F1 2013: GP dos Estados Unidos

Em prova burocrática, Vettel laçou mais um recorde (8 vitórias seguidas), Grosjean mostrou um gatilho mais rápido que Webber e o cartaz de “Procura-se, vivo ou morto” continua estampando a McLaren.

Nem um Pacaembu com apenas 20 mil pessoas é capaz de separar a F1 do seu público fiel. Enquanto o jogo se arrastava em terras paulistanas, com este que vos escreve entre as (coitadas) testemunhas, Austin via Sebastian Vettel cumprir o protocolo e cravar mais uma vitória. Com sobras. De novo. Esse saloom tem dono e a pianola toca do jeito que ele quer.

Ao contrário dos 22 jogadores que eu assistia, Vettel não errava o passo e caminhava para mais um recorde, você escolhe qual: vitórias, poles positions, campeonatos, número de amendoins atirados ao alto e coletados com a boca aberta… Seu companheiro de equipe, por outro lado, mantém a tradição e a regularidade: o canguru Webber larga mal demais! Logo de cara perdeu posição para Grosjean.

O pódio ficou do jeito que a corrida começou. A Lotus tem muito o que agradecer ao francês nessa temporada. O menino estabanado ainda comete das suas, entretanto, é inegável seu crescimento. Palmas para Grosjen.

Kovalainen, pegando emprestado o carro de Raikkonen (oportunamente operado nas costas), não foi tão feliz. Foi obrigado a trocar o bico do carro apenas 14 voltas depois de ter feito seu pit stop. Fica para Interlagos, amigão.

As Ferraris? Só vi uma. Foi um carro vermelho pilotado por um espanhol. Esse aí terminou em 5º, mas fez uma corridinha bem chinfrim. Suficiente para assegurar um vice-campeonato. Me falaram que outro carro vermelho, pilotado por um brasileiro, terminou em 12º seria 13º se Vergne não tivesse sido punido com 20″, após a prova). Esse não era uma Ferrari. Não PODE ser uma Ferrari.

Por fim, palmas para Bottas. Um belo final de semana, culminando com a zona de pontuação. QUINTUPLICOU a pontuação da Williams. 4 pontos inteiros só para ele! A primeira vez não se esquece.

A próxima corrida encerra o campeonato. O cai o pano acontece em Interlagos, aos 24 dias do mês de novembro. Previsão de chuva nos 3 dias.

Dança das cadeiras, digo, dos cockpits:

Vale a pena destacar a movimentação dos pilotos, com vistas para 2014. Ninguém é de ninguém!

Raikkonen sai da Lotus e vai para a Ferrari. Massa dá adeus a Maranello e desembarca na Williams. Na McLaren, sai o mexicano Checo Perez (pê da vida) e chega o famoso dinamarquês Kevin Magnussen, com apenas 21 anos. Na Red Bull, não custa lembrar, Webber aposenta o macacão na F1, cedendo o lugar para Ricciardo. Essas já estão 100% confirmadas.

Na Williams, Pastor Maldonado sai e pode pintar na Lotus. Tudo certo, mas a nova investidora, a tal da Quantum, parece preferir Hulkemberg. Com razão, diga-se de passagem. Cenas dos próximos capítulos.

Quem será que sobra fora da roda? Já pode cravar o Alonso na McLaren em 2015 ou está muito cedo?

20131118-011542.jpg

Torcida típica do Texas. Não, pera…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s