F1 2011: Sepang, Malásia

Corrida na Malásia sempre tem um mesmo drama antes mesmo das luzes apagarem e os carros começarem a se degladiar na pista. A chuva vem ou não vem? Quando ela chega? Quantas paradas nos boxes serão necessárias? Guerra psicológica e de recursos. Quem tem o melhor Narciso Vernizzi já sai na frente. Em 2009 foi crucial. Em 2010 não fez a menor diferença. E em 2011?

A estrela da largada foi Heidfeld. Pulou de 6º para 2º. Quaaaaaase pareceu uma Lotus de verdade. Petrov, da mesma equipe, também largou bem e subiu para 5º. As Ferrari dividiram curva e, para surpresa geral da nação, foi Massa quem pisou mais fundo e tomou a frente. Algumas almas saíram do purgatório.

Barrichello tomou um toque sutil de Sutil e teve um pneu furado. Já. Dá-lhe Barrichello! Batendo record atrás de record!

Vettel largou e, pela distância do segundo colocado, já está pensando no próximo GP, o da China. Webber, por outro lado, tomava ultrapassagem do mito Kobayashi, lá na péssima décima posição. Aliás, uma bela briga, diga-se de passagem. E aí vem perguntas: Vettel é MUITO melhor que Webber? Os carros estão montados de formas diferentes, com um carinho especial pro lemão? O que acontece na equipe que te dá asas?

Lá pela 15ª já estava mesmo na hora de trocar as borrachas Mercure da Pirelli. E todo mundo foi quase ao mesmo tempo. Massa teve problemas e perdeu 7 segundos a mais que o normal trocando as rodas. As Saubers foram as últimas a entrar no pit stop, esperando uma chuva que ainda não chegou. Foram enganados por… “pingoletadas” na pista.

Quem se deu bem foi Alonso, El Fodon, para variar. Assumiu a terceira posição. Hamilton e Button, segundo e quarto colocados respectivamente, continuam muito focados e únicos potenciais candidatos a surrupiar de Vettel a vitória.

Paul di Resta e sua Force India em oitavo na 26ª volta. Alguém sabe quem é e de onde esse cara surgiu? Enquanto isso, Barrichello e Maldonado abandonavam. A equipe do meu chará teve um fim de semana para esquecer…

E o mito Kobayashi, o japonês voador, partiu para cima de ninguém mais ninguém menos que Michael Schummacher. E passou pelo multicampeão como quis. Na verdade, isso aconteceu ao menos mais uma vez durante a prova. Sinais de 2012.

42ª volta. Depois de trocentas mil paradas, Button passa Hamilton nos boxes. A McLaren continua com a política de deixar o pau comer direitinho entre seus pilotos e ver no que dá. Por enquanto tem dado certo, já que nenhum dos ingleses é maluco o suficiente para ser agressivo e inconsequente ao mesmo tempo.

E Webber renasce inacreditavelmente. Depois de tomar uma sova de Kobayashi, o canguru australiano conseguiu, sabe-se lá como, brigar por uma honrada terceira posição com Hamilton. Pena que foi só fogo de palha. Não contavam com o vergonhoso desgaste de pneus. Despencou na classificação. Algumas voltas depois, brigou bem com Massa, e sua asa móvel venceu o KERS do brasileiro.

46ª volta e uma boa disputa. Hamilton tem que colocar a faca entre os dentes e sustentar a pressão de Alonso. O espanhol engatou na traseira do inglês, fungou no cangote e pôs o bico no retrovisor. Roda com roda, Alonso tentou de tudo para ultrapassar, mas Hamilton focou e manteve-se firme. Fernandinho tentou tanto que tocou e perdeu um pedaço da asa dianteira, comprometendo toda a sua corrida. É… broxou.

Heidfeld utilizou-se do mesmo esquema que Webber e passou Hamilton. Passou e passou bem. Essas Lotus… não sei se me causam raiva ou esperança. Vou lá na mesa branca para perguntar pro seu Colin Chapman. Juro que espero mudar minha concepção sobre essa equipe.

E eu juro que tinha acabado de escrever o parágrafo acima quando Petrov saiu da pista, pegou um morrinho artilheiro e simplesmente decolou, saiu voando para o alto e avante. Gagarin Petrov, como salientou @vitonez. Com o impacto no solo, o epóxi da coluna de direção descolou e o volante ficou soltinho na mão do russo. Que beleza…

Alguém lembra do jovem alemão campeão do mundo? Pois é… correu sozinho de novo, portanto…

PODE ESTOURAR O MUMM E LEVANTAR O TROFÉU! SEBASTIAN VETTEL E SUA RED BULL VENCEM O GP DA MALÁSIA!

Button/McLaren no pódio. Lotus de Heidfeld também. Felipe Massa cruza em 5º e, arre égua, colado nele, Fernando Alonso. E a chuva? Pelo segundo ano consecutivo, não deu as caras.

Prêmio Bandeira Quadriculada: Kobayashi, o mito, a lenda. Passou Schummacher quando e como quis. Fora outras ultrapassagens em pilotos menos importantes. Se tivesse um carro mais competitivo, sei não…

Prêmio Vai pro box: Equipe Williams, pelo desempenho catastrófico geral. Péssima classificação e corrida pior ainda. Maldonado e Rubinho precisam sentar com mecânicos,  projetistas, engenheiros e qualquer um que tire a urucubaca da escudeira.

E o campeonato, depois da segunda corrida, fica assim: Vettel tem 50 pontos. Button (26), Hamilton (24), Webber (22), Alonso (20) e Massa (16).

Próxima corrida: 17 de abril, na China. Anda não cansei de acordar cedo…

Pitacos do Carlão: A punição para Hamilton e Alonso foi por causa do enrosca entre os dois.

Não gosto de patriotadas, mas não tem jeito. Ninguèm percebe que os Adversários do Massa são: A Ferrari, o Alonso e o resto, nessa ordem?

Ai se O Kubica tivesse pilotando essa Renault.. ia dar um trabalho…

Kobayashi: O cara mais simpático da F1 desde o Nakajima

2 pensamentos sobre “F1 2011: Sepang, Malásia

    • Ach que a punição só se dará pelo peso do carro. Se não me falha a memória, o carro tem que terminar com um peso mínimo X. Se atingir isso, acho que não tem problema ficar sem gasosa. Mas vou pesquisar pra responder com mais certeza…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s