50 coisas que aprendi com o Castelo Rá-Tim-Bum

O Castelo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura, é o programa infantil mais completo que eu conheço. Posso estar enganado, mas acredito que Cão Cao Hamburger e Flávio de Sousa (diretor e dramaturgo, respectivamente) tenham abordado todas as áreas de conhecimento humano. De Literatura a Astronomia. De Matemática ao folclore. Jornais, rádios, televisão e preconceito. Podemos fazer o teste nos comentários: você indica um tema e eu pesquiso um episódio relacionado.

Atemporal, o “Castelo” é um marco na produção infantil brasileira, tanto pelo roteiro, quanto pelas atuações. Virou clássico, cult. Depois dele, não consigo lembrar nenhuma outro projeto que tenha dado tão certo, nem mesmo o filme e a “Ilha” que vieram de carona. As vezes um raio não cai duas vezes no mesmo lugar.

Conheço uma pessoa que se interessaria muito pela lista de 50 coisas que aprendi com o Castelo Ra-Tim-Bum. Uma não. Duas.

1 – Nem tudo na vida se resolve com magia;
2 – Para se fazer uma limonada, é preciso espremer os limões;
3 – A coroa, o manto e o cetro são coisas de Rainha;
4 – Uma criança pode ter 300 anos e nunca ter ido a escola;
5 – O mundo seria muito diferente se as cobras pudessem ter pernas, pés, braços e mãos;
6 – Jiló é o pior sabor de pizza que existe;
7 – Zula é uma forma muito mais bonita de Avatar;
8- Para apreciar com segurança um eclipse solar, é necessário utilizar um pedaço de filme fotográfico;
9 – É moleza fazer um castelo parar no fundo do mar;
10 – O Capitão Baleia é mais foda que James Bond;
11 – Lareiras são excelentes escolas de idioma. E ligeiramente mais baratas;
12 – Inu é cachorro em japonês, certo @marcelotas?
13 – Mostarda, maionese e chantili NÃO são adubos para planta;
14 – Nomes secretos são formados por “nome da pessoa + sufixo valdo“;
15 – Prédio com 100 andares são MUITO altos;
16 – Pessoas com nome de legume são malvadas;
17 – Gargalhadas podem ser fatais;

Figurinos originais!

18 – O pior castigo que existe é ser transformado num sapo gordo, roxo, com bolinhas vermelhas, olhos esbugalhados e a língua azul;
19 – Antes de comer, beber, lamber e pegar na mamadeira, lave uma mão. E a outra;
20 – Crianças usam cartolas;
21 – Monalisa é, na verdade, uma bruxa com 6 mil anos. Digo, quaaaaase 6 mil anos;
22 – O Lobo Mau mora no zoológico;
23 – Não é necessário utilizar trajes especiais para brincar na Lua. Os astronautas são frescos, mesmo;
24 – Chuvas de brigadeiros não acontecem apenas na imaginação;
25 – Um boné com hélice é o suficiente para fazer um adulto voar;
26 – Armários embaixo da escada são legais. Harry Potter é que não sabe decorar devidamente;
27 – A pior imitação de Sílvio Santos inclui uma Roda da Fortuna nas costas e um terno laranja;
28 – Chá murcha a barriga. Instantaneamente;
29 –  Uma orquestra formada por animais falantes lota o Teatro Municipal;
30 – Por mais felpuda e rosa que seja a roupa do corpo (além da fala fina), ainda é possível dar uns pegas numa repórter gostosa;
31 – Tatatossauro é uma espécie terrível. Tão terrível que é alimentada por um aspirador de pó;
32 – É normal tomar banho de roupa;

Mibalas, mibalas, agart a arevamirp arap mim

33 – Pássaros são músicos polivalentes. De quebra, dançam!
34 – Paradoxalmente, não é um bom sinal quando o Mau fica realmente mau;
35 – Há um Dia Anual da Faxina. E só isso é suficiente;
36 – Se você ouvir barulhos nos encanamentos de casa, fique tranquilo;
37 – A máquina de lavar pratos nunca termina seu serviço;
38 – Coleções de pedra devem ser levadas para o Japão;
39 – Um marinheiro sempre deve ter as mãos livres;
40 – Mesmo com uma árvore imensa, o chão nunca fica cheio de folhas;
41 – Inventores ganham muito dinheiro, mas esquecem de pagar os impostos;
42 – Adultos em miniatura vivem dançando dentro de uma caixa;
43 – Tem dia que nada dá certo: é surrebrifru que some, é quebra cabeça destruído…
44 – Um porteiro de lata só dificulta a entrada de conhecidos;
45 – É moralmente aceitável ter uma paixão avassaladora pela própria prima;
46 – Os verdadeiros heróis usam capa e espada;
47 – Tirar o gorro do Saci é o suficiente para vencê-lo. E ainda o deixa com cara de bobo;
48 – Na fazenda, os rapazes trabalhadores sempre tem nome duplo;
49 – Eu PRECISO visitar a Ilha Bora-Bora;
50 – Já deu 50? Então tchau… quer dizer… até amanhã.

Bonus track: Aproveitando que o @marcelotas gostou do texto e o reproduziu em seu blog, gostaria de acrescentar uma boa ideia, a número 51:

51 – Porque sim NÃO é resposta.

Bonus track 2: O leitor Yuri “Arara” Oliveira Petnys lembrou de mais uma coisa, essencial:

52 – Se eu te dou vinte mil cruzados pra pagar três e trezentos, o troco correto é dezessete dezesseis e setecentos!

Bonus track 3: E as contribuições chegam! A Natália Pereira (@nattycp) sugeriu e eu completo

53 – Basta assoviar para aparecer um ser folclórico (e comilão) na sua frente!

Bonus track 4: Recomendo que você dê uma olhada nos comentários. O Patrick fez uma baita lista, com sugestões muito bacanas. Parabéns!

Leia também:

50 coisas que aprendi com Silvio Santos