50 coisas que aprendi com o Castelo Rá-Tim-Bum

O Castelo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura, é o programa infantil mais completo que eu conheço. Posso estar enganado, mas acredito que Cão Cao Hamburger e Flávio de Sousa (diretor e dramaturgo, respectivamente) tenham abordado todas as áreas de conhecimento humano. De Literatura a Astronomia. De Matemática ao folclore. Jornais, rádios, televisão e preconceito. Podemos fazer o teste nos comentários: você indica um tema e eu pesquiso um episódio relacionado.

Atemporal, o “Castelo” é um marco na produção infantil brasileira, tanto pelo roteiro, quanto pelas atuações. Virou clássico, cult. Depois dele, não consigo lembrar nenhuma outro projeto que tenha dado tão certo, nem mesmo o filme e a “Ilha” que vieram de carona. As vezes um raio não cai duas vezes no mesmo lugar.

Conheço uma pessoa que se interessaria muito pela lista de 50 coisas que aprendi com o Castelo Ra-Tim-Bum. Uma não. Duas.

1 – Nem tudo na vida se resolve com magia;
2 – Para se fazer uma limonada, é preciso espremer os limões;
3 – A coroa, o manto e o cetro são coisas de Rainha;
4 – Uma criança pode ter 300 anos e nunca ter ido a escola;
5 – O mundo seria muito diferente se as cobras pudessem ter pernas, pés, braços e mãos;
6 – Jiló é o pior sabor de pizza que existe;
7 – Zula é uma forma muito mais bonita de Avatar;
8- Para apreciar com segurança um eclipse solar, é necessário utilizar um pedaço de filme fotográfico;
9 – É moleza fazer um castelo parar no fundo do mar;
10 – O Capitão Baleia é mais foda que James Bond;
11 – Lareiras são excelentes escolas de idioma. E ligeiramente mais baratas;
12 – Inu é cachorro em japonês, certo @marcelotas?
13 – Mostarda, maionese e chantili NÃO são adubos para planta;
14 – Nomes secretos são formados por “nome da pessoa + sufixo valdo“;
15 – Prédio com 100 andares são MUITO altos;
16 – Pessoas com nome de legume são malvadas;
17 – Gargalhadas podem ser fatais;

Figurinos originais!

18 – O pior castigo que existe é ser transformado num sapo gordo, roxo, com bolinhas vermelhas, olhos esbugalhados e a língua azul;
19 – Antes de comer, beber, lamber e pegar na mamadeira, lave uma mão. E a outra;
20 – Crianças usam cartolas;
21 – Monalisa é, na verdade, uma bruxa com 6 mil anos. Digo, quaaaaase 6 mil anos;
22 – O Lobo Mau mora no zoológico;
23 – Não é necessário utilizar trajes especiais para brincar na Lua. Os astronautas são frescos, mesmo;
24 – Chuvas de brigadeiros não acontecem apenas na imaginação;
25 – Um boné com hélice é o suficiente para fazer um adulto voar;
26 – Armários embaixo da escada são legais. Harry Potter é que não sabe decorar devidamente;
27 – A pior imitação de Sílvio Santos inclui uma Roda da Fortuna nas costas e um terno laranja;
28 – Chá murcha a barriga. Instantaneamente;
29 -  Uma orquestra formada por animais falantes lota o Teatro Municipal;
30 – Por mais felpuda e rosa que seja a roupa do corpo (além da fala fina), ainda é possível dar uns pegas numa repórter gostosa;
31 – Tatatossauro é uma espécie terrível. Tão terrível que é alimentada por um aspirador de pó;
32 – É normal tomar banho de roupa;

Mibalas, mibalas, agart a arevamirp arap mim

33 – Pássaros são músicos polivalentes. De quebra, dançam!
34 – Paradoxalmente, não é um bom sinal quando o Mau fica realmente mau;
35 – Há um Dia Anual da Faxina. E só isso é suficiente;
36 – Se você ouvir barulhos nos encanamentos de casa, fique tranquilo;
37 – A máquina de lavar pratos nunca termina seu serviço;
38 – Coleções de pedra devem ser levadas para o Japão;
39 – Um marinheiro sempre deve ter as mãos livres;
40 – Mesmo com uma árvore imensa, o chão nunca fica cheio de folhas;
41 – Inventores ganham muito dinheiro, mas esquecem de pagar os impostos;
42 – Adultos em miniatura vivem dançando dentro de uma caixa;
43 – Tem dia que nada dá certo: é surrebrifru que some, é quebra cabeça destruído…
44 – Um porteiro de lata só dificulta a entrada de conhecidos;
45 – É moralmente aceitável ter uma paixão avassaladora pela própria prima;
46 – Os verdadeiros heróis usam capa e espada;
47 – Tirar o gorro do Saci é o suficiente para vencê-lo. E ainda o deixa com cara de bobo;
48 – Na fazenda, os rapazes trabalhadores sempre tem nome duplo;
49 – Eu PRECISO visitar a Ilha Bora-Bora;
50 – Já deu 50? Então tchau… quer dizer… até amanhã.

Bonus track: Aproveitando que o @marcelotas gostou do texto e o reproduziu em seu blog, gostaria de acrescentar uma boa ideia, a número 51:

51 – Porque sim NÃO é resposta.

Bonus track 2: O leitor Yuri “Arara” Oliveira Petnys lembrou de mais uma coisa, essencial:

52 – Se eu te dou vinte mil cruzados pra pagar três e trezentos, o troco correto é dezessete dezesseis e setecentos!

Bonus track 3: E as contribuições chegam! A Natália Pereira (@nattycp) sugeriu e eu completo

53 – Basta assoviar para aparecer um ser folclórico (e comilão) na sua frente!

Bonus track 4: Recomendo que você dê uma olhada nos comentários. O Patrick fez uma baita lista, com sugestões muito bacanas. Parabéns!

Leia também:

50 coisas que aprendi com Silvio Santos

Despachos de Domingo

—> Nunca havia abordado os buracos que tomam conta das calçadas aqui na cidade de Itatiba.

Aqui perto de casa, por exemplo, tem um trecho que supostamente deveria ser dos pedestres, mas o mato toma conta de tal forma que somos obrigados a caminhar na rua. E não adianta simplesmente cortar o mato, pois é trecho de terra batida.

Já no centro da cidade as calçadas são estreitas. Nós, bípedes, temos que dividí-la com postes e buracos. Ou seja… não sobra quase espaço.

Essa é uma constante na maioria dos bairros. O famoso direito de ir e vir acaba tropeçando nesse aspecto (com trocadilho)

Pobres saltos da mulherada.

—> Segundo a @GiPedrosa, o Picanha na Tábua cometeu uma cagada atrás da outra nesse sábado.

Ela reclama primeiramente do atendimento do garçon. Péssimo.

Depois ela elenca uma série de pequenos infortúnios, tais como: entrega de suco errado e sundae sem corbertura e nozes. Pode parecer coisa boba, mas esse acúmulo começa a irritar de tal forma que dá vontade de sair sem pagar.

Pra finalizar, eles não tinham pizza de Frango de Catupiry. Como pode um lugar que se diz pizzaria não ter um sabor tão básico?

E aí pessoal do Picanha na Tábua? Que foi que aconteceu? Por que tiveram coragem de cobrar os 10%?

—> A dica foi da @dehcapella. O site Filmow é uma espécie de Skoob, mas para filmes (dã).

Se você não sabe o que é Skoob, vale uma explicação:

O Skoob reúne quase todos os livros que você possa imaginar. Você seleciona aqueles que já leu ou quer ler, compartilhando com outras pessoas dessa rede social.

Você pode ler as opiniões e resenhas dos outros usuários sobre esse livro, além de fazer suas próprias observações, claro.

Além do mais, o Skoob  tem um “paginômetro” que mostra quantas páginas você leu, de acordo com os livros que você colocou na sua estante. O meu está em torno de 21 mil.

É bastante complicado lembrar de tudo o que leu ou assistiu. Exercício muito interessante de memória.

E sim… Skoob é Books ao contrário.

—> Dica de vídeo:

Você com certeza já viu Castelo Ra-tim-bum. Se nunca viu, certamente tem um sobrinho pentelho ou mesmo um filho que, sempre que pode, trava o controle na TV Cultura para ver esse clássico programa dos anos 90. Pois bem. Esse vídeo é um Making-off de 12 minutos sobre a atração, exibida no Vitrine no dia anterior a estreia. Muito bacana.

—> O Erasmo Carlos foi muito feliz na escrita da sua biografia “Minha Fama de Mau”. Boas histórias, linguagem simples e direta, além de um registro histórico muito precioso sobre os bastidores da Jovem Guarda e do início e consolidação do rock no Brasil. Leitura recomendada.

Não é por nada não, mas eu também espiaria a Wanderléia no camarim, se tivesse a oportunidade. Nos anos 60, claro.

—> 2010 tem eleição e a internet, felizmente, será um dos picadeiros para a apresentação dos mágicos, para nós, os palhaços. O Twitter – tal como na eleição de Obama – também será amplamente utilizado, com twitts, ReTwitts e Hash Tags. Mas o ex-prefeito de Rodrigues Alves (AC), Deda Amorin, foi um pouco apressadinho e já colocou em seu perfil algumas mensagens sobre sua visita ao Acre.

O TRE entendeu como propaganda eleitoral antecipada e obrigou o “candidato” a apagar o que disse.

Será que o TRE e o STE terão esse mesmo rigor, ou pelo menos esse mesmo policiamento no restante dos meses, igualmente para todos os candidatos, principalmente quando o bicho começar a pegar? Anonimato na internet é uma benção, mas acaba virando carne de vaca quando abusam.

Espero sinceramente que a campanha na web não vire arena para acusações e denúncias vazias. Manja aqueles boatos espalhados por panfletos que ninguem sabe (ou tem medo de falar) quem mandou imprimir? Então… na internet não é necessário gastar papel e tinta.

—> Confirmado: Jack Bauer realiza proezas que a maioria dos mortais não suportaria fazer. Não me refiro apenas a parte física: correr, atirar, pular e matar um aqui e outro ali. A parte psicológica desse agente (dessa vez é junto!) vai muito além do que normalmente se espera de um cidadão como eu ou você.

—> Falando em séries, saudades de assistir La Femme Nikita. Peta Wilson detonou na pele de Jack Bauer versão feminina.

—> Resultado parcial bastante interessante na enquete sobre “Qual a pior tragédia?”

Disparado em 1º lugar está Terremoto no Haiti. Em 2º está Tsunamis na Indonésia.

O que me surpreendeu foi Enchentes no Brasil – Angra dos Reis e São Luiz do Paraitinga – estar com apenas 4% dos votos. Cadê o espírito patriótico?