Para não morrer sem saber

Demorei algum tempo para decidir se faria ou não este post. Da última vez que alguém decidiu criticar cientistas, tomou alguns posts nada agradáveis como feedback. Mas a intenção dessas humildes linhas não é depreciar o árduo trabalho dos pesquisadores, mas, ao contrário, divulgar as descobertas fantásticas que eles são capazes de fazer.

Quando nos deparamos com estudos um tanto quanto excêntricos, a probabilidade de terem sido executados por ingleses é muito grande. Não se sabe porque, mas os estudiosos da terra da Rainha (vida longa à Elizabeth II) descobrem fatos que não parecem muito importantes à uma primeira vista ou à uma segunda vista. Nem à uma terceira vista. Não estou dizendo que saber que usar chapéu esquenta a cabeça não é importante, mas, pelo menos nesse caso, é algo totalmente empírico.

Na mesma matéria da BBC linkada acima, os cientistas desmistificam a cura da ressaca. Parece claro para a maioria das pessoas que a melhor forma de evitar a ressaca é mantendo-se bêbado. Ou dormindo.
Alguns estudos são realmente interessantes. Quando os pais acham que os filhos consumiram açúcar demais, consideram-os hiperativos, mesmo que as pobres crianças não tenham colocado um grão do doce pó branco na boca. Engraçado…. é justamente esse o efeito dos medicamentos placebos.

Mas temos que admitir que alguns fazem sentido. Depois da invasão dos EUA por patinhos de borracha, é bom estar alerta quanto ao surgimento de piolhos super-resistentes. Quatro de cada cinco piolhos são resistentes aos compostos químicos normalmente utilizados para sua eliminação, portanto, nada de Klabin, Kwell, Escabin e derivados. Corte (logo) o cabelo do seu rebento, antes que um piolho mutante brote da cabeça da catita infante (adorei essa expressão) e aterrorize a população do seu bairro. A menos que você queria aparecer no Praça TV.

Se você tem cachorro, já sabe o que fazer nas tardes frias e chuvosas. Brinque de bocejar. Isso mesmo! Graças aos pesquisadores britânicos sabemos que o bocejo humano é contagioso… também aos cães. A parte mais estranha é imaginar homens e mulheres sentados em frente aos cachorro. Bocejando. E anotando os resultados! Duvida? Eis um trecho da matéria da BBC (por coincidência, emissora estatal… inglesa): “No experimento, uma pessoa estranha ao cão sentava em frente ao animal e o chamava pelo nome. Só após um primeiro contato visual o estranho bocejava.”

cao

Falando em cães, ficou provado que esses animaizinhos são melhor tratados que muitos humanos. Um estudo com 1.337 donos de cachorros apurou que 18 por cento deles dão alimentos frescos a seus bichinhos, em vez de comida em lata. O pior vem agora: 21 por cento dos cães apreciam queijo, 15 por cento comem peixe e 9 por cento, vegetais. Oksejamos honestos: Não tenho autoridade moral para tripudiar de uma pesquisa dessas, já que esse ser retratado na foto acima é uma apreciadora de cebola, alface, rúcula, biscoito de polvilho (?) e frutas em gral, exceto pêra. Vai entender.

O grande problema é que grades descobertas ficarem encobertas por essas pesquisas que aparentemente não servem para nada. É a história do pedro e do Lobo acontecendo na vida real. Os cientistas ingleses já perderak bastante credibilidade devido à divulgação, por vezes irônica, da imprensa. Tudo bem que elas não fazem os comentários sarcásticos que eu fiz, mas também não propõe uma reflexão sobre o tema. Um dia ainda iremos parar e perceber que devíamos ter dado ouvidos às pequisas inglesas. Um dia elas serão de vital importância para a manutenção na vida na Terra, e então a Inglaterra será o único pedaço de terra livre e com um próspero futuro.

Ou não.

Em tempo: Quantos aqui bocejaram ao verem a foto da cachorrinha? Eu perdia a conta de quantas, já que eu vizualizei a foto diversas vezes enquanto ediatva esse post.

Como fazer seu próprio Big Bang

É fato que a humanidade gasta milhões de dólares para descobrir novos métodos de se matar. Vi uma frase que exemplifica bem isso: “Para matar uma formiga, uma simples pisada basta. Mas as vezes é mais garantido matá-la com uma britadeira-pneumática.. além de ser mais legal”

Seguindo essa máxima, os cientistas pretendem testar, em meados de setembro de ano, um Large Hadron Collider (LHC).

Agora o caro leitor e a querida leitora me perguntam: Mas o que diabos é um “Large Hadron Collider”? Resposta: Coisa de físico. Vou tentar explicar sem me enrolar de tal maneira que caia chorando em posição fetal. O LHC é um acelerador de partículas subatômicas (ou seja: léptons, quarks, hádrons, bósons, etc).

Com essa geringonça, localizada a profundidades que variam de 50 a 150m, eles vão , literalmente, brincar de trombar essas partículas à velocidades inacreditáveis. Aí o leitor me pergunta: “Mas por que tão fundo?” Resposta: A força que resultará da “trombada” será inacreditavelmente grande. Cerca de 14 TeV. Eu não sei exemplificar quanto vale 14 TeV, mas, considerando que tem gente se borrando com medo de dar alguma merlin, a quantidade de energia deve ser absurdamente ignorante. Tanto é verdade, que há uma pequenina probabilidade de, quando eles ligarem o LHC e o túnel de bate-bate de partículas subatômicas funcionar, os cientistas criarem um buraco negro que engoliria a Suiça, a Europa, o planeta e por fim o universo.

Mas essa é uma probabilidade pequena. Nota mental: Rezar para que Murphy esteja de férias… em outra dimensão.

Lendo sobre o assunto, pude encontar algumas teorias catastrofistas tão impressionantes que vale a pena colocar aqui: Vamos imaginar que o LHC dê errado. Quais serão as conseqüências?

  1. Buraco negro: Expliquei anteriormente. Sugaria tudo o que encontrasse pela frente, ficando cada vez maior e sugando cada vez mais coisas, cada vez mais rápido. Ou seja. Um liquidificador do mau
  2. Iniciar uma transição para um diferente estado de vácuo quântico – Esse vou explicar com a seguinte analogia: Imagine uma bolha de sabão no vácuo e que dentro dessa bolha de sabão está esse nosso cantinho do Universo e que essa coisa absurda esteja em equilíbrio estável. Agora, imagine uma agulha gigante estourando a bolha. LHC = Agulha Gigante. (Definição copiada na cara de pau do blog Efeito Ázaron)
  3. Produção de uma Fenda Interdimensional – Essa fenda poderia trazer criaturas de outras dimensões para a nossa. Isso pode não ser inteiramente ruim, pois 0,0032% das criaturas interdimensionais são boazinhas. Portanto podemos ter essa sorte e não acabar sendo destruidos por uma raça interdimensional! (De novo do Efeito Ázaron)
  4. Dores de cabeça: É provável que você sinta dores de cabeça, mas, lendo os 3 itens acima, esse será o menor dos seus problemas….

Agora a leitora me pergunta: Não pode ser tão perigoso assim, pode? Resposta: Sim e não. Não, porque os cientistas garantiram que a probabilidade é tão pequena que vale a pena tentar. E sim… exatamente porque os cientistas garantiram que a probabilidade é tão pequena que vale a pena tentar.

Fora isso, a imagem abaixo fala mais do que eu.

A linha tracejada representa o tamanho do brinquedo

A linha tracejada representa o tamanho do brinquedo (O.o)

Bom… só nos resta torcer para que dê tudo certo…

Ah sim.. só mencionando que, trabalhando no experimento, estão cerca de 30 brasileiros.

Uma última observação: Os cientistas esperam poder estudar partículas sub atômicas que eles sabem que existem, só não conseguiram até então, encontrar uma forma de trabalhar com elas. Ainda sugindo os cientistas, foram essas partículas que deram origem ao Big-Bang (não.. não o de Londres).
Então… se você quiser fazer seu próprio Big-Bang, é só construir um LHC aí mesmo, no sub solo da sua casa e brincar de chocar hadrons, mézons…. coisa simples

Teste da Bailarina

Achei na “interneta” um teste muuuuito curioso.. O teste da bailarina…

O teste consiste em olhar para uma bailarina girando. Mas a pergunta é: Para qual lado gira a bailarina? Quando olhei pela primeira vez, logo percebi que era no sentido anti horário. Mas olhando mais atentamente ela simplesmente começou a rodar no sentido horário!

Meu faro de jornalista resolveu provar que aquilo não era mais um truque barato de gif animado. Chamei um reforço… minha irmã. Justos provaríamos se aquele teste era fajuto ou não.

Olhamos ao mesmo tempo para a bailarina. Nós dois víamos a bailarina girar em sentido anti horário. Tudo tranqüilo.. até que minha irmã grita: Mudou! (de lado).

Sensacional!!! Ela via a bailarina girar em sentido horário enquanto eu a via girar em sentido anti horário! Ou seja… não era um truque de gif animado… Os teste tinha lá algum fundamento. Por isso vale uma postagem…

Parte científica do teste: Se você vê, por mais tempo, a bailarina girar em sentido horário significa que você trabalha mais o lado direito do cérebro. Este hemisfério é responsável pela emoção e criatividade. O lado esquerdo é a parte racional.

E sabe que faz sentido? Quando eu estava preocupado em descobrir o truque, ela girava em horário. Quando eu relaxei e minha irmã a viu girar para o outro lado, eu fiquei surpreso e ela instantaneamente inverteu o lado do giro. O difícil, mas possível, é treinar o cérebro para que ela mude de lado repetidas vezes. A famosa integração dos hemisférios..

Está curioso para testar? Lá vai a bailarina…

bailarina.gif
Para os espertinhos: Sim.. a imagem é um gif… mas não é impressionante???