O estranho mundo das coincidências: Titan, Titanic e Titanian

Depois de um hiato para as festas de começo de ano, a série “O estranho mundo das coincidências” está de volta ao IdeiaFix. E em dose dupla: hoje vamos ver um exemplo de coincidência literária e de um de coincidência de aviso. Se você não faz a mínima idéia sobre o que eu estou escrevendo, seria bom você ver o primeiro post dessa série.

Morgan Robertson foi um escritor americano morto em 1915. Ele publicou um romance chamado “Futilidade” sobre um transatlântico que afundou em sua viagem inaugural depois de bater em um iceberg.

Isso não seria nada demais, se não fosse um pequeno detalhe: ele escreveu o romance em 1898. Ou seja, 14 anos antes do Titanic bater em um iceberg em sua viagem inaugural.

E as coincidências não param por aí. O navio no romance de Robertson se chamava Titan. Também era considerado “insubmergível”, tinha duas orquestras a bordo e o número mínimo de botes salva-vidas. As dimensões, a capacidade de passageiros e a velocidade também eram muito semelhantes ao Titanic da vida real.

Não há uma explicação convincente para tantas coincidências. O Titanic só começaria a ser construído em 1909, ou seja, Robertson escreveu o livro antes mesmo que o navio fosse construído. Ou Robertson era um profeta ao estilo Nostradamus ou foi tudo só uma grande coincidência mesmo.

Robertson teve mais dois episódios digamos, estranhos, em sua carreira. Em 1905 ele escreveu um romance em que um submarino tem um periscópio e reivindicou para si a invenção do artefato. O seu pedido de patente foi recusado, pois ficou provado que desde 1902 a Marinha estadunidense trabalhava em um artefato semelhante. Mas como Robertson não sabia do trabalho da Marinha (que claro, era secreto), a história fica obscura. Ou ele tinha fontes na Marinha (improvável) ou era um inventor de talento (talvez) ou foi tudo só coincidência de novo.

Pouco antes de morrer, em 1914, Robertson aprontou mais uma: em seu romance “Além do Espectro” ele descreve uma guerra entre os Estados Unidos e o Japão. No livro, os japoneses não declaram guerra antes de começar o ataque ao Havaí. As semelhanças com o ataque nipônico a Pearl Habor são grandes. Outra coincidência ? Ou outra profecia ? Ou outra “forçada de barra” em cima de um tema que pode soar como “genérico” ? Você decide !

Mas a história não termina com a coincidência Titan-Titanic. Ainda tem mais um navio para apimentar essa história. O Titanian.

O Titanian transportava carvão da Inglaterra para o Canadá. Em abril de 1935 quem estava de vigia era o marinheiro William Reeves. Conforme o navio se aproximava da área onde o Titanic afundou, Reeves teve o pressentimento que devia mandar parar o barco. Ele resistiu, mas se lembrou que havia nascido no mesmo dia que o Titanic havia afundado. Ele mandou parar o barco, bem a tempo de evitar a colisão com um iceberg. O Titanian e Reeves escaparam ilesos para contar a história para nos dar um belo exemplo de coincidência de aviso.

Para o próximo post, a última série de coincidências e o fim da minha pena. Até que enfim serei um homem sem dívidas com a sociedade. Em algum dia de janeiro, aqui no IdeiaFix. Aguardem.

Titanic

____________________________________________________________________

Leia Também:
Jogos nem tão Olímpicos assim
Ad perpetuam (um post inesquecível)
Cape Point: Um mirante para dois mares

8 pensamentos sobre “O estranho mundo das coincidências: Titan, Titanic e Titanian

  1. Lógico que eu tenho as minhas fontes. Nem todas estão online, porém.

    A história Titan-Titanic consta em qualquer bom livro sobre coincidências. Eu baseei este texto em grande parte no livro “Além das Coincidências” de Martin Plimmer e Brian King.

    Sobre a vida do Morgan Robertson e as polêmicas em que ele se meteu eu encontrei no verbete sobre ele na Wikipédia em inglês.

    A história do Willian Reeves e o Titanian eu encontrei num velho livro sobre coincidências que comprei ainda na década de 90, chamado “O impossível acontece” de Peter Brookesmith.

  2. Pingback: BrSeek | Iceberg com formato estranho e suspeito de ter sido criado num teste de arma espacial alienigena.

  3. Eu creio!…Dizem que tudo aquilo que chamamos de coincidências, tem o dedo de Deus. (a propósito!…onde posso encontrar o livro: “The Wreck of Titan or Futility” em portugues, é claro!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s