Fazendo a notícia – Morre Michael Jackson

Eis aqui a cronologia de uma cobertura jornalistica – do ponto de vista de um mero internauta/espectador, em tempo real. Descreverei como a notícia sobre a morte de Michael Jackson chegou até mim e como ela repercutiu Brasil afora, tanto pela internet como pela televisão. 

18:30min de Quinta-feira, 25 de junho. Entro no Twitter e deparo com a @rosana escrevendo as seguintes mensagens:

rosana

Parecia mais um hoax, assim como foi a morte de Silvio Santos. Mas a informação vinha da Rosana Hermann, portanto, algo não estava bem. Entrei rapidamente no UOL e na Globo.com. Nada, nem uma nota.

Liguei a televisão e uma zapeada mostrava de tudo, menos notícias sobre Michael. No Twitter pipocavam as notas. Várias pessoas escreviam surpresas. O Trending Topics, que mede o tráfego de palavras no Twitter, não resistiu ao fato do momento. “IranElection” estava havia muito no topo, mas em menos de meia hora, 9 em 10 citações eram referentes ao astro pop.

Motivado, comecei minha transmissão:

frank_michaeljackson_news

Naquela altura, parecia que o TMZ queria apenas publicidade. As redes mais tradicionais mantinham distância do sensacionalismo e apenas afirmavam que o Rei do Pop estava no hospital. Não havia no que acreditar. A única certeza é que ele estava hospitalizado, sendo suas reais condições de saúde um mistério.

O UOL soltou a notícia na primeira página, baseando-se, claro, no TMZ. A CNN fazia cobertura ao vivo, com repórter e helicóptero. Redes brasileiras não haviam noticiado ainda. Pouco tempo depois, Record, RedeTV! e Band entraram com a transmissão, sendo que as duas primeiras exploraram o fato mais intensamente. Enfim as outras redes noticiaram o fato. A CNN recusava-se a confirmar a morte, mesmo com todos os outros veículos DO MUNDO já dando a grande manchete de junho.
Enfim conseguiram entrevistar um médico legista do hospital de Los Angeles. Era verdade. Michael Jackson estava morto, vítima de um ataque cardíaco.

 jackson_dies

Esse espisódio provou que a internet é o principal meio de comunicação que temos hoje. Paradoxalmente, só acreditamos numa notícia quando a vemos em uma emissora de televisão, haja vista meu reflexo no começo desse texto. A morte de Michael Jackson nos mostra que o Twitter, ou qualquer outro site ainda carece de credibilidade, e isso só se conquista com o tempo.

Parabenizo, em especial, a cobertura da RedeTV!. As matérias podem não ter sido as mais profundas, reflexivas, mas o esforço de edição de todo o pessoal era visível. As matérias estavam sendo fabricadas tal qual pastel, para abastecer um Nelson Rubens sorridente demais. Literalmente saiam do forno.
O Globo Repórter deverá ser refeito a toque de caixa para abordar esse tema que é a cara do programa. A Band transmitiu um Sala de Emergência especial. Enquanto isso, O Twitter desacelerava… o furacão já havia passado.

Foi assim que se fez a cobertura, em tempo real, da morte de Michael Jackson. Quem estava online pode notar e sentir a emoção do fato acontecendo. Nós, meros espectadores, paralizados, ávidos por mais notícias… qualquer coisa servia. Uma foto, um depoimento… qualquer coisa.

Agora tudo esfriou, pelo menos ao vivo e aqui no Brasil. Nesse exato momento as redações estão em polvorosa mudando a pauta dos jornais da madrugada e de amanhã, dia 25.

Nos Estados Unidos, o tsunami Jackson Dies continua. O TMZ flagrou a remoção do corpo interte, em vídeo. A imprensa lá não marca bobeira. Se houvesse um caso Isabela, tenho certeza que alguém conseguiria entrar no apartamento, durante a perícia. Se bem que no caso Eloá pedriam pro sequestrador fazer tchauzinho para a câmera, não é Ana Hickmann?

O primeiro “Fazendo a notícia” encerra-se aqui. A qualquer momento, no entanto, ele poderá ser atualizado, afinal, elas não param. Fique de olho.

3 pensamentos sobre “Fazendo a notícia – Morre Michael Jackson

  1. eu fiquei realmente arrasada com essa notícia.. não queria acreditar.. apesar de tudo o que falavam dele eu só acho que ele era alguem mal compreendido… que conheceu tudo muito cedo e não soube diferenciar o que era bom do que era ruim.
    Eu como fã realmente espero que agora ele encontre a tranquilidade que tanto merecia.

    • Do jeito que a mídia – principalmente americana – está martelando, vai ser dificil MJ ter, finalmente, seu RIP. Concordo com você que ele conheceu tudo muito cedo. O que me intriga é como conseguiram – e não digo a família – deixar que ele vivesse sozinho, mesmo tendo sérios problemas de dicernimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s