Entrei para a História. Estou no Street View

Sou do tipo de pessoa que se contenta com pouco. É claro que não estamos falando de objetivos de vida (já que as minhas ambições são grandes), mas sou do tipo de pessoa que sabe dar valor às pequenas coisas, muitas vezes ignoradas. Cortar cabelo em uma barbearia de antigamente, conhecer histórias do povo (como o cara que cruzou Minas Gerais em 4 meses tocando 500 cabeças de gado), comer amoras diretamente do pé (de amora, claro).

Uma dessas coisas simples é entrar para a história. Ou melhor. Ter parte da família na história em função de uma empresa particularmente famosa. Explico:

Uma vez meu avô  falou que tinha “aparecido no computador“. Bem… isso é meio vago, né? Apesar do conhecimento em informática estar “numa crescendo” na terceira idade, ainda é maioria aqueles que ficam intimidados ao sentar em frente a um monitor, um teclado… Compreensível. Uma reflexão sobre tecnologia tem que assustar qualquer um, independente da idade.

O que ele queria dizer é que uma vizinha viu a imagem dele num site que tinha um mapa e fotos da rua. Na hora eu já captei o que ele tentava explicar a abri o Street View, do Google. E era verdade! Lá estava ele andando, de bermuda e chinelo, caminhando na calçada, com as mãos nas costas. Inacreditável…

Hoje descubro que a cidade que eu adotei como minha, aquela que ganhou meu coração, a querida Itatiba está totalmente (ou quase totalmente) fotografada com o carro dinâmico do mega conglomerado internético. Aí eu, estranhamente, fiquei feliz, orgulhoso. É uma daquelas bobas satisfações que já citei. É o mesmo sentimento que faz o jornal da cidade colocar na capa da edição de Domingo que “modelo itatibense faz figuração na novela das 8“. É dividir com o mundo o NOSSO mundo particular, nosso canto, nossa gente.

E qual é a primeira coisa besta que fazemos nessa situação? Quem pensou em procurar a própria casa, pode retirar o prêmio com a @lunaomi. Você sabe que a sua casa está lá. Se quiser vê-la, é só atravessar a rua e olhar. Mas não… você precisa ter certeza que ela também está na vitrine.

Como era previsível, vi meu lar, incrivelmente nítido. O carro estava estacionado na calçada, como de costume, e minha mãe estava na garagem. Epa! Cumé? Minha mãe estava na garagem?

DOUBLE ACHIEVEMENT UNLOCKED.

Ser fotografado pelo Street View é estar no lugar certo, na hora certa e, de preferência, fazendo alguma coisa que não te comprometa futuramente. O carro passa e você precisa estar preparado. Como se isso fosse realmente possível.

O próximo passo é procurar o local de trabalho. Ver se encontra algum colega dando bobeira no portão, comentar com o porteiro… enfim… ter assunto na manhã seguinte, na hora do café.

É nessa parte que eu solto toda a sorte de palavrões e impropérios indignos de um blog como esse, voltado para a família brasileira. Vocês já sabem o que aconteceu. O título denuncia tudo.

TRIPLE ACHIEVEMENT UNLOCKED.

Pequenos prazeres da vida. Inuteis. Tolos. Mas o que seria da vida sem eles?

Um pensamento sobre “Entrei para a História. Estou no Street View

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s