F1 2009: GP da Malásia

O que é preciso para fazer um GP de Fórmula 1? A resposta passa pelo óbvio, como carros, combustível, MUITA grana, público, asfalto decente e chega até o mais sutil dos detalhes: respeitar o local da prova. Os executivos da Fórmula 1 fizeram o óbvio, mas ignoraram o sutil (o adjetivo, não o piloto da Force India).

Na Malásia chove no fim da tarde. Ponto. Essa característica era conhecida por todos, mas resolveu ser ignorada. Torceram por um milagre que não aconteceu. Resultado: Prova encerrada antes dos 75% da quilometragem percorrida e metade dos pontos para os primeiros colocados, algo que não acontecia de desde 91.

Quem agradeceu foi Jason Button, da Brawn. Após uma largada horrorosa, perdeu várias posições. Alonso usou bem o Kers e saltou da 9ª para 3°. A partir daí tudo foi voltando ao normal e as posições estabelecidas.

Emfim veio a chuva, já na volta 18. Ainda não era um dilúvio, mas o suficiente para muitos chefes de equipe se desesperarem. Raikkonen foi o mais prejudicado, pois colocou pneus para chuva extrema, quando apenas uma garoa caia.

raikkonen_malasia

A dança nos boxes era imprevisível. Carros saíam e entravam a todo instante, apostando na piora ou na melhora da chuva. Button e Barrichello sofreram com pneus lisos, até trocarem para “chuva extrema” e saírem, assim, beneficiados.

Nico Rosberg chegou a liderar a corrida, mas foi mais um a se prejudicar na troca de pneus. Timo Glock se deu bem com o problema da chuva e ficou em 3°. Agora, o gênio da Malásia foi o outro, o quase xará Nick Heidfeld. Apesar de não obter uma classificação respeitável no sábado, usou uma estratégia perfeita e terminou em segundo. O plano era de parar apenas uma vez e fez o impossível para segurar o carro com pneus intermediários.

Nelsinho fez o que pôde e terminou em 13°, duas posições atrás do 11° e companheiro de equipe, Fernando Alonso. Barrichello foi o 4° e ganhou pontos importantíssimos que o mantiveram na vice-liderança do campeonato. Massa não pontuou, pois colocou os pneus certos na hora errada.

Fim de prova na volta 31. Restava agora decidir se a corrida continuaria após a chuva. A resposta era não, já que a luz natural se esvaecia com o passar do tempo.

parada

A cena inusitada foi protagonizada por Raikkonen. Enquanto a maioria dos pilotos estava no cockpit ou alo nas intermediações do grid de largada, o finlandês já tinha trocado de roupa e tomava um picolé, totalmente relaxado…

Confira a classificação do campeonato:

1 Jenson Button ING Brawn-Mercedes 15
2 Rubens Barrichello BRA Brawn-Mercedes 10
3 Jarno Trulli ITA Toyota 8,5
4 Timo Glock ALE Toyota 8
5 Nick Heidfeld ALE BMW Sauber 4
6 Fernando Alonso ESP Renault 4
7 Nico Rosberg ALE Williams-Toyota 3,5
8 Sebastien Buemi SUI STR-Ferrari 2
9 Mark Webber AUS RBR-Renault 1,5
10 Lewis Hamilton ING McLaren-Mercedes 1
11 Sebastien Bourdais FRA STR-Ferrari 1
12 Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes 0
13 Giancarlo Fisichella ITA Force India-Mercedes 0
14 Sebastian Vettel ALE RBR-Renault 0
15 Robert Kubica POL BMW Sauber 0
16 Kimi Raikkonen FIN Ferrari 0
17 Felipe Massa BRA Ferrari 0
18 Nelsinho Piquet BRA Renault 0
19 Kazuki Nakajima JAP Williams-Toyota 0
20 Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes 0

Pit Stop: Button pode esclarecer melhor como foi o GP da Malásia: “Foi uma corrida de loucos, minha largada foi bastante ruim, porque não tinha aquecido suficientemente os pneus (…). Mas me coloquei em quarto e consegui ultrapassar (o espanhol Fernando) Alonso antes de completar a primeira volta, e, na primeira parada para reabastecer, (ultrapassou) Trulli e Rosberg”.

Vou insistir na importância do Kers. A largada mostrou que quem sabe usar essa potência extra vai se beneficiar. Alonso fez uma largada sensacional, usando o Kers. Depois quase saiu da pista, ao usá-lo na hora errada. Ainda teremos momentos históricos com essa belíssima mudança nos carros.

Esse campeonato de Fórmula 1 pode ter um resultado inédito. O campeão pode terminar separado do segundo colocado por apenas 0,5 ponto. Essa situação não é tão impossível, já que Trulli está em 3° e é um dos pilotos que contam com pontuação partida, assim como Webber e Rosberg.

O que será que a próxima corrida nos reserva? Só descobriremos no GP da China, em 19 de abril, com largada prevista para as 4 da manhã. Até lá e sentar e relaxar, tomando um picolé de Raikkonen.

Crédito pelas fotos e informações: GloboEsporte.com

2 pensamentos sobre “F1 2009: GP da Malásia

  1. Foi uma das corridas mais ridículas que eu assisti.
    Bem fez o Raikkonen quando resolveu cair fora.

    Pior de tudo era (por falta de opção) ter que aguentar o Galvão reclamando que estava escurecendo e que os responsáveis teriam de terminar a corrida porque carro de F1 não tem farol!

    Por acaso no Gp de Cingapura 2008 vocês viram algum farol nos carros? O problema era com a iluminação do circuito da Malásia.

    Na minha opinião essa corrida foi uma grande palhaçada-interesseira do Mr. Bernie Ecclestone.

    Até.

    • Observador o garoto Galvão: Carro de F1 não tem farol. hahahaha

      Você tem razão Pri. O problema não era a falta de farol e sim a falta de poste de iluminação decente. Quer colocar a corrida pro fim da tarde? Coloca. Mas também coloca iluminação. E uns guarda chuvas gigantas também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s