Recebendo 2010 em Trancoso

No ano passado escrevi como passei as festas de final de ano, dividida na longa distância que separa as duas partes da minha família. Nesse ano, tanto o Natal quanto o Ano Novo, estive com a parte carioca do meu coração, mas em outro ponto do Brasil: a Bahia! Mais especificamente no sul da Bahia.

O destino escolhido foi Porto Seguro, lugar onde nasceu o Brasil.

Fizemos a viagem do sul do Rio de Janeiro para o Sul da Bahia de carro. Saímos dia 25 de dezembro, as 5 da matina, pra podermos chegar o mais próximo possível dos soteropolitanos. Atravessamos quase todo o estado do Espírito Santo em um dia – e não posso dizer que vi paisagens incríveis (pelo menos não dessa vez. Outras vezes já vi as paisagens maravilhosas que o ES reserva), pois dormi durante 95% da viagem.

Nesse dia aportamos em Conceição da Barra – cidade onde o Ricardinho, amor platônico da Mônica (essa mesma, a que tem uma turma só dela) passava suas férias (Duvida? Essa informação está na historia “A Iniciação – ou ‘O menino que não apanhava da Mônica’”) (ok, ok EU LEIO GIBIS ATÉ HOJE). Vale a pena informar também que a cidade estava completamente deserta e que o dono da pousada na qual dormimos foi obrigado a abri-la só para nos hospedar. Outra informação relevante é que assistimos (ok, admito que eu não assisti porra nenhuma porque estava morta no meu quarto) um por do sol espetacular.

Saindo na manhã seguinte rumo ao nosso destino, foi possível ver as diferentes paisagens do norte do ES e do sul da Bahia. E então chegamos à Porto Seguro.

Logo foi possível perceber que o clima da cidade era completamente diferente de todos os outros lugares que estivemos antes. A música predominante era obviamente axé, mas também era possível ouvir coisas como a banda Deja Vu.

Fizemos alguns passeios e após conhecermos a belíssima Praia do Espelho (uma das mais bonitas do Brasil) entramos em Trancoso e decidimos que passaríamos a virada do ano por ali.

Habitualmente viro o ano em Copacabana, um lugar democrático, no qual se vêem pobres e ricos, famosos e anônimos. Trancoso é exatamente o oposto: apenas os (muito) ricos e (muito) famosos encontram-se ali. Pelo menos até 20 minutos antes da meia noite.

No Quadrado de Trancoso, lugar muito badalado, cheio de pequenos restaurantes, cada festa de Revellion (palavra idiota que eu odeio (mas ainda usa né?) custava no mínimo 200 reais por pessoa, muito menos que um nativo pode pagar. Próximo à meia noite, os habitantes locais saiam dos bares e botequins em que estavam e se misturavam todos no mesmo lugar. Com o perdão do uso dessa música horrorosa, estava todo mundo no mesmo quadrado.

À meia noite ocorreu a tradicional queima de fogos (nada tão magnífico como os fogos de Copacabana – quem nunca foi aconselho que vá), mas nada se compara à combinação fogos + cenário de Trancoso.

Bom, aqui está o relato do meu início de 2010. Como foi o seu? Em 2011 estarei aqui comentando, assim espero, as comemorações do início do ano na Pátria Mãe.


Tatiana Piovesana Pereira Romeiro é filha de pai carioca e mãe itatibense, avós pernambucanos, cariocas e itatibenses. Realmente uma brasileira. Apaixonada por ballet clássico e por quase todos os outros tipos de dança. Opinião forte e bem formada. Há quem diga uma caixinha de surpresas… Siga-a no Twitter: @tatiromeiro

No ano passado escrevi como passo as festas de final de ano, dividida na longa distância que separa as duas partes da minha família. Nesse ano, tanto o Natal quanto o Ano Novo, estive com a parte carioca do meu coração, mas em outro ponto do Brasil: a Bahia! Mais especificamente no sul da Bahia.

O destino escolhido foi Porto Seguro, lugar onde nasceu o Brasil.

Fizemos a viagem do sul do Rio de Janeiro para o Sul da Bahia de carro. Saímos dia 25 de dezembro, as 5 da matina, pra podermos chegar o mais próximo possível dos soteropolitanos. Atravessamos quase todo o estado do Espírito Santo em um dia – e não posso dizer que vi paisagens incríveis (pelo menos não dessa vez. Outras vezes já vi as paisagens maravilhosas que o ES reserva), pois dormi durante 95% da viagem.

Nesse dia aportamos em Conceição da Barra – cidade onde o Ricardinho, amor platônico da Mônica (essa mesma, a que tem uma turma só dela) passava suas férias (Duvida? Essa informação está na historia “A Iniciação – ou ‘O menino que não apanhava da Mônica’”) (ok, ok EU LEIO GIBIS ATÉ HOJE). Vale a pena informar também que a cidade estava completamente deserta e que o dono da pousada na qual dormimos foi obrigado a abri-la só para nos hospedar. Outra informação relevante é que assistimos (ok, admito que eu não assisti porra nenhuma porque estava morta no meu quarto) um por do sol espetacular.

Saindo na manhã seguinte rumo ao nosso destino, foi possível ver as diferentes paisagens do norte do ES e do sul da Bahia. E então chegamos à Porto Seguro.

Logo foi possível perceber que o clima da cidade era completamente diferente de todos os outros lugares que estivemos antes. A música predominante era obviamente axé, mas também era possível ouvir coisas como a banda Deja Vu.

Fizemos alguns passeios e após conhecermos a belíssima Praia do Espelho (uma das mais bonitas do Brasil) entramos em Trancoso e decidimos que passaríamos a virada do ano por ali.

Habitualmente viro o ano em Copacabana, um lugar democrático, no qual se vêem pobres e ricos, famosos e anônimos. Trancoso é exatamente o oposto: apenas os (muito) ricos e (muito) famosos encontram-se ali. Pelo menos até 20 minutos antes da meia noite.

No Quadrado de Trancoso, lugar muito badalado, cheio de pequenos restaurantes, cada festa de Revellion (palavra idiota que eu odeio (mas ainda usa né?) custava no mínimo 200 reais por pessoa, muito menos que um nativo pode pagar. Próximo à meia noite, os habitantes locais saiam dos bares e botequins em que estavam e se misturavam todos no mesmo lugar. Com o perdão do uso dessa música horrorosa, estava todo mundo no mesmo quadrado.

À meia noite ocorreu a tradicional queima de fogos (nada tão magnífico como os fogos de Copacabana – quem nunca foi aconselho que vá), mas nada se compara à combinação fogos + cenário de Trancoso.

Bom, aqui está o relato do meu início de 2010. Como foi o seu? Em 2011 estarei aqui comentando, assim espero, as comemorações do início do ano na Pátria Mãe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s