F1 2010: GP da Hungria

O anel húngaro não permite muitas ultrapassagens“. De fato, todos os mais tarimbados comentaristas previam que a corrida desse Domingo se decidiria na primeira curva. Pobres mortais. Não sabem que os Deuses da F1 estavam muito irados com o que aconteceu no GP da Alemanha e resolveram deixar essa corrida um pouco especial. Não que transformassem a corrida num espetáculo com todo mundo ultrapassando todo mundo, mas foi bem melhor que o esperado.

Na largada, Alonso tomou a posição de Webber. Vettel dessa vez não fez besteira e manteve-se na ponta. Rubinho ganhou um monte de posições, bem como Kobayashi, o japonês voador. Shummacher tentou passar por fora e perdeu a tangência da curva. Confusões normais da largada. Massa em quarto lá permaneceu. NADA mudou até a volta 10. Procissão chatíssima.

Vitantonio Liuzzi salvou a corrida. Uma peça desprendeu do seu Force India e mudou tudo. Preste bem atenção na sequência de eventos:

Safety car chamado à pista. Muitos pilotos vão pro box. Kubica, um dos que pararam, é liberado pelo mecânico e acelera. Só que Sutil tem que passar pelo mesmo lugar para entrar em sua vaga no box. Inevitável. Dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço no mesmo instante. Uniram os bicos e as rodas em matrimônio. Polonês punido com 10” + multinha a ser definida. Alemão fora…

Rosberg fez um pit tranquilo. O mecânico também achou e esqueceu de apertar a roda. Não andou nem 50 metros e o pneu desprendeu e foi em direção ao box da Willians, quase provocando um strike assassino. E por pouco não estourou uma janela no segundo andar. Apenas um mecânico foi atingido e foi parar no hospital. Melhoras…

Vettel não respeitou a distância regulamentar para o carro de segurança e foi punido com um drive-through. Voltou atrás de Alonso. Jogou uma corrida ganha na lata do lixo, já que nos 10 primeiros giros, abria um segundo de vantagem por volta em cima do espanhol.

O carro de Hamilton morreu algumas voltas depois. Simplesmente apagou… azar demais.

Webber e Rubinho não pararam. Foi excelente pro australiano. Péssimo pro brasileiro.

Excelente pro australinao, mas que dependia de uma condição: pisar fundo e abrir tempo suficiente pra fazer o pit sem perder a liderança. Dependia dele, piloto e dele, carro. Os pneus aguentaram umas 40 voltas. Surpreendente. Webber andou demais, foi veloz, preciso e frio. Mandou o melhor cala a boca que a Red Bull poderia tomar. Segundo piloto? Nunca. Desnecessário dizer que ganhou a corrida e não vê ninguém na frente dele no Mundial de Pilotos. Líder absoluto.

Vettel, com um carro melhor, pressionou Alonso durante uma dezena de voltas. Mas ainda é garoto e inexperiente (?). Perdeu a freada e foi dar um passeio fora da pista. Desperdiçou tempo e decidiu não mais atacar. Tem muito arroz com feijão pra comer….

Quando Barrichello finalmente resolveu parar (estava em 5°), voltou bem atrás. Após esquentar os pneus, deparou-se com um certo Michael Shummacher na frente. A cada volta que passava, Rubinho encostava mais. E como carro lento merece ser ultrapassado, Barrichello partiu pra cima do alemão. Demorou umas 5 voltas, mas conseguiu a aproximação necessária pra pegar o vácuo.

Na reta dos boxes, Rubinho abriu pra direita, Shummacher fechou a porta tarde demais e os dois dividiram a pista. Schummacher prensou Rubinho no muro. E não diminuiu. Barricihello passou tirando uma fina do carro do alemão e perto demais do muro. Assustadoramente perto. Se tivesse mais 50 metros de concreto, veríamos um acidente de proporções trágicas. Mesmo assim, o brasileiro mante-se firme, não desistiu e passou Schummacher. Lindo e de tirar o fôlego.

“Schummi” mereceu o “filho da puta” disparado por Barrichello pelo rádio. Foi realmente por pouco…

Di Grassi largou muito bem, mas não conseguiu sustentar posições. Terminou em 18º e ainda tomou  uma advertência por andar lento demais (assim como Glock, Yamamoto e Petrov). Bruno Senna não foi muito melhor e terminou em 17º. Talvez a maior vitória pro dois tenha sido essa: terminar a prova.

A surpresa da prova foi Pedro de la Rosa e sua valente Sauber. Largaram em nono e terminaram em sétimo. Seu companheiro de equipe Kobayashi foi tão bem quanto: largou em 23º e terminou em 9º. Dr. Peter deve estar exultante!

E ficou assim a classificação do campeonato:

01 Mark Webber 161

02 Lewis Hamilton 157

03 Sebastian Vettel 151

04 Jenson Button 147

05 Fernando Alonso 141

06 Felipe Massa 97

07 Nico Rosberg 94

08 Robert Kubica 89

09 Michael Schumacher 38

10 Adrian Sutil 35

11 Rubens Barrichello 30

12 Vitaly Petrov 17

13 Kamui Kobayashi 17

14 Vitantonio Liuzzi 12

15 Nico Hulkenberg 10

A próxima corrida vai demorar. A Fórmula 1 entra em férias de verão e só volta em 29 de agosto, no circuito de Spa-Francorchamps, na Bélgica.

Foto: UOL Esporte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s