderia nos proporcionar. Quem ainda duvidava que o esporte bretão era uma caixinha de pandora, os jogos contra o todo poderoso Bayern de Munique foram banhos de água fria. ou melhor… gelada.

Tudo parecia ir bem para o time germânico de Podolski, Kahn, Zé Roberto, Luca Toni, Ribery, Lúcio e cia limitada. Até chegaram a abrir 1 a 0, no Allianz Arena.
Entretanto, a zebra russa resolveu encarnar o exército vermelho de Trótski e empatou o jogo. Assombro geral.
Isso porque ninguém esperava pelo jogo de volta. Um retumbante 4 a 0 (!!!!!) pôs mais um time russo na final da UEFA Cup. Cheguei a comentar com um amigo que seria uma vergonha se o Bayern, com o time ignorante que possuia, não ganhasse tudo o que disputasse. Quando eu iria imaginar que um time russo, sem tradição no futebol europeu, fosse escrever na história o capítulo que alguns alemães não gostaram de ler?

Daí para o título era quase uma certeza. Os 2 a 0 de hoje – contra o Power Rangers – liquidaram a fatura.

Com todo esse texto aí em cima, espero ter justificado o porquê do “campeão irretocável”. Agora, eu me sinto na obrigação em justificar a parte do “A mancha“.

Na partida contra o Olympique de Marselha, torcedores russos ofenderam 3 jogadores negros do time frânces. Esse incidente trouxe à tona um concreto e explícito racismo arraigado no âmago da parte mais radical da torcida do Zenit. Questionado sobre o assunto, o técnico fez uma declaração que surpreendeu muitos daqueles que achavam que já tinham visto tudo no futebol: ““Eu gostaria de contratar qualquer um, mas os torcedores não gostam de negros. Honestamente, não entendo por que eles prestam tanta atenção na cor da pele. No nosso time, é impossível ter um jogador negro”, admitiu Advocaat ao site Scotsman.com.

Foi isso mesmo que você leu. O técnico admite que a TORCIDA (e que fique bem claro que é torcida) não aceitaria um jogador negro na equipe. A que ponto chegamos? Agora, só porque o jogador é negro, não é recebido de braços abertos pelos tifosi?

Essa torcida tem que aprender que o talento não escolhe o jogador pela cor, condição social, idade, credo, local de nascimento. Basta ver esses diferentes jogadores: Nakamura, Kaká, Drogba, Bojan, Romário.
Nakamura é japonês. O melhor japonês que vi jogar. Kaká é branco e nasceu com uma condição social e econômica altamente favorável. Drogba é costa-marfinense e negro. Bojan é jovem. Romário já está “””aposentado”””. Sem sombra de dúvidas, eu contrataria TODOS esses jogadores para a minha equipe.

É triste ver que um campeão quase irretocável, teve um campeonato perfeito manchado por sua própria torcida. Torcida que justamente deveria apoiar a equipe incondicionalmente, não importando quem sejam os jogadores.

Um mancha, sem dúvida. Mas uma mancha sem cor. Ou com a cor da vergonha…

PS: Texto longo, eu sei. Mas necessário.

O Tio Sam está caduco

Vejam vocês como são os norte-americanos:

O Brasil desde 94 faz tudo certo na área econômica, não dá calote em ninguém, paga tudo direitinho (méritos de FHC e Lula) e agora os norte-americanos, com suas agências esdrúxulas, vem falar que somos “alto grau de investimento” ??!!

Quem é o maior produtor agrícola do mundo?? Quem detém a tecnologia dos biocombústiveis a mais de 30 ANOS e não precisa substituir o fim alimentício do milho (por exemplo) para produzi-lo??

É… e além disso, o Tio Sam caducou com a bolha… do mercado imobiliário.

PS: Obrigado pela oportunidade, Frank, e até sexta que vem!!

UPDATE: Parece que o Tio Sam está dando uma de super homem, pois a criptonita da crise imobiliaria está dando um baita sufoco.

Isso é uma cobra! Ou não?

Eu vi essa no Mundo Gump e de tão extraordinário, me senti na obrigação de reproduzir aqui… Mas com as minhas próprias palavras. Plágio é sacanagem.

A natureza é algo engraçado. Nos presenteia com exemplares belíssimos, como as araras azuis, e também com exemplares não tão belos assim (vide o Aye-Aye).

Agora, as vezes, a natureza nos presenteia com dúvidas que parecem insolúveis (ou insolucionáveis?). Por exemplo: O que é o ornitorrinco? Um catado do que sobrou dos outros animais? Um gracejo de Deus para confundir os biólogos? Um acidente na prancheta de Deus, que a deixou cair e viu que mistura dos papéis daria um ótimo animal? (by Philipe)

Outra dúvida que não quer calar: Que animal é esse?

Se você respondeu COBRA…. errou!

Por mais inacreditável e “gumpístico” que pareça, isso é um lagarto sem pernas do cerrado.

Eu ainda não acredito. Por mais que as fotos mostrem que ele tem perninhas (você verá mais abaixo), eu não consigo aceitar que isso NÃO SEJA UMA COBRA.

A nova espécie foi encontrada no cerrado do Tocantins, junto com 14 outras espécies que eram desconhecidas da comunidade científicas até então. O cerrado do Tocantins tem muito mais a dar do que apenas palmas (nossa.. péssimo trocadilho)

Veja no detalhe a mini perninha do bicho:

É… a natureza nos prega peças…
Aliás… por falar nisso.. Aristóteles disse uma vez: “A natureza não faz nada em vão”.
Então, sábio Aristóteles: Qual será o objetivo da natureza dessa vez?