Oportunismo F.C

Folha de São Paulo
José Roberto Torero

Com o goleiro Naji, o volante Pitta e o atacante Dantinhas, o time das Ilhas Cayman confia na arbitragem nacional

—————————

“BOA TARDE , caros ouvintes e ouvintes caríssimas! Vai começar mais uma transmissão esportiva aqui na sua cento e onze vírgula um, em ondas médias, mas sem fazer média. A narração ficará a cargo deste que vos fala: Peládio, a voz do seu rádio. E, nos comentários, o cruel Feijó, aquele que não tem dó. Então Feijó, o que você me diz deste clássico?”

– Jogo duro, Peládio, jogo duro! O Oportunismo Futebol Clube é um time que não tem medo de jogar feio e de mandar a bola para o mato.

Além disso, tem o craque Dantinhas, que cai pela esquerda, cai pela direita e está sempre armando confusão no meio.

– Mas ele não é um craque solitário neste time, não é Feijó?

– De jeito nenhum, Peládio. O time das Ilhas Cayman ainda tem o goleiro Naji, rápido com as mãos, o volante Pitta, que rouba bolas como poucos, e a dupla Hu-hu, Humberto e Hugo, que sempre auxilia o Dantinhas no ataque.

– É um time de valores, Feijó, não é, Feijó?

– De altos valores, Peládio.

– E Ordem e Progresso, Feijó?

– Olha, o Ordem e Progresso é uma equipe complicada. O meio-campo é falho na marcação, e a defesa é cheia de buracos, mas de vez em quando o centroavante PF faz um bom ataque. Opa, vai começar. Agora é com você, Peládio!

– Vamos ao jogo! O juiz Gilmar sopra o apito, e começa a partida!

Humberto passa para Hugo, que esconde a bola e atrasa para Naji. Naji lança para Pitta, que dá um chutão para a frente, Dantinhas recebe livre, mais solitário que adolescente de mau hálito em baile de formatura, ele domina a bolada, chuta e… gol!

Gooooooool!

– Não, não, Peládio. O bandeirinha Sanctis está apontando impedimento. Dantinhas estava em posição irregular.

– É, mas o juiz não deu nada, não.

Sanctis fica com a bandeira levantada, mas o juiz manda ele baixar as orelhas.

– Coisas da arbitragem nacional, Peládio.

– Pois é Feijó, pois é…

– A torcida do Oportunismo vibra e agita as suas gravatas Hermès.

– E Hugo, Humberto e Dantinhas vão comemorar com eles. Sobem no alambrado e tudo.

– Mas isso não pode, hein, Peládio? A comemoração tem que ser dentro das quatro linhas. Os jogadores infringiram a regra e vão levar um amarelo.

– Com certeza, Feijó. O bandeirinha Protógenes já alertou o juiz Gilmar. Ele vai até os atletas, dá cartão para Hugo, cartão para Humberto, e… Opa! Nada para Dantinhas!

– Nada?

– Nadica de nada.

– Não dá para entender, Peládio.

– O juiz está indicando que Hugo e Humberto subiram com dois pés na grade, mas Dantinhas usou um.

– Se ele falou, está falado, Peládio.

Não se pode contestar a arbitragem brasileira. Ela até recebeu um elogio internacional estes dias.

– De quem, Feijó?

– Do craque italiano Cacciola, que vem jogar aqui no Brasil.

– O que ele disse?

– Que confia na arbitragem nacional.

– Tenho certeza de que confia, Peládio, tenho certeza de que confia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s