Dia de viagem

Gosto de observar o comportamento das pessoas. Não chego a bancar o psicólogo, que faz uma análise  completa e tira conclusões sobre a personalidade de ontem, hoje e amanhã do indivíduo, mas é curioso como as peças encaixam-se da mesma for,a independente da família.

Veja o dia de viagem… e sempre a mesma coisa. A sequencia de eventos pode variar um pouco, mas é essencialmente a mesma. Tudo começa com a escolha do destinho. Papai quer ir para uma cidade vizinha, pra economizar na gasolina e no pedágio. Mamãe quer ir á praia, pegar aquele bronzeado, só para fazer as amigas morrerem de inveja. A crainçada quer ver os cavalinhos e as vaquinhas pastanto. Pra irmã mais velha não importa o destinho, desde que tenha sinal de celular.

Com o destino escolhido, começa a preparação das malas. Claro, sempre leva-se muito mais roupas do que se vai realmente utilizar. Tudo fica muquifado dentro da mala. Já os catitos infantes recolhem toda a sorte de brinquedos que encontram pelo caminho. O que couber nos braços, mochila e cantinhos do carro vai junto. De bonecos do falcom ao abajour de palhacinho.

Colocar tudo isso no carro é mais do que uma prova de logística aplicada. É uma operação de guerra. Enquanto um puxa de um lado, outro empurra de outro e um terceiro solta todo o peso do corpo para fechar a teimosa porta do porta-malas. O carro fica tão pesado que parece que foi rebaixado por tunagem. Como é de prache, sempre alguem vai lembrar de pegar aguma coisa quando o carro chegar na esquina e geralmente é a geladerinha de isopor. A criança aproveita a deixa e sai correndo para ir ao banheiro. Nisso já perdeu-se meia hora de viagem, mas pelo menos a água do congestionamento está garantida.

Sim… Você não é o único a ter a brilhante ideia de sair da cidade. No mesmo dia. na mesma hora. Avenidas paradas, crianças perguntando “falta muito pra chegar?” e rádios noticiando que TODAS as alternativas de caminho que você tinha imaginado estão completamente travadas. Também.

Após 5 horas de viagem, você chega ao tão desejado destino. Seria lindo, se não fosse a tormenta monumental que está caindo. Não interessa se na semana inteira o sol estava brilhando, firme e forte. São Pedro é sádico e vai fazer chover assim que você chegar.

Mas nem tudo é treva. A luz no tunel existe e a CPFL (ou EletroPaulo, Light e derivados) não cobra a conta. Ao fim da viagem, o carro está todo sujo de areia/lama, as crianças dormem babando no acostamento, há quilos de roupas suja para lavar, as economias do mês foram todas gastas em sorvetinhos (conseguidos, claro, através da extorção que é o choro de criança), mas voc~e está feliz.

Declara, então, que vai voltar.

E tudo começa outra vez.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s