F1 2013: Sepang, Malásia

Em uma prova divertida, Vettel desobedece orientação da equipe, arrisca ultrapassagem e ganha a prova com a faca entre os dentes. Climão maneiro instala-se na Red Bull. Irão restaurar a paz em três semanas?

Se há um ditado para os início de corrida em Sepang, na Malásia, é uma pequena alteração de “chove-não-molha”. No caso dos malaios, chove, mas molha. Mas, não em todo lugar. Tal detalhe torna o jogo psicológico pré GP muito mais interessante. Pneu intermediário? Pneu para chuva intensa? O que fazer para não rodar ou deixar seu pneu esfarelado no asfalto, sem necessidade?

Ao apagar das luzes, Vettel manteve a dianteira e logo atrás dele saltou Alonso. Massa largou mal e não conseguiu segurar a posição. Ou AS posições, porque caiu pra sexto. Quem se deu bem foi o canguru, que deve ter achado uma boa ideia acelerar, pra variar um pouco, e ganhou boas posições.

Logo nas primeiras curvas Alonso tocou de leve em Vettel e entortou a asa dianteira. Show de faíscas na sua televisão! Com o carro todo desequilibrado, travou as rodas numa batalha com Webber e passou reto. Fim de prova pro espanhol. Katie, a macaca, zicou bonito…

Sem Ferrari por perto (até Button se colocou à frente do brasileiro), são as Mercedes de Hamilton e Rosberg que tem poder de ameaçar o cenário que Vettel mais gosta. Raikkonen cometeu ao menos 2 erros de traçado e perdeu muitas posições.

Já nas voltas 5 a 7 as equipes convocaram seus pilotos para a troca por macios. Vettel sambou no primeiro setor, mas manteve seu monoposto na parte asfaltada. Pequena trombada entre Vergne e Pic. O tio do pirulito liberou na hora errada. Segue o jogo.

Agora… Hamilton protagonizou o movimento mais insólito da corrida. Chamou a nova namorada pelo nome da ex esposa. Complicado, amigo. Ao entrar nos boxes, direcionou sua Mercedes para o box da McLaren! Não é aí, não! Agora é na outra, Hamilton! O Twitter da McLaren tirou um sarro: “Feel free to pop in and say “hi” any time, @LewisHamilton!“. Que situação…

Quem se deu bem nas primeiras paradas foi Webber. Ficou mais tempo com os intermediários e, ao contrario de Vettel, optou pelos pneus duros ao invés de macios. Estratégia interessante. Assumiu a liderança.

Para Massa, a situação não estava muito empolgante: na volta 14, uma McLaren e uma Sauber (!!) estavam logo a frente. Em outro tempos não seria vergonha. Menos empolgantes estavam as Lotus, com Grosjean e Raikkonen logo atrás.

Marquinhos Canguru, líder, deixou todo mundo confuso. Fábio Seixas, da Folha, explica: “essa eu não entendi. Webber parou 2 voltas depois, estava com os pneus mais duros e andando mais rápido. PAROU POR QUE, MEU FILHO???”. Bem… Não explica. Mas era essa a dúvida…

E “deu ruim” no pit do Di Resta. 1 semana para conseguirem tirar e colocar o pneu dianteiro esquerdo. A impressão é que tinha alguma coisa presa ali, impedindo a troca. Di Restou ao Di Resta desistir da prova. A zica também atingiu Sutil, que também abandonou. Eita… #WeakIndia

Só pra cumprir a cota das carroças, uma Marussia duelou com uma Caterham lá atrás. Informei.

Hulkenberg e Raikkonen saíram de seus pits colados um no outro. Muito colados. Belíssimo duelo, com vitoria da Sauber. Algumas voltas depois os dois voltaram a se tocar. O finlandês fanfarrão ficou um pouquinho bravo. Só um pouco. Que medo.

Falando em parada nos boxes, a bruxa estava a solta. A McLaren não apertou a porca direito, Button quase atropelou o mecânico da Lotus e parou no meio no caminho. Muito engraçado o pique dos mecânicos da equipe do inglês para consertar a bobagem… Show de Horrores!

Momento crucial da prova. Webber sai do box praticamente no mesmo lugar que Vettel. O alemão mergulhou babando pra cima do australiano. Uma briga linda. Quase se tocaram mais de uma vez. Webber não deu mole e fechou a porta na cara dura. Segura Webber! Abre Vettel! Passa Vettel! Tomada de curva lado a lado! Passa Webber… E Vettel dá o troco! SENSACIONAL! Que briga linda! Isso é Formula 1, meus caros! Teve chefe de equipe suando frio…

Webber x Tiao

Canguru x Tião. Amigos para sempre…

Diga-se de passagem, logo atrás Hamilton e Rosberg travavam duelo tão bonito quanto. Uma ultrapassagem melhor que a outra! Tio Ross também suou frio… Ainda na Mercedes, Rosberg pediu pelo rádio para passar Hamilton. Tio Ross negou. Deixa os meninos brincarem, tio!

É bom que se diga que depois da última parada, na qual colocou pneus macios, Massa, que fazia corrida de burocrática para ruim, animou e andou muito veloz. Passou as Lotus a sua frente, depois de voltas muito boas.

COMEMORA SEBASTIAN VETTEL! VOCÊ E SUA RED BULL VENCEM O GRANDE PRÊMIO DE SEPANG! Mark Webber vem logo atrás, frustrado. Fecha o pódio Lewis Hamilton e coladinho na asa traseira dele vem Nico Rosberg.

Prova bem divertida. A briga interna nas duas melhores equipes tem tudo para apimentar o campeonato, principalmente na Mercedes. Hamilton chegou com moral e Rosberg não quer ficar atrás. Na Ferrari, Massa não foi mal, mas pela classificação poderia ser melhor. Andou atrás boa parte da prova e recuperou no final.

Clima quente e tenso antes do pódio. Webber e Vettel nem um pouco satisfeitos um com o outro. TENSO. O projetista do alemão deu-lhe uma bela comida de toco. Webber, se falasse português, diria “Porra Vettel.! Que merda?”. Climão muito maneiro. A ordem da equipe era para Vettel NÃO arriscar a ultrapassagem, mas o alemão não quis saber. Webber regulou o motor para “econômico”, o tricampeão, não.

McLaren e Wiliams continuam vergonhosas. Button abandonou no fim e Perez parece sentir o peso do macacão que veste. Bottas foi o melhor da Williams. Hulkenberg surpreendeu com sua Sauber. Tá de parabéns…

Na entrevista pós prova, Vettel disse que se há alguma coisa para falar com Webber, o fará internamente. Deu uma arregada prudente. Já companheiro de equipe disparou: “decidimos como seria antes da corrida em time, o Vettel tomou suas próprias decisões e foi protegido como sempre“. Ratinhooooooo!

Assim… Sou a favor da disputa interna. Esporte é para ser disputado. Se não é mais fácil deixar só um por equipe e pronto. Entretanto, ninguém pode ser bobo o suficiente para não entender que, principalmente na F1, as equipes precisam se preocupar com o conjunto. Vettel foi o atacante que, em vez de passar a bola para um companheiro melhor posicionado, decidiu chutar. E fez o gol. Sorte dele. E nossa, que assistimos um momento antológico da F1.

1, 2, 3 4

“Tião é FODA: Não lavou a louça, não arrumou a cama, não levou o guarda-chuva”

Na Mercedes, Nico disse que não vai esquecer que não pôde passar Hamilton. “Vai ter troco“, teria dito. Tá certo ele. É só não bater e tirar o companheiro da pista que tá tudo bem…

Próxima prova é daqui a três semanas, em 14 de abril, na China. A paz voltara a reinar na República Democrática?

Atualização: O Flávio Gomes fez (mais um) bom texto sobre a polêmica Webber x Vettel, com um ponto de vista diferente e extremamente coerente. Vale a leitura.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s