South Africa 2010: Espanha x Holanda

Apesar dos 190 milhões em ação que ficaram pelo caminho, a Copa do Mundo tinha que seguir. Na batalha final, dois novatos de tradição restrita. E antes de falar do jogo, vamos a um pequeno (pequeno mesmo!) resumo desses dois novatos; as duas melhores seleções da Copa do Mundo Fifa – África do Sul 2010 (*fôlego*).

A Fúria veio para a África com um elefate chamado favoritismo nas costas. Dona do futebol mais vistoso e atual campeã da Eurocopa, a Espanha TINHA que fazer uma boa Copa. E se não goleou, ao menos eliminou a Alemanha, outra seleção com potencial para faturar o caneco. Tem uma equipe habilidosa, que sabe como poucos abusar do toque e da posse de bola

Já a Holanda… é amigo. A Holanda fez Eliminatórias perfeitas. Não perdeu ou empatou um joguinho sequer. Veio para África exatamente como nos outros anos: favorita, mas com um carimbão de pipoqueira. Na Copa, passou razoavelmente bem pelo seu grupo – vencendo todas – e eliminou, dolorosamente, a Seleção Brasileira de Futebol. Tem em seu elenco jogadores nem tão famosos, mas competentes. E também um certo Sneijder e um certo Robben.

A Jabulani (ou a Jobulani, como informou o repórter da Globo) dourada rolou pela última vez. Nos 5 primeiros minutos, a Espanha contabilizava 2 impedimentos (bem marcados) e uma cabeçada muitíssimo perigosa, salva pelo goleiro holandês de nome complicado para escrever. Como era previsto, a posse de bola desde o começo estava sendo explorada pela Espanha exaustivamente. Bola girando de pé em pé.

A Holanda estava completamente sufocada em seu campo de defesa. Confusa, medrosa. Bem parecida com a Holanda do primeiro tempo do jogo contra o Brasil. Foram apenas duas tentativas sem sucesso, sem sustos. Depois dos 16, a Laranja Mecânica do século XXI começou a se soltar. A tensão da final parece ter aliviado um pouco.

As duas seleções não fugiram ao seu estilo de jogo, mesmo se tratando de uma final. Entretanto, a Holanda parecia um pouco mais ríspida, violenta. Em 23 minutos, 2 cartões amarelos para cada lado. Merecidos. Van Bommel, inclusive, poderia ter sido expulso. Aos 28, Xabi Alonso sentiu o que é tomar as travas da chuteira no meio do pieto. De Jong, autor dessa obra de arte… marcial, tomou só o amarelo.

Os goleiros não tiveram muito trabalho. Um tiro de meta aqui, outro escanteio acolá… Teve até um fair play  bem mal executado que quase pegou Casillas de luvas curtas. Mais do que isso não teve. E fim dos primeiros 45 minutos da grande final.

O segundo tempo começou da mesma forma que o primeiro tempo. Holanda fechadinha e Espanha na posse de bola, tantando furar o cadeado laranja. As botinadas também continuram. Para vocês terem uma ideia, a falta mais leve foi essa entrada aqui.

Aos 17, a jogada que levantou o estádio. A mais perigosa até então. Bola lançada lindamente por Sneijder (lembra dele?), pegando toda a zaga espanhola de surpresa. Um raio chamado Robben (lembra dele?) passou pelo centro e invadiu a área. Ele e Casillas trocaram rápidos olhares. O holandês optou por jogar na direita do espanhol. O pé direito salvador de Casillas fez o desvio milagroso, impedindo a primeira mexida no placar. Quase gol da Holanda!

Aos 24′ o troco da Espanha. Cruzamento de Navas pela direita. A bola atravessou toda a grande área e foi certinha na direção de Heitinga. O zagueirão holandês se atrapalhou e a bola passou entre as pernas… que coisa bizonha. Com isso, a pelota sobrou limpinha para um assustado Villa – que não esperava o presente – chutar de dentro da pequena área, de perna direita. Um holandês surgiu voando e desviou a bola de carrinho. O escanteio não deu em nada. Quase gol da Espanha!

Robben correu demais, a Villa tentou até o fim, mas não teve jeito. Os 90′ terminam em Holanda 0x0 Espanha.

E como virou constante, começa a prorrogação com a Espanha sufocando e Holanda se defendendo como pode.

E tem goleiro se consagrando. Aos 5′ Fábregas recebeu livre, leve e solto. Stekelenburg saiu fechando o ângulo, suficiente para sua perna esquerda desviar o chute. Villa se desespera… estava livre do outro lado da área. E olha só… na jogada seguinte, Mathijsen subiu muito e cabeceou perigosamente. De prender a respiração!

A Espanha ataca mais. Iniesta pela esquerda e Navas pela direita desperdiçam excelentes oportunidades. Ninguem marca.

ALELUIA! Heitinga segura Iniesta na entrada da área. Finalmente alguém é expulso… Isso aos 4′ do segundo tempo da prorrogação. As botinadas correm soltas desde os 5′ do primeito tempo normal.

Faltando 5 minutos para irmos pros penaltis, jogada confusa na área da Holanda. Fábregas tem um lampejo de gênio e acha Iniesta dentro da área, em posição legal. Iniesta domina livre, deixa a bola pingar e manda um fuguetaço prufundugol. GOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLL DA ESPANHAAAAA!!! Casillas chora, Robben ajoelha-se no gramado. Espanha próxima de levar a taça para casa.


Exatamente as 18:00 do dia 11 de julho de 20010, Howard Webb assopra seu apito pela última vez. ESPANHA, CAMPEÃ MUNDIAL DE FUTEBOL!!!


Fotos: UOL Esporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s