A droga da opinião alheia

Paradoxalmente – e eu sempre quis começar um texto com a palavra paradoxal – vivemos em tempos com enorme liberdade e intolerância. Temos livre opção sexual, de relacionamento amoroso com pessoas de cor de pele diferente, entre pessoas idosas e jovens. Podemos vestir calças, saias, mostras os ombros (e a até a polpa da bunda em alguns casos).

Mas as opiniões… bem.. essas é melhor deixar escondidas em uma caixinha secreta, trancadas com cadeado e arames farpados. Se alguém descobrir nossas opiniões, é certeza de intolerância.

Hoje em dia não se pode declarar que é petista, por exemplo. Logo o cidadão é taxado de corrupto, bandido, petralha vendido e sei lá quantos outros adjetivos. Se a opção é pelo PSDB, é um tucano elitizado, corrompido pela privataria tucana, aliado de exterminadores…

Isso se reflete no julgamento do Mensalão. Como escrevi no Facebook tempos atrás, o que está acontecendo no STF é um JULGAMENTO, logo, se pressupõe que o réu pode ser condenado OU absolvido. Se não houver duas opções, o julgamento por si só não existe. Os Ministros, entretanto, não tem a liberdade de defender seu voto. Se condenam fulano, é herói da nação ou se corrompeu. Se absolve, fez justiça ou… se corrompeu. O resultado é mais importante que o caminho. Poucos buscam os motivos. Preferem metralhar o resultado.

Da mesma forma se é intolerante com o futebol, a coisa mais importante dentre as menos importantes. Se um time tem um impedimento não marcado, o juiz logo é taxado como “décimo terceiro jogador”. Ele não pode, sei lá, apenas ter errado? É fato que o nível técnico da arbitragem no Brasil é uma desgraça, bem abaixo do esperado. Se há manipulação de resultados, que se denuncie formalmente, oras bolas. Botar a culpa do outro é sempre mais fácil. E o coitado que defende que foi pênalti (ou não), toma na cabeça e é escrotizado pelos demais.

O caso mais recente é com a novela. Há muita intolerância quando se fala que se gosta dos folhetins. Nem todo mundo que asiste novela é limitado intelectualmente e nem todo mundo que não assiste deve ser considerado cult. Faz parte do “social”, de ter assunto entre as conversas informais. Como bem disse a amiga Aline Fassina, não assisti a nenhum capítulo, mas mesmo assim fiquei sabendo de tudo o que aconteceu, pelos comentários nas redes sociais virtuais, nos bares, na faculdade, do trabalho.

É claro que não se deseja que a novela seja a única forma de entretenimento de uma população (estão aí os livros, o teatro e os cinemas, só para dar três exemplos). Sempre defendo que o grande problema (por assim dizer) não é o produto, a a forma que se utiliza.

E não é que o mesmo vale com a opinião? É possível ser CONTRA e A FAVOR de qualquer coisa, desde que se tenha bom senso ao emitir e, principalmente, ao escutar e interpretar essa opinião.

E assim caminhamos. Na música, na moda, nas artes… Hoje, expressar a opinião é um convite para dizerem que estamos errados. Não há debate, troca de argumentos. Há dedo na fuça, ameças, violência.

Como diabos vamos pensar e construir rum futuro crítico, se somos intolerantes com algo tão inofensivo quanto uma opinião?

11 pensamentos sobre “A droga da opinião alheia

  1. No meu entendimento gente grauda, gente do PT e etc… não vão para a prisão póis não são realmente condenados o jugamento deles se tornam uma farsa (cartiado de baralho marcado), este Ministro Dias Toffoli é Fantoche do PT e de etc…. já estou cansado de ver noticias e mais noticias sobre a politica e politicos do Brasil a politica do Brasil e os politicos do Brasil cheiram muito mal é podridão encima de podridão, alem disso digo m ais comunismo não passa de um regime de falsa liberdade,falsa democracia, falsa moral… sabe mais uma coisa duvido que estes que foram condenados se foram realmente irão cumprir suas penas em presidios junto aos presidiarios, e que tipo realmente de pena eles irão receber se vão receber alguma pena a ser cumprida na forma da lei e se existe justiça realmente…. sabe mais me sinto inojado disso tudo e como brasileiro me sinto envergonhado…..

    • sim, frankiinho, a questão aqui não se resume a opinião A, B, ou C. Veja o histórico: Toffoli é ex-advogado do PT!, no mínimo é tendencioso. Lewandovski é vizinho do Lula de prédio! ou seja, não há profissionalismo. Sei que é chover no molhado, mas veja o Barbosa: é petista declarado, mas está agindo com a máxima isenção. E o Gilmar Mendes? Grata surpresa positiva. Desculpe, mas dessa vez vc está sendo mto ingenuo.

      • Tudo bem Carlão. Entendi seu ponto. Mas me deixe fazer algumas perguntas (que é a melhor forma de aprender e pensar):

        1) Os Ministros podem se abster de votar? Se o Toffoli se abster de votar, não está… hã… assinando a confissão e mostrando que não pode julgar NENHUMA matéria?

        2) Ainda que o Toffoli e o “Lawandas” estejam vendidos. O voto dos dois absolvem alguém? Formam maioria? Porque comprar apenas dois? Porque o restante, que não tem “antecedentes”, não podem estar vendidos?

        Não é questão de ser ingênuo. Mas de olhar as instituições, principalmente a estância máxima de julgamento do país, com um pouco menos desse sentimento de descrença. Se nem no STF dá pra confiar, em quem confiaremos?

        • veja, não é questão de ser descrente.. até acho que sou bastante otimista. Mas, é que não podemos desconsiderar o sentimento, sabe? Afinal, somos todos humanos. E não estou falando que os outros também não levem em conta predileção política ou qualquer outro sentimento na hora de votar. Pelo menos, um pouquinho tem. Trazendo para o nosso mundo: É a mesma coisa que colocar a Thais e a Silvia numa prefeitura do PT. Por mais éticas e profissionais que elas sejam tem o sentimento.

    • Eles estão sendo julgados. Isso já é um excelente começo! Nem isso se tinha no país. Quanto a prisão, ainda quero esperar pra ver o que vai acontecer. Se são culpados, creio que hão de cumprir a pena, até porque o não cumprimento iria desmoralizar o STF de uma forma praticamente irreversível

      E quanto ao Ministro Dias Toffoli ser “fantoche do PT”. Cara.. na boa…. me parece meio grave atribuir essa falta de caráter tão levianamente. Para qualquer um, diga-se de passagem. Por essa lógica tão absurda, quem vota pela condenação sumária é “fantoche do PSDB”. A coisa não é tão simples assim.

  2. Frank, primeiramente quero te parabenizar porque você escreve bem. Tenho lido muito das suas publicações, onde sou notificada por email. Às vezes dá vontade de comentar algo, às vezes passo adiante à algum amigo ou familiar. Mas não sei bem o que você quis dizer nesse texto A droga da opinião alheia, relacionando diversos assuntos que não são sequer comparáveis como o julgamento do mensalão e o futebol. Tenho acompanhado o julgamento no STF, tenho tido algumas insatisfações, mas estou feliz em ver que o julgamento não parte de “opiniões alheias” nem mesmo de opiniões centrais que são a dos ministros. Toda população que também tem acompanhado andou fazendo crítica às decisões de Lewandowski, que insistia na falta de provas. Pois veja, é um julgamento como qualquer outro que enche os cartórios forenses de processos, exigindo todas as fases processuais, inclusive a probatória que, segundo o ministro mencionado, estava falha.
    Não trata de opiniões Frank. Vi uma publicação do Facebook, com a quantidade já de 37 mil compartilhamentos de pessoas requerendo um julgamento do “mensalão do PSDB”. É sério: são 37 mil pessoas e querem chegar a 1 milhão. Te pergunto: existe isso? Por acaso existe mensalão de partido? Você sabe o que representa essas 37 mil pessoas Frank? Representa mesmo a GRANDE DROGA DA OPINIÃO ALHEIA. Sabemos mesmo, Frank, do grande envolvimento do PT nesse escândalo. E vemos sobretudo o esquema, a formação, as acusações e agora também o julgamento deles. É um partido ruim, mas o PSDB também nao tem nenhuma moral e isso nós também sabemos. Vemos através disso que a política brasileira, embora tenha um dos sistemas de governo mais perfeitos do mundo, continua falha. Cidinha de Campos, uma deputada do partido PDT, um pouco radical, vem apanhando dentro daquela Câmara que nem doida, e teve a ousadia de declarar que a corrupção do Brasil está no DNA. Ela não mentiu. Talvez devêssemos focar nesse ponto, ou será que não terá nenhuma melhora? Será que a tendencia é só piorar?
    Agora é sério Frank, bem que você podia discorrer sobre isso. Seria interessante não só para seus leitores, mas talvez até quem sabe uma solucão, ou sugestão proveitosa, onde podemos todos, com nossas opiniões, fazer algum movimento capaz de incutir nos brasileiros essa falha no nosso governo. Que tenhamos a noção do quão importante é o voto, e que temos uma democracia invejada por muitos países que inclusive vivem ainda sob o poder do socialismo oculto. sabe.. isso me motiva a ser mais. Me motiva a perder um tempinho do meu dia para ler um noticiário, ou a fazer um comentário como este. É preciso que alguns de nós sobretudo comecemos a mudar, a fazer a nossa parte, e você Frank, através das suas publicações já tem se tornado “alguém”, já tem conquistado a confianca de muitos. É preciso continuar. E é por isso também que torno a parabeniza-lo e a deseja-lo ainda mais que tenhas sucesso, que tenhas motivação e que não te falte entusiamo, conhecimento e curiosidade.
    Por fim peco desculpas pela intromissão e críticas, principalmente por nao ser “ninguém”.
    Abraco!

    • Confesso que perdi o fôlego com esse comentário Sara. Foi incrível!!! Mas vamos lá, preciso tentar fazer alguns comentários a altura:

      1 – De fato não foi muito justo colocar assuntos tão banais como novela e futebol misturados com política, que é coisa séria. A ideia era mostrar que a intolerância com opiniões dos outros se manifesta desde as coisas mais complexas às mais simples. Se a opinião existe, não costuma, ultimamente, ser questionada de maneira justa – justa como você, inclusive, fez – mas de maneira por vezes estúpida, para dizer o mínimo.

      2 – O grande envolvimento do PT é notório, até pelo número de réus e suas posições na hierarquia do partido. Eram a cúpula do partido! Que sejam punidos e enjaulados, se esse for o caso. Infelizmente não é comum vermos políticos presos. Lembra do Maluf? Alguns vão concordar, outros vão discordar da decisão. Faz parte, inclusive, do processo democrático… Ainda bem que temos dois lados! O que realmente me incomoda é o tom utilizado. Veja exemplos retirados do Twitter através da tag #ChupaPT.

      “no supremo o nosso heroi Min.Joaquim Barbosa arregaçou a tampa ! Strike !!! Detonou geral kkkkkk ele é o Chuck Norris de Toga #ChupaPT”.

      “#ChupaPT!!!!! Vamos mostrar ao MUNDO q o Brasil tem DECENTES! Q o Brasil não é do BANDO DO PT! Que o Brasil tem o @STF_oficial! #XôHaddad!”

      2.1 – Agora vamos a outro exemplo, oposto:

      “COMO INTERPRETAR O JULGAMENTO NO STF? COMO UM PACTO DA ELITE E AÇÃO DE CAPITÃES DO MATO”

      ” A elite e seus vassalos desqualificados empunharam a bandeira da versão e condenam pessoas sem provas”

      Isso tudo não é meio exagerado, não? No fundo e de maneira bem simplista, me parece uma guerra de poder. Quem tem não quer largar e quem não tem quer tomar.

      3 – Quot: “É um partido ruim, mas o PSDB também nao tem nenhuma moral e isso nós também sabemos”. Esse negócio de partido político meio que perdeu o sentido original, não é? Os próprios integrantes não sabem o que significa – literalmente e ideologicamente – a sigla a qual pertencem.

      Como disse para o Carlos mais acima (ou abaixo, nunca lembro a ordem que os comentários aparecem), as vezes prefiro perguntar:

      4 – O partido faz as pessoas ou as pessoas fazem o partido? Continuar no partido significa concordar com as ações tomadas por todos os seus integrantes?

      5 – Por que a defesa insiste tanto que não há provas? Me parece meio improvável um julgamento dessa magnitude chegar ao STF sem que haja uma mísera prova.

      6 – O combate à corrupção pára por aí? Um passo (para frente!) crucial foi dado. Outros serão dados?

      Agradeço imensamente o seu comentário. Sei que acertei no tema quando as discussões que ele gera são melhores do que o conteúdo do post. E foi exatamente o que aconteceu aqui.

      • Frank, estou de acordo com seus apontamentos.
        Do item 1 ao 6 foi muito bem explicado. Muito mesmo.
        Também agradeço a sua atenção, e parabenizo-te pelo tema – o que deixei de fazer outrora por passar despercebido.
        É importante que continue a escrever.
        Boa sorte, abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s