South Africa 2010: O melhor e o pior

Fim de Copa do Mundo. Mesmo batendo aquela depressão inevitável, temos que seguir adiante. Foi muito gostoso comer pão de queijo assistindo jogos das 8:30 e quase sem descanso, partir para um almoço regado a futebol a partir das 11 horas. A tarde parecia mais completa com o jogo das 15:30. Era assunto todo dia. Outra dessa só daqui a 4 anos.

Já com a cabeça fria e descansada, é hora de analisar tudo o que aconteceu de bom e de ruim nesses 30 dias de competição. Para isso, vamos premiar jogadores e seleções nas categorias mais óbvias ou absurdas que a mente desse blogueiro esportista pôde bolar. And the winner is….

Cabelo mais estiloso – Prêmio Celso Kamura

Depois de uma rápida analisada na cabeleira dos jogadores dessa Copa, os nomes escolhidos para ganhar o Prêmio Celso Kamura de cabelo mais estiloso (pra ser simpático) fica dividido entre Sagna, da França e Puyol, da Espanha. Você, homem moderno (?), responda-me sem frescuras: Arriscaria seu… telhado copiando o visual deles?

O gol mais bonito – Troféu FIFA Street®

Forlán marcou belos gols chutando de fora de área. Gols assim enchem os olhos. O mesmo se pode dizer de Van Bronckhorst, que destruiu a toca da coruja na semi-final. E ainda teve o de Luis Fabiano, dando 2 chapéus (os mais otimistas pregam que foram 3), ajeitadas muito discretas com o braço e fuzilando o goleiro marfinense.

Mas pra mim o gol mais bonito foi justamente o primeiro gol da Copa. Tshabalala recebeu na esquerda, ajeitou pro pé esquerdo e mandou um fuguetaço no ângulo do goleiro mexicano. Um gol que fez a África inteira explodir num único grito de gol. Até eu levantei para comemorar. Um GOLAÇO! E com direito a dancinha do Terra Samba…

O gol mais feio – Troféu Aye-Aye

Eleger gol feio é uma tarefa meio inglória. Gol é gol, pronto e acabou. O que vale é bola balançando o capim no fundo das redes. Mas vamos lá. Não vou fugir da raia. Meu voto deveria ir pro segundo gol do Higuain contra a Coréia do Sul, afinal, ele mal esticou o pé. Pena que a jogada Messi-Aguero foi linda.

Então o prêmio vai para Gelson (?) Fernandes, da Suíça. Apesar de ser o gol da vitória contra a futura campeã Espanha, foi horrível de ver. Tudo errado. Trombada com goleiro, zagueiros caindo, pernadas voando tentando acertar a Jabulani (ou qualquer coisa que se movesse). E vindo da Suíça, então, foi uma força tremenda para não fazer. Mas caprichosa ela cruzou a linha.

As decepções – Troféu Viagra Vencido

Decepção é aquela seleção que você esperava muito e não rendeu nada, portanto, o prêmio vai para Brasil, Inglaterra, Itália e Portugal.
A França já não vinha jogando bem, logo, não dava para esperar muita coisa.

As surpresas – Taça Kinder Ovo®

Pela classificação final, pelas atuações ou mesmo pela simpatia das equipes, as agradáveis surpresas dessa Copa são Uruguai, Paraguai, Gana, Estados Unidos e África do Sul. Futebol de encher os olhos, garra de fazer pulsar mais forte o coração.

Melhor técnico – Troféu Football Manager®

Não tenho dúvidas em eleger Oscar Tabárez como melhor técnico. Foi ele o responsável por devolver ao Uruguai o lugar que nunca deveria ter deixado: o post de seleção tradicional, que alia raça e técnica. Forlán foi grande, Suarez foi enorme, Lugano um monstro. Até Muslera saiu-se melhor que a encomenda. Tudo graças a Tabarez.

Pior técnico – Trofeu Brasfoot

Não. NÃO É O DUNGA. O pior técnico é Raymond Domenech, da França. Foi um técnico CCE: Começou Convocando Errado. Deixar Benzema assistir a Copa da Poilâne (tradicional padaria parisiense, fundada em 1932) foi um crime. Além disso não soube escalar a equipe, motivar os jogadores e nem mesmo treiná-los. Um desastre.

Ele não é o único culpado. A Federação Francesa parece ter feito pouco caso e já tinha contratado e anunciado o substituto. Assim, nem Joshep Climber arrumaria motivação pra fazer um bom trabalho. E cá entre nós: trabalhar 8 anos na seleção francesa deve ser um saco.

Melhor partida – Taça Manoel Francisco dos Santos

Apesar de muitas reclamações sobre o nível técnico dessa Copa, achei muitas partidas gostosas de se ver. Eslováquia x Itália, por exemplo. O jogo inteiro com tensão, até uma última jogada que quase classificou a Itália, mas acabou despachando os Dolce & Gabanna boys para casa.

Leva a prêmio um surpreendente Estados Unidos X Argélia. Se água mole em pedra dura tanto bate até que fura, um Donovan yakee em Argélia dura, tanto bateu que uma hora marcou. E marcou a 3 minutos do fim, no exato instante em que o outro jogo do grupo terminava. Classificação inesquecível pelas inúmeras tentativas desperdiçadas e pelas convertidas (muito) mal anuladas pelos juízes.

Pior partida – Troféu Café Milton Neves®

Mesmo sendo jogo de oitavas de final, para mim, o pior jogo da Copa foi Paraguai x Japão. Não aconteceu rigorosamente nada na partida inteira. Até a prorrogação foi sem graça. A disputa de penaltis eliminou o time do sol nascente ainda nas 5 cobranças. E muita gente morria de medo que enfrentássemos uma disputa eterna, como todo mundo errando. Maldosos.

Lance inesquecível – Taça Youtube®

Uruguai X Gana acaba levando o prêmio não pelo jogo em si, mas pelos últimos minutos da prorrogação. A última jogada vai entrar em qualquer DVD sobre Copas. Confusão na área do Uruguai. A bola é chutada por muita gente e cortada duas vezes em cima da linha. Na terceira, Suarez meteu a mãozona (na verdade o braço inteiro), impedindo o gol classificatório de Gana. Penalti e expulsão. Da boca do túnel, Suarez viu Gyan meter a bola no travessão. O uruguaio passou do choro da tristeza ao choro da alegria em segundos. E acabou dando Uruguai. De tirar o fôlego…

Lance para esquecer -Troféu Blackout

O pisão de Felipe Melo e a voadora de De Jong, da Holanda, na final da Copa empatam. Violência desnecessária. Sem mais.

Prêmio John Lock para o jogador mais perdido do torneio

Senderos esqueceu momentaneamente que defendia as cores da Suíça e saiu em desabalada carreia pelo meio campo. Acertou um carrinho no seu próprio companheiro de equipe e acabou lesionando o tornozelo nesse lance. Um mito, uma lenda. Palmas para o inalcançável Philippe Senderos

A palhaçada – Troféu Patati e Patatá

O gol da Inglaterra  – aquele paulada do Lampard – que não foi validado pela arbitragem, mesmo a bola entrando 33 cm empatada com o impedimento escadaloso que culminou no primeiro gol de Tevez e que o juizão não viu. Não tinha ninguém entre o argentino e a linha de fundo. Inacreditável. Erros que mudaram sim o resultados das partidas. A Associação dos Palhaços deveria pedir royaltis…

Comemoração inesquecível – Troféu Orelhão do Pacaembu

A comemoração inesquecível foi o beijo de um Casillas todo suado na repórter e namorada toda cheirosinha. Como estão retirando toda hora do Youtube, não vou embedar aqui. Mas vocês sabem do que eu estou falando…

2 pensamentos sobre “South Africa 2010: O melhor e o pior

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s