F1 2012: GP da Bélgica

Após batida espetacular na largada, Button guia com maestria e prova que os problemas em casa terminaram.

Quando Button, Kobayashi e Raikkonen foram confirmados na primeira fila do circuito de Spa, a expectativa era de uma largada de proporções épicas. Mas ninguém imaginava que o elemento surpresa viria de trás.

Antes das luzes se apagarem, o carro do japonês começou a exalar um delicioso cheiro de churrasco. O motor ficou mais defumado que presunto parma. Resolvido o problema, Maldonado, o Venezuelano Trapalhão,  ao contrário do que se diz por aí, NÃO queimou a largada, ao menos pela imagem frontal que vi (video abaixo). Eu asisti a cena várias vezes e não consigo enxergar. Deve ter algum outro ângulo que fique mais claro. De qualquer forma, perdeu 10 posições. Como se não bastasse, um francês resolveu decolar.

Grosjean, que não gosta muito de terminar GPs, surtou bonito e cometeu a maior barbeiragem da década. Assim que começou a acelerar, decidiu trocar de pista e posicionou o carro para fazer a curva fechada. Só esqueceu que um campeão mundial vinha atrás e fechou a porta sem cerimônia. Cerimônia, segurança, senso de direção, etc, etc…

O toque desestabilizou o carro, mas não diminuiu a velocidade. E então, porque não passar por cima do carro do Alonso, não é mesmo? As imagem são impressionantes. Quase que o espanhol perde a cabeça, e no sentido literal. O pancadão na largada poderia ter sido trágico. Se não são as imagens, seria inacreditável. Assista o video clicando no link abaixo.

[http://vimeo.com/48695838]

Eu teria saído do carro com o macacão todo borrado, diga-se de passagem.

Outro momento empolgante da corrida foi a ultrapassagem de Raikkonen em Schummacher, na Eau Rouge. Colou bonito no alemão e, por fora, num curto espaço, passou igual foguete. O velho Kimi voltou de vez.

A corrida terminou com VITORIA DE JASON BUTTON, de ponta a ponta, seguido por Vettel e Raikkonen. Boa surpresa foi Hulkenberg em quarto. O conformado Felipe Massa terminou em quinto. Pô amigo… com uma Ferrari você se contenta com um 5º lugar?

É bom registrar que o atabalhoado e imprudente Grosjean foi punido e não vai disputar o próximo GP, de Monza. Apesar dos pesares, eu gosto desse cara. Se parar de fazer lambança, tem futuro.

O campeonato ficou assim: Alonso, mais vivo do que nunca (164 pts), Sebastian “come quieto” Vettel (140 pts), Webber – olha o canguru aí (132 pts), Hamilton (117 pts), Jason “Será que dá?” Button (101 pts).

Em 09 de setembro, Monza recebe a F1, mais uma vez. A Itália é logo ali.

F1 2012: GP da Alemanha, Hockenheim

Vettel respira, Button renasce e Alonso brilha de novo, na 22ª corrida pontuando. O líder é mais do que nunca, o espanhol.

Logo que as luzes do semáforo sumiram, os brasileiros demonstraram a boa fase que passam e envolveram-se em acidentes. Massa se enrolou com Ricciardo e Senna uniu pneus em matrimônio com o ainda ansioso Grosjean (aliás, o francês parece ter um gostinho por sair da pista, fazer rali nas zebras e nos escapes). Já digo logo que, respectivamente, terminaram em PÉSSIMO SEGUNDO e PÉSSIMO SÉTIMO.

No pelotão da frente, Hamilton passou por cima da taxinha e viu seu pneu murchar.  A ida aos boxes não ajudou muita coisa e, apesar da luta no pelotão de trás, decidiu abandonar. Segundo declaração do próprio, problemas mecânicos afetaram seu desempenho. É… foi a rebimboca da parafuseta.

A Sauber apresentou bom desempenho, fazendo voltas muitas vezes “na mesma balada” que os ponteiros. O mito Kobayashi em quinto e ligeirinho Perez em sexto confirmam a boa corrida.

Button merece um parágrafo pelo renascimento: largou em 6º. Após vencer a primeira prova e terminar em segundo na segunda feira, não vinha conseguindo bons resultados. Pra falar a verdade, foram corridas pífias. Dessa vez acertou a mão (deve ter resolvido os problemas em casa. Nada como uma boa noite… de sono?).

Até as ultimas voltas, a situação era Alonso, Button e Vettel. O inglês pressionou o espanhol, chegando bem próximo de usar o DRS para ultrapassar. Deu azar. No momento de colar no vácuo, Alonso foi ironicamente beneficiado pelo trânsito, uma vez que também pode abrir a asa e se defender.

Então foi a vez de Vettel se aproximar de Button. Parecia que não ia dar tempo, mas acabou dando. O alemão se aproximou e no “grampo”, decidiu-se pelo traçado de fora. Contornou Button, usuou a zebra e… opa… acabou a pista. Fim de linha? Não! Tinha a propaganda (do banco do Alonso) em vez de grama. Com a tração mantida, Vettel completou a ultrapassagem.

Tenho certeza que o polido, o cavalheiro, o inabalável Button ficou bem puto, mas a FIA, apesar de comunicar que iria investigar o ocorrido, não deve tomar nenhuma atitude. Na minha opinião, sorte do Vettel contar com a extensão da pista. Correu o risco e se deu bem. Podia ter dado errado.

E PODE COMEMORAR FERNANDO ALONSO DAS ASTÚRIAS! VOCÊ E SUA FERRARI VENCERAM O GP DA ALEMANHA DE FORMULA 1. VIBRA DOM ALONSO!

Vettel, por enquanto, chegou em segundo e Button, em terceiro. Mas tá bom pro inglês, não tem muito o que chorar não.

O campeonato ficou assim: Alonso (154 pts), Webber (120 pts), Vettel (118) – a Red Bull tá pegando fogo, hein? – Raikkonen (95 pts), Hamilton (92 pts).

A próxima corrida acontece em Budapest, no dia 29 de julho.

Metade do campeonato já foi. Alonso vai manter a estrela e mostrar que a Ferrari continua melhorando? Webber vai manter o fôlego e garantir seu emprego para a próxima temporada? Massa e Senna vão parar de passar vergonha? Vamos descobrir juntos!

UPDATE: Vettel foi punido por “cortar caminho” ao ultrapassar Button. Caiu de segundo para quinto. Com isso, Raikkonen fica em terceiro e Kobayashi em quarto. Errei na previsão, como vocês puderam notar

F1 2012: Albert Park, Austrália

O Parque Alberto estava com céu alberto aberto, muito sol e animação para receber os pilotos da Fórmula 1. Finalmente chegou a hora de voltar a assistir os malucos pilotando banheiras de combustível, em busca de um troféu. A cobertura completa, até a última corrida, você vai acompanhar aqui no blog!

Começo de temporada é uma draga. As previsões acabam se baseando nos primeiros testes, os pilotos ainda não estão com ritmo de jogo, o carro – com algumas novas configurações – ainda não está completamente dominado. Pilotos novos. Equipes novas. Porém, tem coisa que parece que não muda. Você já vai entender…

No apagar das luzes vermelhas, a primeira batalha entre os ingleses Hamilton, na pole e Button, coladinho atrás. Melhor para o Lord, que ultrapassou na primeira curva e mandou brasa no acelerador. Senna se deu mal, servindo de pino de boliche para Ricciardo. O brasileiro aproveitou e deu um passeio pela brita (foto abaixo).

Se F1 fosse futebol, diria que o francês Grosjean levou uma dura entrada do Pastor Maldonado. Lesionou a roda dianteira direita e deu adeus a um final de semana bastante promissor (ah se o toque é num brasileiro… o mundo desaba!). Já Raikkonen, reestreando, largou em 17º e na volta 11 já estava em 12º.

Massa e Alonso largaram bem, ganharam posições. Ferraristas agradecem ao sempre competente launch control. Falando no cavalinho, Schummacão velho de guerra mandou bem e agarrou com vontade a terceira posição. De campeão pra campeão, Vettel finalmente teve o teste que precisava. Ultrapassagem linda no Rosberguinho (olá, seu Keke!).

Foi só eu elogiar o Schummi para, na volta 12, ter problemas no cambio, sair da pista, aparar a grama e não voltar mais. Nem atrás até do Pic. É… Pic. Não é abreviação. O cara chama Pic. Eu mereço.

O Pic, aliás, é um privilegiado. Assiste a corrida DENTRO da pista. Camarote VIP é para os fracos.

O mito Kobayashi tentou passar Massa. Atacou demais e perdeu o traçado. Kimi vinha logo atrás e foi obrigado a dividir pista com o japonês. O toque entre os carros não deslocou ninguém, com vitória pro finlandês. Boa briga que pode se repetir ao longo da temporada. Em tempo: os dois passaram Felipe. Que faaaaase.

Na volta 37, a Caterham teve a melhor participação na corrida: estacionou na reta dos boxes e permitiu a entrada do safety car. Assim, a vantagem monstro que Button tinha foi pro espaço. Nada de interessante ocorreou após a saída do carro madrinha (ainda se usa essa expressão?)

Faltando poucas voltas pro fim, uma cena emblemática: Felipe espalha, Bruno fecha e os dois se enroscam bonito, detonando a carenagem e furando pneu. A briga era pela 14a posição. Massa, inclusive, saiu com um belo carimbo na lataria. Que situação. Que fase. Que desagradável. Um retrato do automobilismo brasileiro.

No fim, Alonso conseguiu manter a quinta posição muito bravamente, brigando absurdamente contra o carro. Pastor Maldonado, o destaque da prova, errou a entrada na chicane e foi pro muro. Nada grave, tanto é que chegou na frente da Marussia (!).

Ou seja, enquanto os brasileiros davam cabeçadas nas ultimas posições, seus companheiros de equipe destacavam-se lá na frente. Parabéns aos envolvidos!

Opa, já ia esquecendo. VAI JENSON BUTTON! RECEBE A BANDEIRA QUADRICULADA E VENCE O GP DA AUSTRÁLIA 2012! COMEMORA GAROTO!

Sebastian Vettel foi bem, encarou o trânsito e chegou em segundo lugar. Agora sim! Completando o pódio Lewis Hamilton cabeça de fósforo. Prova bem honesta pra começar a temporada, viu?

Sobre as carroças

Lembra que eu disse que algumas coisas nunca mudam? Pois bem. É vergonhoso que a organização da F1 aceite em seu grid três equipes sem a menor estrutura para figurar na principal categoria do automobilismo. O melhor que a Caterham fez na Austrália foi estacionar na reta dos boxes, forçando o SC. A Marussia conseguiu perder para um carro que bateu no muro.

Agora… a HRT NEM LARGOU. Não teve competência pra andar o mínimo exigido no qualify. O carro foi montado na quinta feira de testes. Como pode?

A partir de hoje não chamo mais essas três equipes de carroças. Tais veículo são modernos e uteis. De agora em diante, essas três equipes serão por mim chamadas de BIGAS: velhas e sem utilidade alguma. Não me surpreendo se algum dia algum dos coitados pilotos acabarem por dirigir em pé.

O CAMPEONATO COMEÇA ASSIM: Button, Vettel, Hamilton, Webber, Alonso, Kobayashi, Raikkonen, Perez, Ricciardo e Di Resta.

PRÓXIMA CORRIDA: Semana que vem, dia 25 de março, na Malasia. Piada prontíssima, embalada pra presente. Rá.

Queria uma do Button, mas essa é mais legal. Ondecevai Bruno Senna!?

F1 2011: Montreal, Canadá

Por Frank Toogood

Tem certas corridas que você se pergunta: “Como diabos descrever o que aconteceu naquele circuito?“. É justamente o que me pergunto quando começo a digitar esse texto. Vamos tentar ser objetivos: Button venceu, Kobayashi foi sétimo e Schummacher terminou em quarto. Hummm… não. Não ficou bom. Ser objetivo nem de longe demonstra o que foi esse GP. Vamos então dividir por pilotos. Isso talvez ajude a organizar o que foram, de verdade, as 4 horas do GP do Canadá. O quê? Eu não mencionei que o GP durou tanto tempo?

A chuva já era prevista desde o treino classificatório. Previsão cumprida. Um aguaceiro caiu sobre o circuito e a largada foi atrás do Safety Car. Algumas voltas depois e a tartaruga foi para os boxes. Na 25ª volta, sem condições. Bandeira vermelha por duas horas. Voltemos, pois, para a ideia inicial. Eis os pilotos:

Michael Schummacher: Sem a menor sombra de dúvidas, a melhor corrida do alemão desde que resolveu largar o jornal e o roupão e abandonar a aposentadoria. Deve ter sido isso que imaginou quando teve a brilhante ideia. Veja: o cidadão foi melhor que Niko, seu companheiro de equipe. Tirou da sua Mercedes muito mais do que ela poderia oferecer, enquanto a pista esteve molhada. Ultrapassou Webber duas vezes, além de outros pilotos em melhor fase. Conseguiu passar Massa e Kobayashi AO MESMO TEMPO e ainda deu calor em Vettel.  É possível que ele não repita o que fez hoje. mas o que fez hoje já valeu todas aquelas corridas toscas que participou. Um monstro.

Felipe Massa: Quem diria, foi bem. Manteve-se um bom tempo na terceira colocação, brigou bastante com Kobayashi e… bateu na reta? Ahhh Massa, assim não amigo. Foi passar uma Hispania e deve ter beliscado uma poça d’água resistente. Deu uma bitoca no muro e perdeu muitas posições  No fim, pode abrir um vinho para comemorar, já que, inacreditavelmente, passou Kobayashi nos últimos metros/centímetros. Digno de fotosharp.

Kobayashi, o mito: Esse cara vai longe. Ou não. O que tem de mito tem de maluco. Piloto arrojado, deu sorte hoje. Com aquela confusão de chuva indo e vindo, o japonês apareceu no retorno após a bandeira vermelha em segundo lugar. Todos por um. Todos por Koba. Mas a Sauber não suportou a qualidade dos outros carros e nosso herói foi pererecando para trás. Pena que no finzinho o Massa fez o que fez, tirando pontinhos dO Cara.

Fernando Alonso: Vinha fazendo aquilo que a sua Ferrari permitia. Brigava com Hamilton, com Button, com a chuva, com o vento, com o comissário barrigudo. Enfim… brigou tanto que, na hora de passar Hamilton, um leve toque foi suficiente para uma rodada sem volta. Fim de corrida.

Lewis Hamilton: Está numa fase meio “dane-se e vamo que vamo. Aquela história de ser agressivo, arrojado, combativo, corajoso as vezes atrapalha o próprio piloto. Furou o pneu tentando passar o companheiro de equipe no começo? Precisava? Não sei…. Tocou em Webber também. O grande problema é que poderia conquistar resultados melhores se aprimorasse suas ultrapassagens. Muita garra e pouca técnica.

Mark Webber: Foi o primeiro a colocar pneus pra pista seca. Mais do que iniciar o troca-troca, no bom sentido. Mais do que isso, mostra que ele tenta se reerguer com estratégias diferentes. Terminou em terceiro. Pra quem vai deixar a equipe no fim da temporada (no fim?), está de bom tamanho.

E agora vem o principal:

Sebastian Vettel: Não dá pra falar absolutamente nada de Vettel até as ultimas 4 voltas. Até lá, fez o que está acostumado a fazer (e o faz com muita propriedade): correr sozinho, destruir tempos, disparar como um cavalo de corrida. E aí aconteceu aquilo que eu vivo repetindo, está até fiando chato: deixou de correr sozinho e passou a fazer as curvas com um bico de um campeão mundial no retrovisor. É amigo… a perna deve ter começado a tremer, o capacete ficou mais pesado do que de costume, a água pra molhar a boca deve ter acabado. Errou a tangência da curva, espalhou e deixou Button vencer a prova. Pode até culpar os pneus que se esfarelavam, a asa aberta do rival, o que mais quiser. Mas é FATO que não suportou a pressão.

Jenson Button: Aconteceu de tudo com o cidadão. Parou SEIS vezes nos boxes. Tocou em Hamilton. Tocou em Alonso. Foi punido com um drive through. Ultrapassou e foi ultrapassado. Esse tipo de coisa ia acabar com a corrida de qualquer um. Mas não hoje. Uma vitória, na última volta, para entrar para a história da F1. Vitória de campeão mundial.

Próxima corrida: 26 de junho, em Valência. Alonso vai correr (quase) no quintal e casa de novo. Agora vai?

F1 2009: GP Cingapura ou Singapura?

Acabou de acabar (tá.. eu sei, ta errado) o GP noturno de Cingapura de F1.

Lewis Hamilton da Mclaren passeou e venceu com facilidade a prova. Em segundo, chegou um surpreendente Timo Glock com sua Toyota e cruzou a linha em terceiro, o bicampeão Fernando Alonso e sua “suja” Renault.

Enquanto isso, na briga pelo campeonato, as duas Brawns brincaram de gato e rato. Button e Barrichello, um não querendo deixar o outro escapar na briga pelo campeonato, fizeram de marcação “homem a homem” com muitas variantes.

Primeiro, o brasileiro largou melhor e conseguiu colocar 2 carros na frente do companheiro. Barrichello em sétimo e Button em décimo. E eles foram assim até o primeiro Pit Stop.

No primeiro Pit, uma conjunção com um “safety car” na pista, após uma batida de Sutill com Heidfeld, ajudou o inglês a tirar a vantagem conseguida pelo brasileiro na largada, o que lhe permitiu chegar a frente do brasileiro. Button, mesmo com sérios problemas de freio, chegou em quinto e Rubinho, em sexto.

Com o resultado, a diferença aumentou em 1 ponto em favor do inglês, Veja ai:

01 Jenson Button 84
02 Rubens Barrichello 69
03 Sebastian Vettel 59
04 Mark Webber 51.5
05 Kimi Räikkönen 40
06 Lewis Hamilton 37
07 Nico Rosberg 30.5
08 Fernando Alonso 26
09 Timo Glock 24
10 Jarno Trulli 22.5

A classificação final da corrida:

1: Lewis Hamilton (ING/McLaren) – 61 voltas em 1h56min06s337
2: Timo Glock (ALE/Toyota) – a 9s634
3: Fernando Alonso (ESP/Renault) – a 16s624
4: Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) – a 20s261
5: Jenson Button (ING/Brawn GP) – a 30s015
6: Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP) – a 31s858
7: Heikki Kovalainen (FIN/McLaren) – a 36s157
8: Robert Kubica (POL/BMW) – a 55s054
9: Kazuki Nakajima (JAP/Williams) – a 56s054
10: Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari) – a 58s892
11: Nico Rosberg (ALE/Williams) – a 59s777
12: Jarno Trulli (ITA/Toyota) – a 1min13s009
13: Giancarlo Fisichella (ITA/Ferrari) – a 1min19s890
14: Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) – a 1min33s502

Não completaram:

Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) – na volta 48
Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) – 48
Mark Webber (AUS/Red Bull) – 46
Adrian Sutil (ALE/Force India) – 24
Nick Heidfeld (ALE/BMW) – 20
Romain Grosjean (FRA/Renault) – 4

Fontes: f1.com e Gazeta Esportiva

Próxima corrida: Próximo fim de semana, em Suzuka, no Japão

(Pitaco do Frank): É… ficou difícil pro Rubinho. Mas ainda dá… será que nosso piloto vai ter essa tremenda ajuda dos Deuses da F1?

www.twitter.com/carlaojr

F1 2009: GPs Monaco e Turquia

 Adivinhem quem venceu em Mônaco?? Dou um doce… sim.. foi ele: Jenson Button!! A quarta vitória em cinco corridas.. e quem foi o segundo?? Sim.. Rubens Barrichello.
A corrida foi chata como sempre, nenhuma ultrapassagem.

Já  na Turquia, deu Button de novo (grande novidade) após largar em segundo e aproveitar erro de Sebastian Vettel que largou na pole. A partir dai, Button passeou mais uma vez, a sexta vitória em 7 corridas!!

Os brasileiros: Barrichelo teve o motor com problemas na largada e caiu de terceiro para décimo segundo e após uma disputa com Kovailanien caiu para décimo oitavo. Ele abandonou a corrida com problemas no câmbio.

Felipe Massa fez uma corrida discreta, mas consistente. Circulou entre o quinto e o sexto lugaes, durante toda prova. Acabou chegando em sexto, mas isso é muito pouco para o que se esperava da Ferrari na prova turca.

Nelsinho foi pífio, mais uma vez. Esse está totalmente perdido na F1.

O campeonato:

Pos Driver Nationality Team Points
1 Jenson Button British Brawn-Mercedes 61
2 Rubens Barrichello Brazilian Brawn-Mercedes 35
3 Sebastian Vettel German RBR-Renault 29
4 Mark Webber Australian RBR-Renault 27.5
5 Jarno Trulli Italian Toyota 19.5
6 Timo Glock German Toyota 13
7 Nico Rosberg German Williams-Toyota 11.5
8 Felipe Massa Brazilian Ferrari 11
9 Fernando Alonso Spanish Renault 11
10 Kimi Räikkönen Finnish Ferrari 9
11 Lewis Hamilton British McLaren-Mercedes 9
12 Nick Heidfeld German BMW Sauber 6
13 Heikki Kovalainen Finnish McLaren-Mercedes 4
14 Sebastien Buemi Swiss STR-Ferrari 3
15 Robert Kubica Polish BMW Sauber 2
16 Sebastien Bourdais French STR-Ferrari 2
17 Giancarlo Fisichella Italian Force India-Mercedes 0
18 Adrian Sutil German Force India-Mercedes 0
19 Nelsinho Piquet Brazilian Renault 0
20 Kazuki Nakajima Japanese Williams-Toyota 0

 Próxima corrida: Inglaterra (dias 19,20 e 21 de junho)

(Nota do Frank: Button está lembrando Schummacher, principalmente pela série de vitórias. Esse desempenho abre um campo grande para especulações. Será que o piloto é que é muito bom ou o carro está muito acima da média? O inglês nunca foi mau piloto e teve desempenho pígifo com um carro igualmente pífio. Será a Brawn tão boa a ponto de fazer com que seu piloto mantenha-se no topo? Será Jason tão bom a ponto de levar a nova escuderia – comandada por um velho conhecido – ao topo do mundo, mesmo quando o carro não mais colaborar?
Quanto a Nelsinho, torço muito por ele, mas está difícil. Má fase não combina com F1, ainda que Rubens Barruchello esteja aí para provar o contrário.)

F1 2009: GP da Espanha

Acho que o GP da Espanha foi nervoso.. principalmente para os torcedores brasileiros.

Vamos lá… na largada, Rubinho, largando em 3o lugar, pula na frente de seu companheiro Button, pole, e assume a ponta em uma manobra muito boa. Enquanto isso, lá atrás, uma verdadeira batida entre Buemi (Toro Rosso) Bourdais (também Toro Rosso) Trulli (Toyota) e Sutill (Force India) colocam o Safety Car na pista.

Na turma da frente, Rubinho “senta a bota” e tem uma liderança mansa até os pit stops.

Ah os pit stops! A Brawn muda a tática de Button de três para duas paradas e seu companheiro Rubinho se mantem nas 3 paradas. Foi ai que a falta de peito do piloto brasileiro apareceu: Em vez de exigir da equipe o mesmo tratamento de Button, o brasileiro FAZ AS 3 PARADAS E PERDE A CORRIDA.

Lamentável… isso não é atitude de um piloto que quer ser campeão. Acabou chegando em segundo.

Felipe Massa - ótimo fim de semana com o carro da Ferrari, que apresentou melhoras mas, está longe da Brawn E Red Bull. O piloto Ferrarista vinha com chances de pódio até ser surpreendido por Mark Webber que lhe rouba a terceira colocação e, para completar, a Ferrari o deixa sem combustível. Para chegar num humilde sexto lugar, o piloto brasileiro teve que se arrastar na pista. Pobre Felipe. Detalhe: Massa largou em quarto.

Nelsinho: sem comentários

O vencedor?? Ora, Button, mais uma vez! A quarta vitória em 5 corridas!!

O campeonato ficou assim:

1 Jenson Button British Brawn-Mercedes 41
2 Rubens Barrichello Brazilian Brawn-Mercedes 27
3 Sebastian Vettel German RBR-Renault 23
4 Mark Webber Australian RBR-Renault 15.5
5 Jarno Trulli Italian Toyota 14.5
6 Timo Glock German Toyota 12
7 Lewis Hamilton British McLaren-Mercedes 9
8 Fernando Alonso Spanish Renault 9
9 Nick Heidfeld German BMW Sauber 6
10 Nico Rosberg German Williams-Toyota 4.5
11 Heikki Kovalainen Finnish McLaren-Mercedes 4
12 Felipe Massa Brazilian Ferrari 3
13 Kimi Räikkönen Finnish Ferrari 3
14 Sebastien Buemi Swiss STR-Ferrari 3
15 Sebastien Bourdais French STR-Ferrari 1
16 Adrian Sutil German Force India-Mercedes 0
17 Nelsinho Piquet Brazilian Renault 0
18 Robert Kubica Polish BMW Sauber 0
19 Giancarlo Fisichella Italian Force India-Mercedes 0
20 Kazuki Nakajima Japanese Williams-Toyota 0

Próxima corrida (chatíssima) Mônaco 22, 23 e 24 de Maio

 

UPDATE: Rubinho se diz prejudicado pela equipe. Será??