Transmissão da Record é balde de água gelada

A chama Olímpica está acesa novamente. Dessa vez em Vancouver, no Canadá. O fogo contrasta com a neve e representa o calor que os atletas investem para subir no lugar mais alto do pódio. Nós, aqui no quentíssimo verão brasileiro, acompanhamos pela televisão competições que nunca praticaremos. Se bem que há outras que o famoso jeitinho dá conta de adaptar.

Mas há algo muito sério a comentar sobre as transmissões:

É louvável o esforço e ousadia da Record em trazer para a tevê Aberta os Jogos Olímpicos de Inverno. A Globo sempre teve os direitos e nunca o fez, com medo que o brasileiro rejeitasse o Skeleton ou o Cross Country (que tem um conceito interessantíssimo, se me permitem dizer), por exemplo.

Mas, infelizmente, a transmissão deixa a desejar. Os narradores Álvaro José e Maurício Torres dão um show de incompetência. Fica claro que eles não conhecem os esportes. Apenas leram o briefing antes de entrar na cabine e tem a mão apenas aquilo que o estagiário copiou da Wikipédia. Mas não adianta falar que é ruim sem explicar porque:

Primeiro Motivo - Repetem trocentas vezes as mesmas informações inúteis: Ninguém está interessado em saber que há 3952 câmeras filmando até a bufa que os competidores soltaram. Se disser 1 vez por dia já é muito. E pior… as câmeras nem são deles!
Outra coisa que anda me irritando é o fato de, nas competições com algum tipo de trenó (inclua aí o Bobsled e o Luge) , os narradores insistirem em fazer um alerta inútil, quando a imagem com o comparativo de dois atletas sobrepostos é colocada no ar. O alerta é que NUNCA 2 trenós podem descer ao mesmo tempo. Mas não é óbvio? Se com um já é perigoso (no TREINO morreu um), imagine com dois. Desperdiçam o tempo que poderia ser usado para uma análise técnica, mostrando onde foi o erro e etc e tal. Recurso eletrônico fodão jogado no lixo.

Segundo Motivo- Emoção exagerada: Não precisa gritar toda hora. Tudo bem que a curva foi fechada, que a atleta canadense está descendo a mais de 100 km por hora no Downhill ou que a alemã fez a primeira parcial 0,09 abaixo da sueca. É do esporte. Acontece toda hora. Economiza garganta (e os meus pobres ouvidos) para quando estiver na linha de chaegada, ok?
Imagina se o Galvão Bueno começasse a gritar ASSIM: “Que lateral que o Roberto Calor cobrou! Vejam isso.. jogou a exatos 2 metros num ângulo de 45º!!! No pé! No pé do advérsário!!! INCRÍÍÍÍÍÍÍVEL!!!”

Terceiro Motivo -  Reprises inoportunas – Reconheço que o horário não ajuda muito, mas tem horas que não precisaria reprisar competições. Será que não tem NADA ao vivo, durante algumas transmissões em videotape que a Record faz? É Olimpíada pessoal! Só acontece de 4 em 4 anos e ninguém sabe se vocês terão a oportunidade de transmitir a próxima!
Como se não bastasse, quando há eventos ao vivo e eles resolvem transmitir, desrespeitam o espectador, como no caso da madrugada de domingo para segunda:

Partida de curling, Canadá X China. No meio da partida, ou melhor… no MEIO DA JOGADA, Maurício Torres encerra a transmissão, pedindo pro pessoal mudar pra Record News. E quem não tem Record News? Como fica? Desrespeito absoluto. Ah… o programa que entrou no ar logo em seguida foi o da Igreja Universal. Sério mesmo que não dava pra esperar e passar outro dia o interessantíssimo programa sobre… mercado de trabalho?

Evidente que eu não esperava uma cobertura primorosa, por vários fatores. Entre esses fatores, está a pouca popularidade dos jogos no gelo, por motivos meteorologicamente óbvios. Brasileiro conhece mais de bilhar do que de patinação em velocidade. Outro fator é a inexperiência da Record em transmissões desse porte. Depois de um monopólio da Rede Globo nesse sentido, nada mais natural do que estranhar um outro olhar sobre a competição. Ou seja, mudou-se o padrão.

MESMO ASSIM, não é muleta para isentar a emissora dos erros citados acima. Só podemos esperar que haja uma significativa melhora em Gadalajara 2011. Isso mesmo… ano que vem tem Jogos Panamericanos e espera-se uma cobertura infinitamente melhor. Se não for assim, corremos o risco de Londres-2012 ser um desastre completo.

Enquanto 2011 não chega, aprendamos um pouco mais desses esportes frios na regra, mas quente nas emoções! Isso é… se o pessoal da tevê tiver um pouco mais de consideração conosco, os espectadores (rá… tá bom que isso vai acontecer)

PS: No Hockey, a Suiça jogou demais ontemquinta feira passada. Mesmo não tendo um time tecnicamente competitivo, teve forças para empatar o jogo contra o dream team do Canadá. Pena que na hora dos Free Shoots, os suiços resolveram entrar com bola e tudo em vez de bater no puck com certa distância.

PS2: O texto da Mônica, do Crônicas Urbana, dá uma outra visão sobre o mesmo tema. Uma broxante transmissão de curling. Os caras fizeram de tudo, menos narrar. [via @lunaomi]

5 comentários sobre “Transmissão da Record é balde de água gelada

  1. Não seja ingênuo, meu caro. É claro que o programa da IURD tem prioridade, a igreja paga uma fortuna (muito mais que o horário vale) para ter o programa na madrugada. Da onde você acha que a Record tira dinheiro para “peitar” a Globo ?

    Mas, se te serve de consolo, a transmissão do SporTV também é péssima. Vejamos como vai ser na Copa do Mundo…

  2. Pingback: Audiência: Olimpíadas de Inverno e os índices da Record « Televisão é Magia

  3. Ah, então esses são os nomes dos responsáveis!!! :-)
    Aprendi muito mais sobre o curling conversando com pessoas que, como eu, ficaram curiosas, ou lendo blogs por aí. Esses esportes, claro, são pouco difundidos aqui no Brasil, mas pelo jeito perigam continuar do mesmo tamanho, porque fica difícil se interessar por algo só tentando adivinhar como se faz. Aprendi a gostar de futebol americano e rugby exatamente porque fui aprendendo durante as transmissões. A exceção, creio, é o baseball e o cricket: acho que eles não têm regras. Ou então os times percebem que eu estou assistindo e mudam tudo de propósito, ali na hora, só pra me confundir. Venho tentando há tempos e até agora necas. :-D

  4. a transmissão do sportv também não é nenhuma maravilha.

    mas anturdia calhou de eu mudar pra record bem na hora que um bobsleigh capotou e eu podia jurar que era o datena berrando ali. só muto tempo depoispercebi que era o alvarojosé.

  5. Pingback: Domingueiras « Batata Transgênica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s