Quem está com o anel do Eno?

Hoje é dia de falar de forró! Sempre busco assuntos diferentes para tratar aqui no blog e notei que nunca havia reservado linhas para falar de tão particular ritmo no cancioneiro popular brasileiro.

Tinha que ser épico. E será. Mas apesar dos grandes nomes como, Gonzaga, Genival Lacerda (que fixação por letras G, hein?) e Dominguinhos merecerem seu espaço, hoje eu quero falar da musa, da lenda, da figura carismática – tanto no pessoal quanto no profissional – de Cremilda Ferreira da Silva, a Rainha do Forró!

Nascida nas Alagoas, começou desde pequena no rádio e fez grande sucesso com shows em Sergipe. Mas se você acha que Clemilda não vale um tostão, saiba que ela era figurinha carimbada nos programas de mais alto grau de garbo e elegância da televisão brasileira, como o Clube do Bolinha e o Cassino de um tal de Abelardo Barbosa. Nesses programa ganhou seus dois discos de Ouro.

Vamos a três musicas de muito sucesso. Vejamos o que conseguimos extrair delas:

Talco no Salão

Talco no salão Talco no salão. Pro forró ficar cheiroso E ter mais animação O Zé comprou Duzentas latas de talco Pra jogar no meio da sala Na hora da suadeira De madrugada Quando o forró esquentou A moçada misturou Suor, talco e poeira. Talco no salão Talco no salão Pro forró ficar cheiroso E ter mais animação.

Nessa música claramente a cantora se refere ao grande arrasta pé nas imediações de sua morada. Como era de se esperar, o bailão estava animado e, claro, as glândulas sudoríparas exerciam sua função de manter a temperatura corporal em níveis humanos. Pena que, com ela, odores pouco agradáveis as nossas narinas também dão o ar da graça – com trocadilho.

Mas o Zé, que é um sujeito matuto, logo resolveu a pendência, adquirindo na venda do seu Arnaldo DUZENTAS latas de talco. É amigos… Não são duas latinhas mequetrefes, não. São DUZENTAS latas! É lata pra caramba! A ideia foi genial pois além de retirar a umidamente ar, fornece aquele cheirinho delicioso de bunda de nenê. Ou quase isso. Depende do estado da bunda do neném.

O coitado do Zé só não esperava que a faxineira tivesse faltado. Infelizmente o talco misturou-se com o suor e a poeira. Ainda bem que cerveja não faltou e, claro, ninguém ligou para o talco no salão.

O anel do Eno

Fui numa festa arretada seu moço/Comida, bebida, forró comendo/Derrepente a gritaria/Sumiu o anel do Eno;

Quem ficou com o anel do Eno/Quem esta com o anel do homem/Levanta logo o braço/Se agora o pau come;

Quem esta com o anel do Eno/Quem é este infeliz/Uma bicha atrevida/Bate na bunda e diz;

Eu estou com o anel do Eno/Pra que tanta confusão/Quem não esta com o anel do Eno/Por favor levante a mão.

Que situação desagradável, hein? Sujeito vai no forró e, na animação, perde o anel. Anel de casamento! O que a mulher do Eno vai dizer quando ele chegar em casa, sem o anel? Putz! Vai dar uma encrenca danada, só porque o Eno quis espairecer depois do happy hour da sexta feira.

Sério… Quero ver se tem algum macho que vai levantar a mão naquele salão e falar bem alto: ESTOU COM O ANEL DO ENO! Pode até pedir algo em troca, um resgate. Mas ficar com o anel do Eno não dá. Imagine se fosse o contrario? Imagine se o anel do Eno fosse, na verdade o seu, caro leitor. Você se sentira a vontade com o seu anel nas mão dos outros?

Bom… O que eu sei é que eu nao estou com anel do Eno. Espero que ele encontre. Boa sorte amigo.

A cantiga da doida

Kalú Honório é um cabra enganador
Namorou a Josefina e ate hoje não casou
A pobrezinha ficou desmiolada
Cantando pelas estradas
As letras do seu amor

Eu quero é KH
Eu quero é KH
Com KH eu vou me casar

Os muros da cidade estão cheios de KH
E no muro na casa dela o KH é fluorescente
Der repente ela assusta a vizinhança
Gritando desde criança que eu adoro é KH

Dizem que o amor é lindo, mas as vezes ele pode ser sua perdição. Esse tal de Kalú Honório, o famoso KH não vale o prato que come. Precisava fazer isso com a pobre Josefina?

A coitadinha espalhou o famoso KH pela cidade toda! A moça pirou de tal firma, que até pintou um KH FLUORESCENTE nos muros de casa. Imagine só um KH que brilha no escuro. Arte pura!

Cremilda vive há mais de 40 anos em Aracaju/SE e apresenta na TV Aperipê o programa “Forró no Asfalto”, revelando bandas locais. Com tanta vitalidade e energia, ninguém sequer desconfia que ela já sofreu dois derrames cerebrais. É mole?

SALVE CLEMILDA!

Saiba mais no Portal do Governo de Sergipe e, claro, na infalível Wikipedia

2 pensamentos sobre “Quem está com o anel do Eno?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s