Até Tio Patinhas compraria

Vender é parte do ser humano. Talvez a mais difícil das profissões. Todos nós somos obrigados a vender alguma coisa, desde cedo: alguns vendem simpatia, para que aquela tia compre aquela barra de chocolate deliciosa. Outros vendem uma dor de cabeça alucinante, que impede de ir na escola, mas não de jogar videogame. Acho que vocês já pegaram o espírito da coisa.

Contudo, um cidadão da Praia do Futuro, em Fortaleza, faz do ato de vender um simples picolé uma arte. Ele consegue ser mais engraçado que muitos stand ups por aí. Mais que Zorra Total com certeza. Se bem que até EU sou mais engraçado que o programa globífero.

Mas ele tem um defeito: As falas são ditas rápido demais. Tudo bem, é uma característica geo-social do lugar, mas mesmo assim tem horas que fica difícil de entender. Quem assite o vídeo só uma vez perde metade da graça desse simpático vendedor. Por isso, fiz um exaustivo trabalho de tradução e legenda, que vocês podem acompanhar abaixo.

Peço desculpas desde já, mas alguns trechos são simplesmente impossíveis de entender. Se você for ninja o bastante, coloque aí nos comentários que eu completo. [EDIT] O leitor Juliano Magalhães, que é de Fortaleza, fez o favor de traduzir. Como ele é nativo, ficou facinho! Menção honrosa ao leitor Daniel, que deu uma primeira melhorada na tradução, antes da versão definitiva do Juliano. Obrigado! [/EDIT]

Vendedor: Gente tenham calma que eu vou já atender vocês. “Perainda”! Pra que esses vexames? Eu vou atender primeiro quem tá chamando, os clientes especiais.

Cliente Masculino: Diga aí meu irmão. Tem de que aí meu velho?

Vendedor: Ó, o de “QUE” infelizmente eu não tenho mais. Mas por enquanto, eu estou com a promoção: “Quem compra um tem direito a comprar outro”. Não querendo a promoção, tem a liquidação 1 é 1, 2 são 2. Não querendo a promoção, nem a liquidação, achando que só eu levo vantagem, tem as formas de pagamento em 30, 60, 90 segundos. Quem escolhe é você. Pra vocês ficarem mais à vontade, faço até 120 sem entrada e sem juros. E caso vocês não queiram as 3 opções, eu trabalho com: cartão, vale-transporte, faço troca pra agradar clientes especiais iguais a vocês.

Vendedor: Querendo, como eu falei que o de “QUE” não tinha, mas eu tinha ainda os sabores de castanha, coco, morango, biscoito, cajá, chocolate, leite “condenado”, milho verde, tangerina, tamarindo, acerola, “coco.com” coalhada, jaca, uva, limão, abacate, ameixa, flocos e brigadeiro. E é bom aproveitar que estão acabando! Só falta vender os que tem. Agora, na realidade, estão acabando não é o picolé, é a força e a coragem. Picolé dá quase mesmo pro Gabriel, pra Isabele, pra você da sociedade, pro Gustavo da ostra já ajuda.
E vocês estão numa vantagem que esse picolé quanto mais vende mais abaixa. Eu trouxe 100, vendi 2, só tem 98. Já não gasta mais com os 100, e a qualidade é especial: você confunde com a concorrência.

Cliente Feminina: (Risos)

Vendedor: Você lê Pardal quando vai degustar, diz: “Humm… que bom!” Até eu que sou vendedor da Pardal fico confuso se é Pardal ou se é Kibon. E também, gente, ainda tem mais. É bom também aproveitar que está secando. Mas não é o carrinho. São minhas pernas, de tanto andar.

Cliente: (Risos estridentes)

Vendedor: Ainda tem mais também! É bom aproveitar porque eu só passo aqui agora quando eu vier outra vez. Mas é bom agora, talvez outra vez eu não tenha mais. E vocês estejam a degustar e eu perco a venda. E ainda tem mais também! É bom aproveitar porque eu vou lá onde eu vou e eu só volto quando eu vier. Agora é bom também lembrar que você, se vocês chamarem eu volto se eu vier.

Cliente Feminina: (Mais risos estridentes que cobrem a piada do vendedor… humpf)

Cliente Masculino: Traga um de morango pra mim. A-GO-RA

Vendedor: Ó, caso alguém peça algum que eu não tenha, eu peço desculpas, como eu falei, o de morango eu não tenho mais. Agora eu só tenho goiaba, castanha, brigadeiro, flocos, tapioca, biscoito…

5 pensamentos sobre “Até Tio Patinhas compraria

      • Legal, eu dei uma melhorada, se quiser arrumar, depois apaga esse post:

        Vendedor: Ei, tenham calma que eu vou já atender vocês. Perái ó, pra que esses vexames? Vou atender primeiro quem tá chamando, os clientes especiais.

        Cliente Masculino: Diga aí meu irmão. Tem de que aí meu velho?

        Vendedor: Ó… o “de quê” eu infelizmente não tenho mais, mas por enquanto eu estou com a promoção: “Quem compra um tem direito a comprar outro”. Não querendo a promoção tem a liquidação um é um, dois são dois. Não querendo a promoção nem a liquidação – achando que só eu levo vantagem – tem as formas de pagamento em 30, 60 e 90 segundos, quem escolhe é você, pra vocês ficarem mais à vontade. Faço em até 120 sem entrada e sem juros e caso vocês não queiram as 3 opções, eu trabalho com cartão, vale-transporte e faço troca, pra agradar clientes especiais iguais a vocês.

        Vendedor: Querendo – como eu falei que o “de quê” não tinha – mas eu tenho ainda os sabores de castanha, coco, morango, biscoito, cajá, chocolate, leite condenado, milho verde, tangerina, tamarindo, amendoim, acerola, (???) qualhada, jaca, uva, limão, abacate, ameixa, flocos, brigadeiro. E é bom aproveitar que estão acabando! Só falta vender os que tem… Agora, na realidade, estão acabando não é o picolé, é a força e a coragem. A colega (???) é o mesmo do Gabriel, mais a isabel, mais a sociedade do Gustavo e da outra já ajuda. E vocês têm uma vantagem que esse picolé quanto mais vende mais abaixa. Eu trouxe 100, vendi 2, só tem 98. Já não gasta mais com os 100 e a qualidade é especial: você confunde com a concorrência.

        Vendedor: Você vê “Pardal”, quando vai degustar, diz: “Humm.. que bom!” Até o seu vendedor da Pardal fica confuso se é Pardal ou se é Ki-Bom. E também gente, ainda tem mais. É bom também aproveitar que está secando. Mas não é o carrinho. São minhas pernas, de tanto andar.

        Vendedor: E tem mais também! É bom aproveitar porque eu só passo aqui agora quando eu vier outra vez. Mas é bom agora, talvez na outra vez não tenha mais. Vocês mesmo não devem estar aí e eu perco a venda. E tem mais também! É bom aproveitar porque eu vou lá onde eu vou e só volto quando eu vier. Agora se você me ligar ou se ainda assim você me chamar eu volto se eu vier. Tá bom? Brigado.

        Cliente Masculino: Traga um de morango pra mim.

        Vendedor: De morango.

        Cliente: Agora.

        Vendedor: Ó, caso peça algum que eu não tenho, peço desculpas, como eu falei, o de morango eu não tenho mais. Agora eu só tenho goiaba, castanha, (???) flocos, tapioca, biscoito, biscoito…

  1. Segue a “tradução” do vídeo.

    Até que não deu muito trabalho, tendo-se em vista minha origem
    fortalezense!! Rsrsrs.

    Abraços,

    Juliano Magalhaes
    Brasilia (DF)

    Vendedor: Gente tenham calma que eu vou já atender vocês. “Perainda”! Pra que esses vexames? Eu vou atender primeiro quem tá chamando, os clientes especiais.

    Cliente: Diga aí, “mermão”. Tem de que aí, “véi”?

    Vendedor: Ó, o de “QUE” infelizmente eu não tenho mais. Mas por enquanto, eu estou com a promoção: “Quem compra um tem direito a comprar outro”. Não querendo a promoção, tem a liquidação 1 é 1, 2 são 2. Não querendo a promoção, nem a liquidação, achando que só eu levo vantagem, tem as formas de pagamento em 30, 60, 90 segundos. Quem escolhe é você. Pra vocês ficarem mais à vontade, faço até 120 sem entrada e sem juros. E caso vocês não queiram as 3 opções, eu trabalho com: cartão, vale-transporte, faço troca pra agradar clientes especiais iguais a vocês.

    Vendedor: Querendo, como eu falei que o de “QUE” não tinha, mas eu tinha ainda os sabores de castanha, coco, morango, biscoito, cajá, chocolate, leite “condenado”, milho verde, tangerina, tamarindo, acerola, “coco.com” coalhada, jaca, uva, limão, abacate, ameixa, flocos e brigadeiro. E é bom aproveitar que estão acabando! Só falta vender os que tem. Agora, na realidade, estão acabando não é o picolé, é a força e a coragem. Picolé dá quase mesmo pro Gabriel, pra Isabele, pra você da sociedade, pro Gustavo da ostra já ajuda.

    Vendedor: E vocês estão numa vantagem que esse picolé quanto mais vende mais abaixa. Eu trouxe 100, vendi 2, só tem 98. Já não gasta mais com os 100, e a qualidade é especial: você confunde com a concorrência.

    Vendedor: Você lê Pardal quando vai degustar, diz: “Humm… que bom!” Até eu que sou vendedor da Pardal fico confuso se é Pardal ou se é Kibon. E também, gente, ainda tem mais. É bom também aproveitar que está secando. Mas não é o carrinho. São minhas pernas, de tanto andar.

    Vendedor: Ainda tem mais também! É bom aproveitar porque eu só passo aqui agora quando eu vier outra vez. Mas é bom agora, talvez outra vez eu não tenha mais. E vocês estejam a degustar e eu perco a venda. E ainda tem mais também! É bom aproveitar porque eu vou lá onde eu vou e eu só volto quando eu vier. Agora é bom também lembrar que você, se vocês chamarem eu volto se eu vier.

    Cliente: Traga um de morango pra mim. A-GO-RA!

    Vendedor: Ó, caso alguém peça algum que eu não tenha, eu peço desculpas, como eu falei, o de morango eu não tenho mais. Agora eu só tenho goiaba, castanha, brigadeiro, flocos, tapioca, biscoito…

  2. Putz! Parece que o cidadão está narrando corrida de cavalos… Quando o cara pediu o de morango e o vendedor (depois de ter narrado todos os sabores) disse que não tinha eu lembrei do velho episódio da rosquinha… ou a versão do suco de abacaxi do Chaves…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s