F1 2010: GP do Canadá

Rolou a bola para os 90 minutos da estréia da… epa, espera aí. Esse texto não tem o som das vuvuzelas, mas sim o bom e velho motor roncador. A Copa do Mundo fica pra depois. Vamos falar do Grande Prêmio do Canadá, que acabou servindo de show do intervalo de luxo entre um jogo e outro. E que show do intervalo amigo!

Logo na largada Massa tentou passar onde não dava e acabou prensado entre Liuzzi e Button. Massa, aliás, estava bastante agressivo e, na minha opinião desconcentrado. Pagou por isso sendo obrigado a trocar o bico do carro. Mais para o meio da corrida, teve novo encontro com Liuzi e novamente levaria pior, se não percebesse a tempo e diminuísse o a ânsia. Quase no fim da corrida, Massa encostou em Schumacher, tentou driblar o alemão que lhe fechou a porta na cara duas vezes, tendo novamente avariado o bico do carro. A asa dianteira acabou totalmente assimétrica e o carro perdeu aerodinâmica. Nova troca de bico e um 15º lugar para esquecer.

Barrichello foi igual a essa frase. Inútil. Na única vez que recebeu os holofotes, não conseguiu a ultrapassagem, danificou o bico (mais um!) e terminou em 14º. E já que essa linha não tem lá muito conteúdo, é perfeita pra dizer que Senna abandonou com problemas na marcha e Di Grassi fechou com um honrroroso (mistura de honroso com horroroso) 19º lugar. Mas pelo menos terminou.

E o Schumacher? O alemão deve estar sentado em sua privada, descarregando as frustrações do dia e pensando de quem foi a brilhante ideia de interromper a aposentadoria. Hoje protagonizou o histórico momento no qual foi ultrapassado com propriedade pelo suíço Sebatian Buemi e sua poderosa (rá) Toro Roso. Quem fase, hein?

E agora os que realmente fizeram a diferença nesse GP: Alonso e Hamilton

Na oitava volta os dois entraram no box e suas equipes trabalharam sincronizadamente. Resultado: Os dois saíram de suas vagas ao mesmo tempo, causando um momento tenso. Lado a lado passearam pelo caminho que leva à pista, com Alonso conseguindo tomar a preferencial na curva. Ponto pro espanhol.

Algumas voltas depois, Alonso bobeou ao ultrapassar Buemi e viu uma flecha prata tomar a ponta. Seguiram nessa balada o resto da corrida, caindo e retomando as posições de acordo com a dança dos pit stops.

20 voltas antes do final da corrida, a situação colocava Webber em primeiro, Hamilton em segundo, Alonso em terceiro e Button em quarto. Mas a corrida não terminaria assim. O pneu do australiano foi se esfarelando, tornando-o sendo presa fácil. O mesmo se deu, em menores proporções, com o pneu de Alonso, facilitando a manobra do tranquilo e preciso Button.

E o Canadá viu a flâmula inglesa ser hasteada duas vezes e os súditos da rainha arrebatarem 3 troféus. God save the Queen!

Notas rápidas:

1) Várias trocas de bicos durante a prova. Massa trocou 2 vezes, Liuzi uma, Barrichello outra. Acho que teve mais gente trocando o bico, mas não lembro quem. Um tanto quanto inusitado.

2) Gostei do Luiz Roberto narrando. Foi competente.

3) O muro não foi beijado esse ano. Os sádicos estão tristes.

E o campeonato ficou assim:

01 Lewis Hamilton 109

02 Jenson Button 106

03 Mark Webber 103

04 Fernando Alonso 94

05 Sebastian Vettel 90

06 Nico Rosberg 74

07 Robert Kubica 73

08 Felipe Massa 67

09 Michael Schumacher 34

10 Adrian Sutil 23

12 Rubens Barrrichello 07

Próxima corrida: 27 de junho, em Valência (ESP), valendo para o Grande Prêmio da Europa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s