R-U-A

A Rua é muito mais do que aquele pedaço de pixe, também chamado de pistas de rolamento (alô, é da auto escola?), na qual os veículos compartilham com nossas fossas nasais tudo aquilo que rejeitam. A Rua – assim mesmo, com R maiúsculo – começa imediatamente após o portão de nossas residências e se estende ate onde a vista alcança. Ou até onde o Google Maps tem registro.

Se essa rua (se essa rua) fosse minha
Eu mandava (eu mandava) ladrilhar
Com asfalto (com asfalto) de verdade
Para meu (para o meu) carrão passar

É na Rua que as pessoas são mais pessoas. Você encontra meninos cujos sobrenomes seguem a morada, velhos ébrios, mulheres que juram que a palma da sua mão diz muito mais do que simplesmente a culpa por um punzinho maroto. O seu vizinho pode ser um gentleman, mas não se iluda: mais cedo ou mais tarde ele vai largar aquela latinha de refrigerante na sarjeta. A latinha vai se misturar com algumas dignidades perdidas e juntas escorrerão para o bueiro do esquecimento.

A Rua é também o local de trabalho de muita gente. Não xingue o moço da que coloca o papel de propaganda no para brisa do seu carro. Mesmo que chova e a papa grudenta emporcalhe todo o seu vidro. Aprenda a dar bom dia para as garis e margaridas, para os vendedores de pano de prato, para aquele tiozinho inconveniente que insiste em te vender o bilhete de loteria. A Rua pode ludibriar sua capacidade de enxergá-los como seres humanos.

Pausa importante: isso não é um Power-Point motivacional. Está mais para uma reflexão sobre a Rua. Fim da pausa importante.

A Rua não tem apenas aspectos negativos. Ela pode ser muito mais importante do que imagina. Tão importante quanto os vermes que aumentam sua resistência e evitam que você adoeça a cada ventinho de janela entreaberta.

A Rua faz brilhar os olhos das crianças que ficam penduradas nas grades dos edifícios. Geralmente é também o primeiro desafio delas. Atravessar a rua andando, mesmo que de mãos dadas, envolve um grau de adrenalina muito maior do que chutar uma bola ou abocanhar a mamadeira. É desafiante. É a Rua.

Não há estádio de futebol melhor. Não há autódromo melhor. Não há campo de bets/taco que a supere. Na verdade, a Rua pode ser o que você quiser, do jeito que você quiser. É uma tela em branco pedindo as tintas da criatividade. É a massinha de modelar esperando mãos que a transforme numa obra.

A Rua é minha, é sua , é todo mundo. Por isso mesmo ela não é de ninguém.

6 pensamentos sobre “R-U-A

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s