F1 2010: GP da Inglaterra

Tarde de sábado, dia 13 de maio de 1950. Cerca de 100 mil pessoas presenciaram um marco no pós-guerra europeu. Grandes montadoras da época patrocinaram o primeiro Grande Prêmio da Fórmula 1 que contou pontos para o campeonato mundial. O palco para a festa é Silverstone, o  mais clássico circuito de automobilismo do mundo.

Manhã de Domingo, 60 anos depois. Nada de Giuseppe Farina, Luigi Fagioli e Reg Parnell formando o pódio dos vencedores. Nem um tal de Juan Manuel Fangio na retaguarda. Hoje os motores roncam mais alto, asas aerodinâmicas são motivo de intempéries dentro de equipes e as cifras astronômicas fariam a Alfa Romeo (escuderia vendora na época) levantar as saias e sair correndo. Hoje era dia de Webber, Hamilton e Rosberg. E um tal de Michael Shummacher na retaguarda…

A largada já mostrou que o clima na Red Bull Racing está muito agradável. Webber saiu babando pra cima de Vettel, que novamente pipocou quando pressionado. Perdeu a posição e ainda foi tocado no pneu traseiro direito, que furou. O mesmo aconteceu com Massa num toque com Alonso. Ambos pro boxes, ambos com corridas parcialmente comprometidas. Quem se deu bem foi Button, subindo 6 posições.

Webber (esq.) e Vettel (dir.). Irmãos camaradas

Na volta 14, Lucas di Grassi estava parado no box e por lá ficou. Os mecânicos tentavam descobrir da onde vinha o problema hidráulico do carro. Bom… dessa vez era um problema hidráulico, mas a cada corrida encontram um defeito diferente. Pra mim é problema de junta: junta tudo e joga fora (drum-tsss). Bruno Senna nem se quer colocou os pés no aeroporto. Ficou de castigo, com a missão de arrumar dinheiro para transformar sua carroça em algo minimamente parecido com um carro de Fórmula 1. Yamamoto, o japonês que o substituiu, conseguiu terminar a corrida. Shiiiiiii….

Volta 17. Kubica põe o bico no retrovisor do Alonso – quase que literalmente. O espanhol dá uma passeada na grama e retorna na frente. E como a Fúria não está de brincadeira, na volta 20, o diferencial ou a transmissão do polonês (ninguém chegou na mesma opinião) sentiu o efeito da ousadia e  fumou. Fim de corrida pra ele. Já os comissários acreditaram que a manobra de Alonso foi ilegal. Punido, deveria pagar o drive thru.

Sutil acertou De la Rosa. A asa traseira do espanhol espalhou detrito pelo ar numa cena muito bonita. Parecia purpurina na Parada Gay. Essa linha foi só pra constar que eu falei deles. Ah não, espere. Na verdade, foi porque esse acidente causou a entrada do Safety Car, pra desespero de Alonso. Alguersuari foi para a areia e não mais saiu de lá na volta 47. Curioso. Três espanhois com azar justo no dia em que o lado leste da Península Ibérica disputa uma final de Copa…

Vettel fez corrida de recuperação. Se pudesse, levantaria suas mãos ao céu, agradecendo o Safety Car. Na volta 42, passou Shummacher no único espaço disponível. Tirou uma fina da grama, mas garantiu a oitava posição. Na última volta ultrapassou o raçudo Sutil e terminou em sétimo. Barrichello fez uma corrida mineira: comeu quieto e sustentou uma 5ª posição. Considerando o carro que tem, é digno de palmas.São Rubinho anda operando milagres…

Webber seguia em primeiro, brincando de “quem faz a volta mais rápida” com Hamilton, o segundo colocado. E foram assim até o final. Vitória do australiano, seguido pelo inglês. Webber ainda foi irônico e respondeu os cumprimentos da equipe pelo rádio com um “Nada mal para um segundo piloto“. Não disse que o clima estava agradável na RBR?

Massa terminou em 15º. Alonso em 12º. Que ano para a Ferrari, hein? Rosberg e Button em terceiro e quarto, respectivamente. Corrida segura, que deu um bom fôlego a ambos no campeonato. Button, inclusive, agora é vice-lider. Hamilton que se cuide…

A classificação do campeonato ficou assim:

1 Lewis Hamilton 145

2 Jenson Button 133

3 Mark Webber 128

4 Sebastian Vettel 121

5 Fernando Alonso 98

6 Nico Rosberg 90

7 Robert Kubica 83

8 Felipe Massa 67

9 Michael Schumacher 36

10 Adrian Sutil 35

11 Rubens Barrichello 29

12 Kamui Kobayashi 15

13 Vitantonio Liuzzi 12

A próxima corrida é dia 25 de julho, em Hockenheimring, valendo o GP da Alemanha.

Foto: UOL Esporte

Um pensamento sobre “F1 2010: GP da Inglaterra

  1. Pingback: F1 2010: GP dos Emirados Árabes Unidos « Ideia Fix

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s