50 coisas que aprendi com o Castelo Rá-Tim-Bum

O Castelo Rá-Tim-Bum, da TV Cultura, é o programa infantil mais completo que eu conheço. Posso estar enganado, mas acredito que Cão Cao Hamburger e Flávio de Sousa (diretor e dramaturgo, respectivamente) tenham abordado todas as áreas de conhecimento humano. De Literatura a Astronomia. De Matemática ao folclore. Jornais, rádios, televisão e preconceito. Podemos fazer o teste nos comentários: você indica um tema e eu pesquiso um episódio relacionado.

Atemporal, o “Castelo” é um marco na produção infantil brasileira, tanto pelo roteiro, quanto pelas atuações. Virou clássico, cult. Depois dele, não consigo lembrar nenhuma outro projeto que tenha dado tão certo, nem mesmo o filme e a “Ilha” que vieram de carona. As vezes um raio não cai duas vezes no mesmo lugar.

Conheço uma pessoa que se interessaria muito pela lista de 50 coisas que aprendi com o Castelo Ra-Tim-Bum. Uma não. Duas.

1 – Nem tudo na vida se resolve com magia;
2 – Para se fazer uma limonada, é preciso espremer os limões;
3 – A coroa, o manto e o cetro são coisas de Rainha;
4 – Uma criança pode ter 300 anos e nunca ter ido a escola;
5 – O mundo seria muito diferente se as cobras pudessem ter pernas, pés, braços e mãos;
6 – Jiló é o pior sabor de pizza que existe;
7 – Zula é uma forma muito mais bonita de Avatar;
8- Para apreciar com segurança um eclipse solar, é necessário utilizar um pedaço de filme fotográfico;
9 – É moleza fazer um castelo parar no fundo do mar;
10 – O Capitão Baleia é mais foda que James Bond;
11 – Lareiras são excelentes escolas de idioma. E ligeiramente mais baratas;
12 – Inu é cachorro em japonês, certo @marcelotas?
13 – Mostarda, maionese e chantili NÃO são adubos para planta;
14 – Nomes secretos são formados por “nome da pessoa + sufixo valdo“;
15 – Prédio com 100 andares são MUITO altos;
16 – Pessoas com nome de legume são malvadas;
17 – Gargalhadas podem ser fatais;

Figurinos originais!

18 – O pior castigo que existe é ser transformado num sapo gordo, roxo, com bolinhas vermelhas, olhos esbugalhados e a língua azul;
19 – Antes de comer, beber, lamber e pegar na mamadeira, lave uma mão. E a outra;
20 – Crianças usam cartolas;
21 – Monalisa é, na verdade, uma bruxa com 6 mil anos. Digo, quaaaaase 6 mil anos;
22 – O Lobo Mau mora no zoológico;
23 – Não é necessário utilizar trajes especiais para brincar na Lua. Os astronautas são frescos, mesmo;
24 – Chuvas de brigadeiros não acontecem apenas na imaginação;
25 – Um boné com hélice é o suficiente para fazer um adulto voar;
26 – Armários embaixo da escada são legais. Harry Potter é que não sabe decorar devidamente;
27 – A pior imitação de Sílvio Santos inclui uma Roda da Fortuna nas costas e um terno laranja;
28 – Chá murcha a barriga. Instantaneamente;
29 –  Uma orquestra formada por animais falantes lota o Teatro Municipal;
30 – Por mais felpuda e rosa que seja a roupa do corpo (além da fala fina), ainda é possível dar uns pegas numa repórter gostosa;
31 – Tatatossauro é uma espécie terrível. Tão terrível que é alimentada por um aspirador de pó;
32 – É normal tomar banho de roupa;

Mibalas, mibalas, agart a arevamirp arap mim

33 – Pássaros são músicos polivalentes. De quebra, dançam!
34 – Paradoxalmente, não é um bom sinal quando o Mau fica realmente mau;
35 – Há um Dia Anual da Faxina. E só isso é suficiente;
36 – Se você ouvir barulhos nos encanamentos de casa, fique tranquilo;
37 – A máquina de lavar pratos nunca termina seu serviço;
38 – Coleções de pedra devem ser levadas para o Japão;
39 – Um marinheiro sempre deve ter as mãos livres;
40 – Mesmo com uma árvore imensa, o chão nunca fica cheio de folhas;
41 – Inventores ganham muito dinheiro, mas esquecem de pagar os impostos;
42 – Adultos em miniatura vivem dançando dentro de uma caixa;
43 – Tem dia que nada dá certo: é surrebrifru que some, é quebra cabeça destruído…
44 – Um porteiro de lata só dificulta a entrada de conhecidos;
45 – É moralmente aceitável ter uma paixão avassaladora pela própria prima;
46 – Os verdadeiros heróis usam capa e espada;
47 – Tirar o gorro do Saci é o suficiente para vencê-lo. E ainda o deixa com cara de bobo;
48 – Na fazenda, os rapazes trabalhadores sempre tem nome duplo;
49 – Eu PRECISO visitar a Ilha Bora-Bora;
50 – Já deu 50? Então tchau… quer dizer… até amanhã.

Bonus track: Aproveitando que o @marcelotas gostou do texto e o reproduziu em seu blog, gostaria de acrescentar uma boa ideia, a número 51:

51 – Porque sim NÃO é resposta.

Bonus track 2: O leitor Yuri “Arara” Oliveira Petnys lembrou de mais uma coisa, essencial:

52 – Se eu te dou vinte mil cruzados pra pagar três e trezentos, o troco correto é dezessete dezesseis e setecentos!

Bonus track 3: E as contribuições chegam! A Natália Pereira (@nattycp) sugeriu e eu completo

53 – Basta assoviar para aparecer um ser folclórico (e comilão) na sua frente!

Bonus track 4: Recomendo que você dê uma olhada nos comentários. O Patrick fez uma baita lista, com sugestões muito bacanas. Parabéns!

Leia também:

50 coisas que aprendi com Silvio Santos

Despachos de Domingo

Amanheceu e eu já fui embora, peguei a viola e fui viajar. Botei a calça e calcei a bota. Comi meu café da manhã. Desci as escadas. Escutei o ronco dos meus pais. Fechei a porta e parti rumo ao meu destino. Guardei, claro, as chaves. Hora de pegar o ônibus e partir para a cidade grande. Ida sem volta. Jornal no colo. “Kafkiano com certeza“, pensei eu sobre o autor do artigo que estava lendo. Lembrei de fotografar esses primeiros momentos de vida solitária. Mamãe vai ficar orgulhosa. Nádia também. Olho em volta e meus companheiros de viagem dormem. Parece que sou o único altamente ansioso com essa viagem. Queria eu ter essa tranquilidade para dormir no ônibus. Recebo uma mensagem SMS confirmando que minha vaga está reservada lá na República. Sabiá, Chupetão, Mike e a bela Patrícia serão os responsáveis por me fazer pagar menos aluguel. Tencionava chegar um dia depois, mas não aguentei. Um dia a mais me daria tempo para deixar tudo como gosto. Viagem terminando. Washington Luiz completamente travada. Xantina na minha bexiga começa a se manifestar, querendo sair (efeito do café). Yakult teria sido uma escolha melhor. Zácoro das bagagens avisa que é hora de descer: Vai começar os Despachos de Domingo.

  • Agora é necessário um visto para entrar em Itatiba. Um visto da Rota das Bandeias
  • Isso porque quase todas as estradas que dão acesso a cidade estão tomadas por pedágios, já em pleno funcionamento. Estamos cercados.
  • É vergonhoso cobrar pedágio numa pista que nem duplicada é.
  • Seria muito bom que os vereadores e o Prefeito conseguissem algum desconto pros moradores da cidade, ou até a isenção. Tentativas eu sei que houveram….
  • Itatiba tem muitos personagens bacanas. Já falei sobre eles em outra oportunidade, mas não mencionei o tio da papelaria.
  • Ele deve sofrer de TOC. Toda vez, sem exceção, que passo em frente ao estabelecimento, ele está limpando alguma coisa. Pode ser um vidro, capa de caderno, prateleira. O cara é obcecado por limpeza.
  • E o estress dele também é algo notável. A garotada que pega ônibus ali ao lado fica aloprando o cidadão. Logo, ele tomou uma atitude:

Clique pra ampliar

  • Essesa dias bateu uma saudade de um programa de televisão chamado Mestre Cuca. O chef era o Alan Vila Espejo.
  • Ele é um chefe totalmente sem frescura. Para vocês terem uma ideia, ele deixava a cebola fritando e ia ler os e-mails dos espectadores.
  • Clássico também eram as perguntas de gramática da professora Terezinha. Inesquecível.
  • E os bordões? “Uma besterinha de azeite” *meio litro escorrendo pra dentro da panela*. Tinha também o “Tem coisa que é legal e tem coisa que é super legal. Essa é super legal“.
  • Grande abraço Chef Alan! Você faz falta na telinha!
  • E não é que o Joga Craque, aplicativo do Orkut, é bem bacaninha. Tem que gostar de futebol, claro.
  • Se você observar meus braços, vai pensar que jogaram óleo fervendo em mim.
  • Tudo isso graças as “descascamento” patrocinado pelo sol de Ubatuba
  • Semana de provas terminando.
  • É uma delícia quando os resultados dos Balanços Patrimoniais batem exatamente com o que você precisava.
  • A cantora Fafá de Belém já teve os peitos lambidos por uma girafa no Zôo de São Paulo.
  • Perguntar não ofende: E a girafa? Sobreviveu?
  • A TV Cultura formou parte do meu caráter
  • Estava vendo o Mundo da Lua dia desses e acabei lembrandos dos Big Bad Boys, uma sátira aos Backstreet Boys (fazia sentido no começo dos anos 90)
  • Veja a letra da música: “Somos os Big Bad Boys, todas as minas gostam de nós (2X). Meu nome é Caio e eu sou super bom atleta. Eu só dou carona de motoca ou bicicleta
  • A letra não faz muito sentido, nem mesmo pros anos 90.
  • Só pra constar. O Caio Blat fazia parte dos BBB.
  • Para mim não fou surpresa saber que o Pão de Açúcar comprou as Casas Bahia.
  • O Samuel Klein já estava tentando vender a empresa há uns bons anos, mas ninguem comprava.
  • Como bem disse o Sardenberg no Jornal da Globo, coitado de quem vai vender pro conglomerado. Vão comprar 2 milhões de ventiladores. Beleza. Mas só vão pagar 5 reais por unidade. #facepalm
  • Obviamente o CADE vai estar de olho bem atento nisso.